Pravda.ru

Sociedade

Nem chuva e onda da violência impediram de celebrar a chegada do Ano Novo

02.01.2007
 
Nem chuva e onda da violência impediram de celebrar a chegada do Ano Novo

Nem mesmo a chuva e a onda de violência na cidade do Rio de Janeiro impediram aproximadamente 2,2 milhões de pessoas de celebrar a chegada de 2007 nas festas montadas em Copacabana e Ipanema.

Sob esquema de segurança reforçada, aproximadamente 1,2 milhão de pessoas assistiram à tradicional queima de fogos na praia de Copacabana, que neste ano durou mais de 22 minutos.

 O esperado show do Black Eyed Peas começou com atraso, às 0h44, em Ipanema. O horário previsto para o início era às 0h02. A música de abertura foi "Mais que nada" em uma nova versão, sem o brasileiro Sérgio Mendes, com quem o grupo a fez. Serão duas horas de show ininterrupto. A organização explicou que o atraso de 42 minutos ocorreu para que as pessoas chegassem de outras praias.

Segundo a organização, não houve registros de furtos ou roubos.

Em Ipanema, não houve contagem regressiva - o ano chegou mais rápido do que se esperava. As pessoas comemoraram com muito champanhe e entraram no mar, mesmo com uma temperatura mais amena. Muita gente enfrentou a água gelada para pular sete ondas e se banhar.

Em Copacabana, as comemorações seguiram em clima de paz, pois houve menos público que o esperado. A Prefeitura esperava 2 milhões de pessoas, mas o total não chegou a 1 milhão e 500 mil. Situação contrária a Ipanema, que superou a expectativa de público.

Segundo a Policia Militar, em Copacabana não houve nenhum incidente grave, mesmo na área de atendimento médico, mas correu um boato de que houve um tiroteio no Morro Santa Marta e Botafogo. A PM não confirmou a informação. A virada do ano no Rio teve chuva. A previsão é de que não haja sol no primeiro dia do ano.


Loading. Please wait...

Fotos popular