Pravda.ru

Sociedade » Cultura

As 'bobagens' que Jolivaldo Freitas transformou em livro

19.11.2008
 
As 'bobagens' que Jolivaldo Freitas transformou em livro

Falar de sexo, em pleno século XXI, ainda é tabu. Não para Jolivaldo, que sabe falar de assunto polêmico como esse, sem chocar, sem bloquear o interlocutor. "Vulgar – Brincando de Sexo & Outras Bobagens", é um livro feito para brincar e ao mesmo tempo para nos guiar pela seriedade do tema e nos instigar a encarar a vida com um sorriso largo, como faz seu escritor, que tira do sério até os mais sisudos. Sexo para o autor do livro é algo que eleva a alma humana ao ápice de sua existência. Não que o ato sexual, em si, seja a última instância do vivente na Terra. Isso, não. Mas Jolivaldo fala de atos aparentemente banais da vida, de uma forma tão peculiar e especial, que tudo vira festa.

Sexo bem feito, com a esposa ou com a prostituta da rua, tira o peso da responsabilidade que a vida impõe. Fazer sexo, falar de sexo, sempre é bom. Que me perdoem os puritanos, ou puristas, os assexuados. Mas sexo é necessário, faz bem ao corpo e à alma, não é carnaval apenas. Sexo é sexo. E se praticado com assiduidade, mantém a jovialidade do corpo e da mente. E o livro traz lições tiradas da vida pelo olhar aguçado, pela vivência do escritor Joli, que transformou fatos triviais em literatura, boa literatura baiana!

"A menina da janela" não é besta, não. Quem disse que ela se engana com piscadinhas e galanteios de um jovem pretendente? Com seu jeitinho inocente, essa menina nos passa uma lição: ela parece boba, mas de boba não tem nada. Em outra passagem do livro Jolivaldo brinca com um incesto às avessas, em que mãe, filha e padrasto se relacionam: nada pecaminoso, nada vulgar. Mas falemos de 'bobagens', de pensamentos, e de piadas de sexo. Afinal, o livro do Joli (já estou me sentindo parte do rol dos amigos) nos remete à infância, em que falar sobre sexo, ouvir ou fazer sexo era apenas uma nuvemzinha negra na cabeça dos meninos e meninas pervertidos e candidatos ao purgatório.

Aprendi, desde criança, que não deveria, jamais, fazer sexo fora do matrimônio. E que deveria viver eternamente com a pessoa amada... A eleita se foi, e me deixou com meus pensamentos e sonhos. Joli me salvou, pois agora sei que posso falar sobre sexo e sorrir das minhas limitações e das demais pessoas. Os medos e os preconceitos se foram... Viva Joli e a Revolução Sexual! Vamos rir das bobagens que acreditamos por anos serem verdadeiras e adotar este livro como livro de cabeceira. Se não nos livrarmos dos maus entendidos, pelo menos aprendemos que sexo é saudável, é gostoso, e estimula a leitura de literatura relativa ao tema. Sem nenhum constrangimento, sem falso pudor.

Além de sexo, as "bobagens" do livro são reflexões sobre patrimônio histórico, política baiana, modo 'pobre' de viver (mesmo sendo rico), exame de próstata e tantas outras pérolas da nossa vida cotidiana, vistas com um olhar aguçado, literário e literal, brincalhão, sagaz e didático do jornalista e escritor Jolivaldo Freitas. Ele é um mestre que apresenta toda esta riqueza de patrimônio cultural aos baianos que, muitas vezes, fingem não ver – ou não vêem mesmo – o que é que a Bahia tem de bom e de melhor. É o Joli, espontâneo e sorridente, o profissional da imprensa, que nos brinda com este presente, que ele chama de "Vulgar" e de "Outras Bobagens". No entanto, de vulgar e de bobagens o livro não tem nada.

Jolivaldo Freitas é jornalista e estreou na literatura em 1976 com o livro de contos "Cemitério de Cães Noturnos". Em seguida, em 1978 lançou o livro de poemas "A Lâmina no Coração", pela Editora da Terra, vindo a seguir o livro-saco de poemas "Malvinas – Autofagia", com poemas de guerra. Em 1984 lançou a novela "Amor Roxo", pela Editora carioca Shogun, onde aborda de forma ficcional os últimos dias de Lampião e Maria Bonita.

Obra: Vulgar - Brincando com o sexo e outras bobagens

Autor: Jolivaldo Freitas

Editora: Ojuobá

Preço: R$ 25,00
Onde encontrar: Civilização Brasileira
Páginas: 133

Valdeck Almeida de Jesus é poeta, escritor, funcionário público e estudante de jornalismo (segundo semestre, Faculdade Social). Autor de "Memorial do Inferno. A Saga da Família Almeida no Jardim do Éden", "Feitiço Contra o Feiticeiro", "30 Anos de Poesia", "Valdeck é Prosa, Vanise é Poesia", dentre outros títulos.

Site: www.galinhapulando.com

E-mail: valdeck2007@gmail.com


Loading. Please wait...

Fotos popular