Pravda.ru

Ciência

Sobre a Descoberta de um Novo Dinossáurio Proveniente de África

15.10.2009
 
Sobre a Descoberta de um Novo Dinossáurio Proveniente de África

A participação do Museu Nacional de História Natural (Universidade de Lisboa) num projecto de cooperação no Níger - Durante os invernos de 2003 e 2007, dois elementos do Museu Nacional de História Natural (Universidade de Lisboa) (MNHN-UL), Pedro M. Dantas e Bruno F. Ribeiro, integraram uma equipa científica, maioritariamente espanhola, à zona de Aberdissinat a sul do deserto do Sahara, en Agadez (Níger).

Durante os invernos de 2003 e 2007, dois elementos do Museu Nacional de História Natural (Universidade de Lisboa) (MNHN-UL), Pedro M. Dantas e Bruno F. Ribeiro, integraram uma equipa científica, maioritariamente espanhola, à zona de Aberdissinat a sul do deserto do Sahara, en Agadez (Níger). Estas expedições faziam parte de um projecto denominado “PALDES” que, de forma ininterrupta desde 2003, pretende potenciar o enorme património paleontológico da zona (sobretudo os dinossáurios) transformando-o num recurso económico que beneficie a população da região, principalmente de etnias Touareg y Peul.

Entre outras acções, o PALDES pretende analisar, valorizar e proteger as jazidas paleontológicas da zona, e estabelecer infraestruturas locais, como o recentemente concluído Museu Paleontológico de Tadibene. A vertente paleontológica do projecto “PALDES” incluía trabalhos de prospecção, escavação e estudo. Ao mesmo tempo, um outro projecto de origem alemã (Níger Project SNHM) incidia na mesma zona com alguns propósitos similares. A reunião de esforços das duas equipas possibilitou trazer à luz do conhecimento mais uma forma de dinossáurio de grandes dimensões: Spinophorosaurus nigeriensis foi o nome que lhe foi atribuído, tratando-se de um género e de uma espécie novos para a Ciência. Os resultados apareceram recentemente publicados (Setembro de 2009) na literatura científica especializada.

LOCALIZAÇÃO DA JAZIDA – Zona norte da Comunidade Rural de Aberdissinat (Região de Agadez, sector central da República do Níger).

GEOLOGIA E ESTRATIGRAFIA – A jazida onde foram encontrados os fósseis em causa pertence, litostratigraficamente falando, à base do “Grupo Irhazer” e é composta por sedimentos siltíticos vermelhos maciços a finamente laminados. Paleossolos e depósitos carbonatados estão aqui também presentes. A idade mais provável destes níveis é apontada, tentativamente, ao Jurássico médio.

DATAÇÃO – A datação tentativa para estes níveis fossilíferos situar-se-á algures entre os 175 e os 154 Ma (= milhões de anos).

MATERIAL ANALISADO – Dois indivíduos; um deles composto por algum material cranial e por quase todo o esqueleto post-cranial, o outro, por sua vez, inclui uma parte do crânio e diversos elementos ósseos post-craniais.

CLASSIFICAÇÃO – Face à grande quantidade de peças em análise e dadas as características osteológicas dos dois indivíduos estudados, trata-se de uma nova forma de dinossáurio, filogeneticamente colocada entre as mais primitivas do grande grupo dos saurópodes (dinossáurios quadrúpedes, herbívoros e, por norma, passíveis de atingir grande tamanho).

Este novo dinossáurio constitui uma das evidências mais completas de saurópodes primitivos conhecida. Até agora, a informação acerca da origem dos saurópodes procedia fundamentalmente do registo chinês, apoiada por alguns restos fragmentários na América do Sul e da Índia. Spinophorosaurus nigerensis (“o sáurio com espinhas do Níger”) é uma forma muito primitiva e surpreendentemente próxima aos registos asiáticos, trazendo novos dados acerca da distribuição destes dinossáurios durante os primeiros momentos da fragmentação do supercontinente Pangea.

Fonte: Universidade de Lisboa


Loading. Please wait...

Fotos popular