Pravda.ru

Ciência

Tempo seco eleva automedicação com colírios

13.03.2014
 
Tempo seco eleva automedicação com colírios. 19976.jpeg

Uso indiscriminado de colírios para aliviar  desconforto ocular pode causar graves doenças e até cegar. Hormônios sexuais aumentam riscos entre mulheres

O calor e tempo seco deste verão estão aumentando o uso indiscriminado de colírios. A automedicação comparada ao mesmo período de anos anteriores, passou de 40% para 45% entre os pacientes atendidos pelo Instituto Penido Burnier. É o que mostram os prontuários, segundo o oftalmologista do hospital, Leôncio Queiroz Neto.

O especialista afirma que a baixa umidade atípica nos primeiros meses de 2014 está facilitando o aparecimento da síndrome do olho seco menos comum nesta época do ano. A doença altera a quantidade ou qualidade da lágrima. O filme lacrimal tem a função de proteger, oxigenar, umedecer, além de manter limpa a superfície da córnea e da conjuntiva. Por isso, quando sofre alterações predispõe a doenças na superfície ocular.

O médico diz que o colírio mais usado por conta própria é o vasoconstritor ou adstringente que deixa os olhos branquinhos. O uso prolongado pode causar catarata precoce.  Para quem tem hipertensão arterial é perigoso porque contrai os vasos do corpo todo.

O problema, ressalta, é que alguns sintomas do olho seco são iguais aos da alergia, conjuntivite viral ou bacteriana, embora os tratamentos sejam bastante diferentes.

Quem se automedica geralmente é influenciado por receitas antigas, recomendação de amigos ou familiares. O uso de um colírio qualquer pode mascarar temporariamente o olho seco ou outra doença, além de causar doenças graves como a catarata e o glaucoma que podem cegar. O risco do colírio antibiótico sem supervisão médica é ficar resistente à bactéria por uso além do tempo. Os antiinflamatórios não-hormonais podem desencadear processos alérgicos e os que contêm corticóide podem causar glaucoma e catarata se usados além do tempo necessário que varia de uma pessoa para outra.

Sintomas e tratamento

Os principais sintomas em comum entre as três doenças são: olhos vermelhos e irritados, coceira, queimação, visão borrada e sensibilidade á luz. O olho seco ainda é caracterizado por desconforto após ver televisão, ler ou trabalhar no computador.

Queiroz Neto afirma que o tratamento pode ser feito com colírio de lágrima artificial que não tem efeitos colaterais mais graves, mas deve ser usado sob a supervisão de um especialista. Isso porque, só tem indicação para olho seco.

Alerta aos homens

Para algumas pessoas, ele diz que pode ser necessário incluir na dieta castanha-do-pará, sardinha e salmão que são ricos em ômega 3 ou tomar cápsulas de semente de linhaça, lembrando que esta terapia é contraindicada aos homens por aumentar o risco de hiperplasia prostática. Nos casos mais graves é feita uma microcirurgia com a oclusão do canal lacrimal por um pequeno plugue.

Riscos entre mulheres

O especialista destaca outros fatores que contribuem com o desenvolvimento do olho seco - exposição ao vento, poluição, excesso de ar condicionado, lente de contato, medicamentos beta-bloqueadores, antidepressivos, anti-histamínicos, pílula anticoncepcional e a menopausa. 

Para mulheres, além do anticoncepcional no período fértil e da menopausa, ele lembra que durante a gravidez é comum os olhos ficarem vermelhos e secos por causa do aumento da produção de hormônios. Usar colírio vasoconstritor na gestação reduz o fluxo de sangue na placenta e pode afetar a saúde do bebê.

Quem tem glaucoma deve passar por reavaliação, Alguns colírios antiglaucomatosos podem interromper a gestação e outros alteram a o ritmo cardíaco do feto. Na gravidez todo cuidado para evitar a conjuntivite é pouco. Os colírios antibióticos indicados no tratamento da bacteriana podem afetar a imunidade do bebê e os antiinflamatórios com corticóide podem colocar a gestação em risco por induzirem a grande retenção de água pelo organismo da mãe.

Prevenção

Para se ver livre da irritação ocular causada por cloro de piscina, água do mar  ou poluição a dica de Queiroz Neto é usar compressas frias feitas com gaze embebida em água potável. Se o sintoma não desaparecer em 2 dias consulte um oftalmologista porque indica doença latente

Na dieta, além de incluir alimentos ricos em Ômega 3, tome 2 litros de água/dia para manter o organismo hidratado. As dicas do médico para prevenir os diversos tipos de conjuntivite são:

  • Mantenha as mãos sempre limpas.
  • Evite coçar os olhos.
  • Depois de lavar as mãos, higienize com solução de 70% de álcool.
  • Quem compartilha computador deve limpar o mouse e o teclado com álcool a 70%.
  • Evite tocar no corrimão de escadas púbicas.
  • Não compartilhe colírio, toalhas, fronhas ou maquiagem.

         Evite usar filtro solar ao redor dos olhos. Proteja a pele da região com óculos solar.

 

Eutrópia Turazzi

LDC Comunicação


Loading. Please wait...

Fotos popular