Pravda.ru

Ciência

Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19

16.04.2020
 
Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19. 33045.jpeg

Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19

 

Pedro Caetano

Seguir

Fármaco-epidemiologista, Oxford, Reino Unido

Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19

Os portugueses estão entre os povos mais afetados e em maior risco do mundo em casos confirmados de infectados de Covid-19 e mortes no mundo pelo SARS-Cov-2, considerando o tamanho da população.

15 abr 2020, 14:44523

Sou cientista fármaco-epidemiologista formado em Harvard e a trabalhar em Oxford. Na resolução de problemas gosto de factos em vez de ilusionismo. Não é com propaganda que salvamos vidas. O Gráfico do final do dia de 14 de abril (fonte infra), baseado nos mesmos dados compilados na melhor faculdade de saúde pública mundial (Johns Hopkins) e inspirado pelo jornal Financial Times, normalizado pelo tamanho da população (por milhão de habitantes), mostra os seguintes factos epidemiológicos:

  • Portugal é um dos piores países do mundo em número de casos confirmados de doentes infetados com Covid-19, tendo quase 1700 casos por cada milhão de habitantes; não muito longe da Itália, EUA ou França (se comparado ao mesmo dia 38 pós-primeiro caso em cada país). Só a Espanha é dramaticamente pior no número de infectados. Quase todos os outros países Europeus e a maioria dos quase 200 países do mundo têm menos infectados confirmados.
  • Em número de mortes por milhão de habitantes, infelizmente com cerca de 50 mortos por cada milhão de habitantes, somos também dos mais letais países por Covid-19 no mundo, embora não tão tragicamente no cimo da tabela como no número de casos. Aqui não só a Espanha mas seis outros países europeus estão significativamente piores que Portugal com 50% a 250% mais mortes por milhão de habitantes. No entanto, estamos logo no segundo pelotão dos mais perigosos, muito pior que a maioria dos países europeus. Estamos, por exemplo, bastante mais perto das mortes nos EUA que da República Checa. Temos 200% (!) mais mortes por milhão de habitantes que a República Checa (dia 14 de Abril que é o dia 16 após a primeira morte na República Checa com 13.4 mortes por milhão versus o dia 16 de Portugal em que havia 27.3 mortes por milhão). Em relação aos EUA temos somente cerca de 30% menos mortes (71,4 versus 49 mortes por milhão de habitantes, 22 dias após a primeira morte em cada país, hoje em Portugal, ontem nos EUA).
  • Até o Brasil parece estar bastante melhor que Portugal com muito menos mortes por milhão de habitantes, cerca de 300% (!) menos mortes por milhão. No dia 12 após a primeira morte, o Brasil tinha 6,3 mortos por milhão, Portugal tinha 20,3 mortos por milhão de habitantes.

É crucial em epidemiologia ou ciência levar em conta esta diferença de tamanho da população dos países como fiz acima e apresentar dados normalizados, em casos por milhão de habitantes. Isto porque até as crianças da escola primaria aprendem na matemática que o número de casos (ou no caso da escola primaria, número de objetos) não se divide por valores absolutos para distorcer a realidade, mas de acordo com o tamanho dos países (por milhão de habitante, ou, na escola primaria, pelo tamanho de cada grupo por quem se dividem os objetos - o meu filho de 5 anos sabe fazer essas contas).

Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19. 33046.jpeg

Casos confirmados por milhão de habitantes

Visão Factual Epidemiológica: Portugal é um dos países mais perigosos do mundo na Covid-19. 33047.jpeg

Mortes por milhão de habitantes

Feito este esclarecimento factual e apresentados os dados epidemiológicos acima como devem ser, estando a saúde e vida dos meus compatriotas em jogo e porque sou um farmacologista e epidemiologista (fármaco-epidemiologista) formado na Harvard University e na London School of Hygiene and Tropical Medicine, respectivamente as melhores faculdades nestas áreas da América e da Europa, devo concluir do exilio Inglês algo crucial para Portugal. Isto por amor profundo às Ciências, à Saúde, à Verdade, a Portugal e aos meus compatriotas, onde tenho tantos queridos amigos e familiares ainda mais queridos, incluindo os mais próximos com mais de 70 anos.

Os portugueses estão entre os povos mais afetados e em maior risco do mundo em casos confirmados de infectados de Covid-19 e mortes no mundo pelo SARS-Cov-2, considerando o tamanho da população.

Não pensava portanto ver vários órgãos da comunicação social nacional serem tão ignorantes (ou pior) e descerem tão baixo, pondo em perigo vidas ao apresentarem sobretudo números absolutos sem os normalizar pelo tamanho da população. Estão assim a desinformar gravemente, por leviandade ou deliberadamente. A esconder factos terríveis e mortais, quando está em risco a vida dos Portugueses.

Estou pois aterrorizado e repugnado com o comportamento cientificamente de idade das trevas, desrespeito pela verdade irresponsável e leviano de certa comunicação social portuguesa tipo Impresa SIC/Expresso (e até do inenarrável New York Times das notícias falsas ou ideológicas ao elogiar Portugal sem verificar estes factos).

Tais falsas noticias baseiam-se em apregoar a toda a hora números absolutos não normalizados por população, mentindo que a situação é "globalmente muito positiva em Portugal, somos dos melhores" (citação no telejornal da SIC deste Domingo), ou, como é sugerido repetidamente no Expresso, com muitos melhores lideres (Presidente e PM) e melhores resultados que os outros países.

Alardeiam, erradamente face aos casos confirmados e resultados normalizados pelo tamanho da população, que a situação é muito melhor e mais bem gerida em Portugal que nos outros países, incluindo EUA e Brasil. Isto quando, factualmente, em mortes por milhão de habitantes, o primeiro destes países está só um pouco acima de Portugal (EUA com 30% mais mortes) e o segundo bastante abaixo (Brasil com 300% menos mortes).

Jornalistas da SIC sempre elogiados pelo Presidente da República ou primeiro-ministro e vice-versa andam assim, sem nada questionar, a desinformar os portugueses que um pais pequeno com 30 vezes menos população que outros países está muito melhor. Isto apenas porque em valores absolutos também tem menos casos de Covid-19. Claro e obviamente que temos menos casos absolutos que os EUA, por exemplo, pois também temos muitos menos habitantes: só 10 milhões em vez de 330 milhões!

É aterrador que os suspeitos habituais de subserviência governativa da comunicação social portuguesa, bem como as fracas autoridades de saúde do meu pais, sejam cúmplices por leviandade ou maldade, com propaganda política, não factual nem epidemiológica, pondo em risco a vida dos portugueses.

Isto dá irresponsavelmente à população um sentido de falsa segurança não baseado nos números epidemiológicos corretamente normalizados. Os cidadãos são levados a pensar, erradamente, que estão mais seguros em Portugal que na maioria dos outros países. Isto quando o nosso é um dos países do mundo mais perigosos em relação à infeção (Top 5 do mundo) e morte por Covid-19 (Top 10 no mundo inteiro).

Fonte: https://91-divoc.com/pages/covid-visualization/ consultada a 14 de Abril de 2019, 23 horas.

 

Pedro Caetano é MPH (Harvard), PgDip (Oxford), PgDip (London), MS (Michigan), PharmD (Ohio State), MBA (ESSEC), MBA (Mannheim), PhD (Michigan); Ex-Professor de Farmacologia e Epidemiologia na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Lisboa: Atual Director Global da Industria Farmacêutica baseado no condado de Oxford, Reino Unido.

 

 

 

Posted by luisavasconcellos2012@gmail.com


Fotos popular