Pravda.ru

Ciência

Desafio do Luz para Todos é garantir acesso à energia elétrica na região amazônica

15.06.2008
 
Desafio do Luz para Todos é garantir acesso à energia elétrica na região amazônica

Em entrevista ao Bom Dia Ministro, transmitida via satélite para rádios de todo o País nesta quinta-feira (12), o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, destacou os resultados obtidos com o programa Luz para Todos, alternativas de atendimento às regiões mais remotas e reafirmou o compromisso do governo federal de garantir o acesso à energia elétrica a todos os brasileiros.


Veja os principais trechos.


Luz para Todos - "Em 2003, o governo fez um levantamento com base no censo do IBGE de 2000 e concluiu que havia cerca de dois milhões de domicílios sem energia elétrica no Brasil. Realizou-se um trabalho estratégico no sentido de atender a esses 10 milhões de brasil eiros até o ano de 2008. Ao longo da aplicação do projeto chegamos à conclusão de que o número de excluídos era muito maior. O governo já investiu cerca de 9 bilhões de reais no Luz para Todos.

Mas falta uma boa parte do cumprimento das nossas metas. Então, decidimos, sobretudo devido a uma iniciativa do presidente Lula, que o programa prosseguirá até o final do presente governo. Isso porque, além de a meta não ter sido totalmente alcançada, houve novas demandas e pedidos de ligação de energia. Tudo que for apresentado como solicitação nova será atendido em todos os estados da Federação."


LPT no Amazonas -" O Amazonas é um estado imenso, com muitas dificuldades de acesso aos municípios do interior e, sobretudo, aos povoados. Imagine quanto custa o transporte de um poste de concreto, além de fios de cobre, equipamentos, operários. É uma operação de guerra.

Estamos concebendo um sistema atualmente na tentativa de resolver esses problemas. Esse sistema consiste em colocar os fios elétricos em árvores em vez de instalar postes. É muito difícil chegar lá, mas estamos chegando. O que desejamos é a universalização do benefício da energia elétrica neste País e todos os brasileiros que ainda não têm o beneficio da energia elétrica em suas residências haverão de tê-lo até o final do governo Lula. Em cada estado temos, além da distribuidora que recebe as reivindicações das pessoas que não possuem energia, um comitê gestor e um representante do Ministério de Minas e Energia.

Estamos concebendo novas formas de atendimento. Uma delas é o uso da energia solar. Estamos desenvolvendo baterias em algumas universidades. Isso tudo para facilitar a presença da energia nos rincões mais distantes. Outras formas estão sendo concebidas, como, por exemplo, uma pequena turbina de baixo custo para rios que vai gerar algo em torno de 1MW, atendendo a cerca de 150 residências. Isso demonstra o esforço que o ministério está fazendo para, afinal, levar energia e létrica para todos os brasileiros."

LPT Piauí -"O Piauí é um dos estados mais atrasados no Programa Luz para Todos. Tivemos um problema muito sério, com aquela questão das licitações sendo anuladas. Acabamos por fazer quase uma intervenção no sistema do Piauí através da Chesf. Mas vamos recuperar o tempo perdido a partir de 2008. Estamos tomando todas as providências. A Cepisa participa de um pool de empresas federalizadas de distribuição de energia elétrica que pertencem a Eletrobrás. São sete empresas no total e todas essas empresas estão agora submetidas a uma nova direção, centralizada. A situação da Cepisa haverá de mudar radicalmente. Vamos atender, a partir deste ano, a todas essas demandas que deveriam ter sido atendidas ao longo dos anos anteriores. "

LPT Maranhão -"Nós estamos ligando, no Maranhão, de seis mil a dez mil residências por mês. Ao final do ano, teremos feito a ligação para 120 mil residências no estado do Maranhão, atendendo a cerca de 600 mil pessoas."

Iluminação pública - Esse não é um problema do Luz para Todos. Essa é uma questão de administração local, da prefeitura. A iluminação pública da cidade faz parte de uma ação da prefeitura com a distribuidora de energia. O Luz para Todos vai ao interior, aos povoados onde não há postes e cabeamento, onde não há energia elétrica."

Biomassa -"Vamos fazer no próximo mês um leilão da biomassa. Vai se fazer um leilão para que termoelétricas movidas a bagaço de cana-de-açúcar entrem em funcionamento em todo o Brasil. Os interessados poderão produzir essa energia e será incorporada em todo o sistema nacional interligado da energia elétrica."

Intercâmbio energético - "Estamos comprando gás da Bolívia, como também compramos GNL de outros países. Fornecemos energia elétrica, por exemplo, para o Uruguai e para a Argentina e, ao mesmo tempo, estamos recebendo um pouco de energia da Venezuela. Esse intercâmbio de ener gia é natural entre os países do mundo."

Itaipu - "O povo brasileiro pode ficar absolutamente tranqüilo e os paraguaios também. O acordo binacional entre os dois países é um monumento jurídico de tão bem elaborado. A Hidrelétrica foi construída nos governos militares e tem hoje 14 mil MW. Usamos a energia que cabe ao Brasil e compramos a energia do Paraguai, que tem tido muito lucro. O Brasil se beneficia tanto quanto o paraguaio, que está recebendo dividendos. Já recebeu cerca de cinco bilhões de dólares por conta da venda de sua energia ao Brasil."

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República


Loading. Please wait...

Fotos popular