Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Compositor português escreveu ópera em língua alemã

11.01.2008
 
Compositor português escreveu ópera em língua alemã

A primeira ópera do compositor Emmanuel Nunes, «Das Märchen» ( «O Conto»), estreia no dia 25 no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa e será transmitida em directo para 14 cine-teatros portugueses com uma perspectiva de 11 mil espectadores, segundo o Diário Digital. 

É uma ópera contemporânea composta por Emmanuel Nunes a partir de um texto de Goethe, será interpretada em alemão e transmitida em ecrãs gigantes, com legendas, em teatros municipais no continente e ilhas.

«É a primeira vez que há esta abertura à sociedade civil e pela primeira vez outros públicos de todo o país vão ter acesso à ópera», sublinhou Pedro Moreira, o director da Opart, a empresa que tutela o São Carlos e a Companhia Nacional de Bailado.

Esta ópera, que é considerada o ponto alto da presente temporada lírica deste teatro nacional, foi uma encomenda do São Carlos, Casa da Música e Fundação Calouste Gulbenkian ao compositor português e tem um orçamento de cerca de um milhão de euros.

Além dos 14 intérpretes principais, entre os cantores Silja Schindler, Chelsey Schill e Luís Rodrigues e os actores Tilo Wagner e Anna Katharina Rusche, «Das Märchen» contará com a participação do Remix Ensemble, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Coro Teatro Nacional de São Carlos e um corpo de dez bailarinos.

Com uma produção marcadamente europeia, a encenação está a cargo de Karoline Gruber, a coreografia é de Roy Spahn e a cenografia de Mechthild Seipel.

O director artístico do Teatro Nacional de São Carlos, Christoph Dammann, classificou «Das Märchen» como uma «obra-prima» e um exemplo do que é o futuro da ópera europeia.

«Em vinte anos fiz muitas produções contemporâneas, mas esta ópera não se pode comparar. É uma experiência única poder partilhá-la com uma audiência em todo o país», disse Christoph Dammann.

Apesar de ser uma ópera complexa, contemporânea e interpretada em alemão, o secretário de Estado da Cultura alertou que «é preciso ultrapassar preconceitos de que só há elites em Lisboa ou no Porto e que só o público do São Carlos está preparado para uma ópera difícil».

«É o público que não tem cânones dentro da cabeça que está mais aberto à novidade», disse Mário Vieira de Carvalho.

«Das Märchen» terá três récitas (25, 27 e 29 de Janeiro), mas apenas a estreia será transmitida em Ponte de Lima, Porto, Vila Flor, Aveiro, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Torres Novas, Portalegre, Estremoz, Beja, Faro, Açores e Madeira.

Os teatros municipais e espaços culturais que transmitirem a ópera terão autonomia para decidir se será de entrada gratuita ou paga.

«Das Märchen» («O Conto»), que está a ser ensaiada há várias semanas, tem como cenário um rio em cujas margens vivem personagens distintas, como a Bela Lília, o Homem com a Lâmpada, o Gigante, quatro reis, dois fogos-fátuos, um Príncipe e uma Serpente Verde que se transforma em ponte para ligar as duas margens.

Segundo a sinopse, todas as personagens estão enfeitiçadas, vão metamorfoseando-se ao longo da ópera até chegarem «a uma existência livre e plena».

Emmanuel Nunes, galardoado, em 2000, com o Prémio Pessoa, trabalha, desde finais dos anos 80, em Paris, no IRCAM (Instituto de Investigação e Coordenação Acústiva/Música).


Loading. Please wait...

Fotos popular