Pravda.ru

Ciência

ONG de pessoas que vivem com HIV distribui camisinhas em bailes de Campinas

14.02.2010
 
ONG de pessoas que vivem com HIV distribui camisinhas em bailes de Campinas

Bailes, festas e desfiles de pré-carnaval em Campinas já contam com o trabalho de estímulo à prevenção da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis. Nesta semana, pelo menos 12 mil camisinhas foram distribuídas em boates, bares e nas ruas, pela organização não-governamental Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids (RNP+), instituição parceira da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Campinas.


A ONG também participa, a partir desta sexta, 12, até a noite de terça-feira, 16, do trabalho de conscientização e apoio nos dias de desfile de bandas, blocos carnavalescos e escolas de samba no Carnaval das Copas, realizado pela Prefeitura, na Avenida Rui de Almeida Barbosa, na Vila Industrial. As ações de estímulo ao uso da camisinha para prevenção à Aids estão relacionadas à campanha “Vista-se! Use sempre camisinha.” do Ministério da Saúde (MS).


O Ministério, por meio do Programa Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais, desenvolve a campanha com a seguinte mensagem “Camisinha, com amor, com paixão ou só sexo mesmo, use sempre”. De acordo com o Ministério da Saúde, a campanha de Carnaval 2010 tem como público alvo os jovens na faixa etária de 16 a 24 anos, com prioridade para mulheres jovens e homens gays.

Segundo o MS, diversos fatores explicam a maior vulnerabilidade dos jovens para a infecção pelo HIV. Entre as meninas, as relações desiguais de gênero e o não reconhecimento de seus direitos, o que inclui a legitimidade do exercício da sexualidade, são algumas dessas razões. Ainda no entender do MS, no caso dos jovens gays, falar sobre a sexualidade é ainda mais difícil que entre heterossexuais, pois sofrem preconceito na escola, muitas vezes, na família e na sociedade de forma geral. Isso faz com que a baixa auto-estima os leve a baixar a guarda na hora de se prevenir.

A representante Legal da RNP+ Campinas, Solange Moraes, destaca que a importância da parceria está relacionada à continuidade destas ações em outras datas importantes. "Sempre em parceria com o Programa Municipal de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids, nossa atuação é tanto na prevenção quanto no acolhimento das pessoas já atingidas pelo HIV/Aids, trabalho contínuo e que é executado durante todo o ano", ressalta a coordenadora da RNP+ Campinas.

Segundo o coordenador da ONG para as ações relacionadas ao Carnaval, José Carlos Morais Silva, a ONG levará pelo menos vinte voluntários e ativistas para a "Avenida do Samba". Ele explica que a ONG vai trabalhar em parceria com o Programa Municipal de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (PMDST/Aids), da Secretaria da Saúde, que trabalhará com cerca de quarenta profissionais. Além de camisinhas, a Rede de Pessoas Vivendo com HIV/Aids também distribuirá material informativo e educativo. "Estaremos orientando e tirando dúvidas sobre como acessar os serviços públicos disponíveis para o teste de HIV, onde conseguir camisinhas o ano todo e onde encontrar tratamento", afirma.

Neste período pré-carnavalesco, conforme esclarece José Carlos Morais Silva, a RNP+ já participou de eventos em três boates de gays, lésbicas e simpatizantes (GLS) da cidade. Neste ano, o MS orienta os estados, municípios e ONGs a direcionarem suas campanhas principalmente aos gays e mulheres jovens.

Além disso, a RNP+ participou de desfiles como o da City Banda, no último sábado (6/2/2010), e do Nem Sangue Nem Areia, no domingo (7/2/2010), além de trabalhos conjuntos com o Programa de DST/Aids, na Estação Cultura (29/1/2010) e na Praça Bento Quirino (30/1/2010). Durante os dias de desfile, a RNP+ trabalhará com duas equipes. "Enquanto uma equipe de voluntários e ativistas estará na Avenida do Samba, outra vai percorrer diversos bairros em outros eventos de Carnaval", disse Silva. Segundo o integrante da RNP+, serão visitados bailes, bares, clubes, boates e festas de rua.

Ele destaca a importância do trabalho de prevenção à Aids realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Campinas. "O Brasil sempre é lembrado como referência no controle da Aids e Campinas é um município referência para todo o Brasil", disse. Para o coordenador, a importância da parceria com a Secretaria Municipal da Saúde está na possibilidade da realização de trabalhos como este de popularizar o incentivo à prevenção.

Eli Fernandes


Loading. Please wait...

Fotos popular