Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Malangatana nos deixa mais pobres

05.01.2011
 

O artista moçambicano Malangatana morreu hoje no Hospital Pedro Hispano em Matosinhos, Portugal, aos 74 anos de idade, após luta prolongada contra uma doença terminal.

Malangatana Valente Ngwenya nasceu a 06 de Junho de 1936 em Matalana, distrito de Marracuene em Moçambique.

Malangatana deixou sua marca em muitas áreas profissionais: era pastor, curandeiro, deputado, dançarino, músico, poeta, ator e mainato além de pintor; fazia exposições e palestras. Recebeu o título de Doutor Honoris Causa (Évora), recebeu o prémio Príncipe Claus, e a medalha da Ordem do Infante D.Henrique. Foi nomeado Artista pela Paz (UNESCO).

Fez cerâmica, tapeçaria, gravura e escultura. Fez experiências com areia, conchas, pedras e raízes. Realizou exposições em Alemanha, Angola, Áustria, Brasil, Bulgária, Chile, Cuba, Estados Unidos, Índia, Moçambique e Portugal.

Tem murais em Maputo e na Beira, na África do Sul e na Suazilândia, mas também em outros países, como por exemplo a Colômbia ou a Suécia

Como deputado (1990 a 1994) dedicava-se a assuntos sociais e culturais. Foi um membro do grupo que estabeleceu o Museu Nacional de Arte de Moçambique, colaborava com o Núcleo de Arte e criou o Centro Cultural na sua terra natal, Matalana.

''Não tenho medo da morte...Só peço aos meus amigos que cuidem bem das minhas obras''

 

 


Loading. Please wait...

Fotos popular