Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Lançada Semana de Harmonia entre religiões

02.02.2011
 

A Organização das Nações Unidas lançou a sua primeira Semana de Harmonia entre religiões com inúmeras actividades realizadas ao redor do mundo para comemorar o evento, com a participação de organizações intergovernamentais e organismos das Nações Unidas. Depois de séculos de comunidades a tomarem os preceitos de suas religiões em vão, o mundo pode e deve aproveitar esta oportunidade num momento em que a insegurança e a violência ameaça engolir o Oriente Médio.

A religião não começa e termina com o cristianismo, o islamismo e o hinduísmo - as três principais religiões que representam 4,5 bilhões de uma população mundial de cerca de 7 bilhões de pessoas. A lista das religiões / crenças religiosas desde o cristianismo com 2,1 biliões até a Cientologia, com 500.000 seguidores, numera 22* e se contarmos as várias facções, denominações, seitas e facções, o número chega a cerca de 4.200 formas de expressar a fé.

Divididos somos, como podemos ficar unidos? A religião tem provado ser um dos pontos mais fortes de juntar pessoas, mais do que as bandeiras nacionais, mas ao longo dos séculos foi também o pretexto utilizado para justificar os atos mais chocantes da barbárie, atos que iam contra todo e qualquer preceito da religião adotada, atos que insultaram todos os ensinamentos dos livros sagrados.

Apesar do grande progresso em termos de respeito pelos direitos humanos fundamentais, a violência baseada em causas religiosas ainda impera em muitos regiões, enquanto diferentes civilizações encontram-se perto de um ponto de inflamação,

chamado choque de civilizações. A mensagem pela Assembléia Geral da ONU em novembro passado não poderia ter sido mais oportuno, a saber: "a mensagem de harmonia inter-religiosa e boa vontade nas igrejas, mesquitas, sinagogas, templos e outros lugares de culto do mundo... baseada no amor em Deus e o amor pelo próximo ou no amor peloo bem e o amor pelo próximo, cada um segundo as suas próprias tradições religiosas ou convicções ".

O Secretário-Geral Ban Ki-moon sublinha o fato de que esta semana é "uma oportunidade para chamar a atenção mundial sobre os esforços dos líderes religiosos, movimentos inter-religiosos e indivíduos em todo o mundo para promover o respeito mútuo e o entendimento entre os seguidores de diferentes religiões e crenças ".

Se pudermos encontrar uma única mensagem comum é "Ama teu próximo porque somos irmãos e irmãs em Deus", juntamente com as tentativas de explicar os preceitos existenciais como quem somos, de onde viemos e para onde vamos , estabelecendo normas de comportamento dentro de um marco de ética comummente respeitado.

Agora que o Oriente Médio desliza perigosamente perto de um precipício, não só os habitantes daquela região, mas a humanidade em geral, fariam bem em lembrar o senso comum nas idéias e ideais que nossas religiões nos ensinaram, que nos lembremos que todos nós temos muito mais em comum do que diferenças, a partir do fato de que nós nascemos nus e morremos deitados em uma prancha. E ninguém escapa isso.

Quão triste, se a Aliança das Civilizações, lançada por Espanha e Turquia em 2005 para promover as relações inter-culturais, ficar esquecida em um mar de violência.

Se as religiões nos ensinam a sermos tolerantes com os seguidores de diferentes credos, etnias e pessoas de diferentes cores, elas também nos ensinam a respeitar os nossos companheiros, seres humanos como nós. Como tanta energia gasta ensinando-nos essas noções durante a nossa infância, porquê nós (coletivamente) esquece-mo-nos destas com tanta facilidade quando somos adultos? Enquanto nós nos movemos mais perto de um ponto de explosão, que pode colocar um enorme ponto de interrogação sobre o funcionamento da economia mundial, é hora de esquecer nossas diferenças e nos unirmos.

* Lista das religiões
1. Cristianismo (2,1 bilhões), 2. Islão (1,5 biliões) 3. Agnósticos / Ateus; (1,1 biliões) 4. Hinduísmo (900 milhões); 5. Religião tradicional chinesa (394 milhões); 6. Budismo (376 milhões); 7. Religiões indígenas (300 milhões); 8. Religiões tradicionais Africanas e da diáspora (100 milhões), 9. Sikhismo (23 milhões); 10. Juche (19 milhões), 11. Espiritismo (15 milhões), 12. Judaísmo (14 milhões), 13. Baha'i (7.000.000), 14. Jainismo (4,2 milhões); 15. Shinto (4.000.000), 16. Cao Dai (4.000.000), 17. Zoroastrismo (2,6 milhões); 18. Tenrikyo (2 milhões); 19. Neo-paganismo (1 milhão); 20. Unitarianismo/Universalismo (800.000), 21. Rastafarianismo (600.000); 22. Cientologia (500.000)

Outras: Mandeanos, Kyodan PL, Ch'ondogyo, Vodu, Nova Era, Seicho-No-Ie, Falun Dafa / Falun Gong, Taoísmo, Roma

Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru

 


Loading. Please wait...

Fotos popular