Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Concertista Roberto Corrêa divulga a viola caipira e viola de cocho em Montevidéu

02.09.2008
 
Concertista Roberto Corrêa divulga a viola caipira e viola de cocho em Montevidéu

O concertista, instrumentista, compositor e pesquisador musical mineiro Roberto Corrêa participa de vários eventos envolvidos com a música sertaneja na capital uruguaia de 29 de Agosto á 2 de Setembro oferecendo um Concerto além de um «Workshop» que poderia intitular-se «Viola Caipira» e «Viola de Cocho».

O Workshop gratuito já aconteceu na Escola Universitária de Música localizada na Rua Guayabo, (antiga Rivera) na segunda 1° de Setembro ás 15 h tendo como público objetivo, professores, alunos de música, tocadores de violão e os críticos musicais.

O Concerto intitulado «A alma do Sertão brasileiro» acontece hoje terça 2 de Setembro ás 20:30 h no maravilhoso Teatro Solís montevideano (www.teatrosolis.org.uy) e o Roberto Corrêa vai apresentar composições da gema e músicas desse Brasil rural dos famosos Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Luiz Gonzaga e Mário de Andrade.

Vestido de tocador de violão Roberto Corrêa mostra um outro Brasil musical pelas mais reconhecidas salas do mundo todo, “lançando” dos instrumentos típicos do interior do Brasil como a «viola caipira» e a «viola cocho».

O músico expressa com aperfeiçoamento técnico ímpar a cultura do Sertão brasileiro, descobrindo quanto podem contribuir essas violas, caipira e de cocho, desenvolvendo composições próprias e arranjos originais dos clássicos da cidade e do próprio sertão.

Seu cardápio musical reflete a riqueza musical do universo cultural do interior do Brasil.

Com herança de tocadores de violão Roberto Corrêa nasceu em Campina Verde – Estado de Minas Gerais mas mora em Brasília desde 1975 tendo se formado em Física e Música na Universidade da capital brasileira.

No decorrer dos 25 anos de carreira profissional, ele lançou quinze «long-play» (CD) e apresentou a «viola caipira» e «viola de cocho» nas inúmeras regiões do Brasil e fora da divisa em 29 países.

Em programas de divulgação da cultura brasileira no exterior, ele representou o país com espetáculos nas mais importantes salas de concertos do mundo inteiro como é o caso do Konzerthaus (Viena), Beijing Concert Hall (Pequim) e Haus der Kulturem der Welt (Berlim).

Na faixa de compositor, o Roberto Corrêa está contribuindo na “montagem” das músicas da viola caipira e viola de cocho, como solista.

Sua música mesmo tendo muito a ver com a do interior do Brasil, ás vezes associa-se com tudo quanto é de atual. Na hora do Corrêa tocador, ele pesquisa e descobre o melhor dos seus instrumentos fazendo estourá-los no topo do rendimento e quanto tem a ver á viola caipira acabou desenvolvendo técnicas próprias e lançando o mais completo método de ensino do instrumento.

De 1985 para frente é professor e pesquisador na Escola de Música de Brasília sendo que em as oportunidades que conseguiu o apoio do Ministério de Cultura pesquisou sob as tradições da música brasileira.

Editou os livros «Viola Caipíra» (Musimed, 1983), o primeiro no Brasil tendo como eixo este instrumento, «A arte de pontear a viola» (Ed. do autor, 2000), apresentando seu método de ensino da viola e focalizando sua pesquisa nas tradições deste instrumento no Brasil. Organizou e dirigiu projetos que acabaram com o lançamento de CDs com registros musicais da cultura popular brasileira.

Mais algumas peças musicais do Corrêa são Extrema-rosa (2002), Crisálida (1996), Uróboro (1994), todos eles da Viola Corrêa; Viola-caipira Brasil ( Internationales Institut für Vergleichende Musikstudien/Unesco), Traditional Music of the World 1 (1989); LP Viola-andarilha (Viola Corrêa 1989); Viola-caipira - um pequeno concerto (Discoban – 1988). Em parceria, Antiqüera (ICAC) (Viola Corrêa – 2007) com a orquestra á Base de Corda, Esbrangente (Viola Corrêa – Vai Ouvindo 2003) com Badia Medeiros e Paulo Freire); No sertão – Viola & Cordas (Kuarup – 1998) com Mauro Rodrigues e Quinteto de Cordas; Caipira de fato (RGE – 1997) e Voz & Viola (RGE – 1996) com Inezita Barroso; LP Drummond de Andrade (JCB – 1989) com Lima Duarte; Marvada Viola ao Capitão Furtado (Funarte – 1987) com RolandoBoldrim, Sivuca e Maurício Camilho, Zé Mulado & Cassiano, João Lyra & Adelmo Arcoverde; Coleções: A música brasileira deste século por seu autores e intérpretes – Roberto Corrêa – Sesc – São Paulo – JCB – 2003); Brasil Musical (Tom Brasil / Série Instrumental Banco do Brasil – 1997); CD ao vivo dividido com Renato de Andrade.

O PRAVDA agradece o Sr. Gláucio José Nogueira Veloso, Primeiro Secretário da Embaixada do Brasil em Montevidéu, Teresa Pintado e María Habib (Departamento de Imprensa da Embaixada do Brasil) fornecedores da foto do destaque de hoje.

Correspondente PRAVDA.ru

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguai


Loading. Please wait...

Fotos popular