Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Festival de Cinema Brasileiro na Rússia

02.10.2017
 
Festival de Cinema Brasileiro na Rússia. 27416.jpeg

Em sua 10ª edição, Festival de Cinema Brasileiro na Rússia acontece pela primeira vez em três cidades - Organizado pelas Linhas Produções Culturais em parceria com a Embaixada do Brasil em Moscou, o festival será aberto com Bingo - o Rei das Manhãs

São Paulo, outubro de 2017 - O Festival de Cinema Brasileiro em Moscou chega à sua 10ª edição consolidado como um dos principais e mais aguardados eventos de cinema do Brasil no exterior.  O festival, produzido e organizado pela Linhas Produções Culturais,  com o apoio da Embaixada do Brasil em Moscou, acontece na cidade de 3 a 8 de outubro. Este ano, será também realizado em São Petersburgo, de 11 a 15 de outubro, e pela primeira vez em Kazan, de 19 a 22 de outubro.

A sessão de abertura nas três cidades terá a exibição de um dos filmes mais celebrados pela crítica brasileira nos últimos anos: Bingo, O Rei das Manhãs, com direção de Daniel Rezende, indicado pelo Brasil ao Oscar 2018.  A exemplo do ano passado, mais de 800 convidados são esperados para a cerimônia de abertura, no dia 3, às 20h, em Moscou.

Bingo - O Rei das Manhas conta a história real de Augusto, um artista que sonha com seu lugar sob os holofotes. A grande chance surge ao se tornar um palhaço apresentador de um programa infantil na televisão que é sucesso absoluto. Porém, uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da máscara. Augusto, o "Rei das Manhãs", foi o anônimo mais famoso do Brasil nos anos 80. Com muita ironia e humor ácido, ambientado numa roupagem pop e exagerada dos bastidores da televisão da época, o filme conta essa incrível e surreal história de um homem em busca do reconhecimento da sua arte.

O Festival tem também outros destaques, como o filme Aquarius, de Kléber Mendonça Filho, que recebeu vários prêmios internacionais no último ano -melhor atriz para Sônia Braga no Prêmio Platino, na Espanha, e no Festival de Havana (Cuba), melhor filme (World Cinema Amsterdan), Prêmio Fênix para melhor atriz e direção, no México. O filme também participou da seleção oficial do Festival de Cannes, em 2016.

Aquarius tem como personagem central Clara (Sonia Braga), uma jornalista aposentada, com 65 anos, viúva e mãe de três adultos. Ela mora em um apartamento localizado na praia de Boa Viagem, no Recife, Nordeste brasileiro. Foi lá onde ela criou seus filhos e viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo edifício no espaço, os responsáveis de uma construtora conseguiram comprar quase todos os apartamentos do prédio, menos o de Clara. Mesmo deixando claro que não pretende vendê-lo, ela sofre todo tipo de assédio e ameaça para mudar de ideia.

Outra atração do Festival é o filme Vermelho Russo, dirigido por Charly Braun. Totalmente filmado em Moscou, o longa-metragem mistura drama, romance e documentário. O filme é inspirado na história real de  duas amigas brasileiras que se mudam para Moscou para estudar a técnica stanislavskiana com o renomado professor Vladimir Poglazov. Entre neve, brigas, amores, personagens tchekovianos e muitos litros de vodka, elas são constantemente testadas pelo teatro e pelas próprias diferenças culturais que encontram na Rússia.

Outro destaque é a comédia O Roubo da Taça, também baseado em fatos reais, que traz, com muito humor, a incrível história do roubo da Taça Jules Rimet, que o Brasil venceu após conquistar o tricampeonato mundial de futebol em 1970. O Festival traz ainda em sua programação os filmes Pequeno Segredo (drama), O Amor no Divã (comédia), A Despedida (drama), BR 716 (drama/comédia), Califórnia (drama), O Vendedor de Sonhos(drama) e Axé - Canto do Povo de um Lugar (documentário).

"O Festival de Cinema Brasileiro na Rússia se consolidou como um dos maiores eventos do cinema brasileiro fora de nosso país. É um evento muito aguardado. É impressionante ver quantos russos amam o Brasil e criam comunidades, reais e virtuais, sobre nossa cultura. O festival certamente ajudou, nos últimos 10 anos, a fomentar essa paixão", afirma Fernanda Bulhões, diretora da Linhas Produções Culturais e curadora do festival. Segunda ela, a seleção de filmes deste ano está imperdível. "O Brasil já produz cerca de 150 longas-metragens por ano e posso assegurar que os filmes deste ano estão entre os melhores que o Brasil já produziu recentemente", diz.

 Para o chefe do setor cultural da Embaixada do Brasil em Moscou, Luiz Costa,  a consolidação do festival como o principal evento ligado à cultura brasileira na Rússia é uma prova inequívoca do crescimento do interesse dos russos pelo Brasil. "O cinema é uma das melhores maneiras de aproximação entre os povos e culturas. Chegar à décima edição do Festival em Moscou é prova do sucesso desse evento, que já faz parte do calendário cultural da cidade", afirma.

Linhas Comunicação

 


Loading. Please wait...

Fotos popular