Pravda.ru

Ciência

Implante corrige graves problemas de visão

17.07.2016
 
Implante corrige graves problemas de visão. 24727.jpeg

Implante corrige graves problemas de visão

A cada 7 minutos, implante de lente livra 1 pessoa no mundo de usar óculos. Hoje o implante de uma lente fácica que mantém o cristalino do olho é a mais  avançada tecnologia para corrigir alta miopia, hipermetropia e astigmatismo. São alterações que provocam grande dificuldade de enxergar

  

Hoje o implante de uma lente fácica que mantém o cristalino do olho é a mais  avançada tecnologia para corrigir alta miopia, hipermetropia e astigmatismo. São alterações que provocam grande dificuldade de enxergar, problema que atinge 3,5% da população  ou 7 milhões de brasileiros, conforme o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e estatística).

De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier, um dos precursores dessa técnica cirúrgica no Brasil, a boa notícia é que o implante mais utilizado internacionalmente corrige até 20 graus de miopia, 10 de hipermetropia e 6  de astigmatismo. A cirurgia, comenta, também é indicada na correção de ceratocone, dificuldade leve e moderada de enxergar,  para  quem tem olho seco ou córnea fina.

A  estimativa da empresa que lidera este segmento é de que a cada 7 minutos o implante livra 1 pessoa dos óculos no mundo. Este foi o caso de um paciente de Queiroz Neto, o massoterapeuta, Samuel Jorge Viana Francisco, 36. "Comecei usar óculos aos 7 anos. Quando operei estava com 8 graus de miopia, mais 2,5 de astigmatismo, e tinha dificuldade  para tudo. Fiquei completamente livre dos óculos.  Depois da cirurgia percebi que durante minha vida toda tive correção visual parcial. Hoje enxergo muito melhor", comenta. O médico explica que a nitidez da visão está relacionada ao material biocompatível e à estabilidade do implante que funciona em conjunto com as estruturas oculares. O paciente observa que  tinha de trocar as lentes dos óculos todo ano por causa da alta temperatura do ambiente de trabalho.  Ele calcula que em quatro anos gastava R$ 8 mil nessas trocas. "Isso acabou porque o implante fica dentro do olho. Além de enxergar bem melhor, estou fazendo uma boa economia", comemora.

Cirurgia

Queiroz Neto afirma que a cirurgia  é um procedimento ambulatorial realizado com anestesia tópica. Consiste em fazer uma pequena incisão na borda externa da córnea e inserir uma lente dobrável na câmara posterior, entre a íris (parte colorida do olho) e o cristalino. O procedimento não retira tecido da córnea como acontece na cirurgia refrativa a laser. Por isso, pode ser feito em córneas finas. É indicado para:

  • Pessoas com idade entre 21 e 45 anos.
  • Estabilidade de grau há um ano.
  • Profundidade mínimada câmara anterior, espaço entre a córnea e a íris, de 2,8 mm para evitar a morte das células da camada interna córnea, o endotélio.
  • Boa densidade celular do endotélio.

Contraindicações e riscos

O oftalmologista explica que a lente fácica é contraindicado para gestantes porque durante a gravidez os hormônios fazem com que a refração se torne instável. A cirurgia também pode aumentar o risco de contrair glaucoma. Isso porque,  diminui o espaço da câmara posterior do olho e pode dificultar o escoamento do humor aquoso. Outro risco é o agravamento de inflamação na íris ou retinopatia diabética preexistente. Por isso, o procedimento é contraindicado para portadores dessa doenças e para quem tem glaucoma.

Para evitar complicações é indicado consultar um oftalmologista a cada seis meses no primeiro ano após  cirurgia e a cada ano posteriormente. "As consultas periódicas são essenciais porque a lente pode ser retirada caso seja diagnosticada qualquer alteração que coloque a visão em risco", afirma. Para o médico, o fato de ser reversível torna esta alternativa de tratamento bastante segura.

 

Eutrópia Turazzi

LDC Comunicação

 


Loading. Please wait...

Fotos popular