Pravda.ru

Ciência

Infarmed financia investigação da UC na área da Diabetes

12.12.2016
 
Infarmed financia investigação da UC na área da Diabetes. 25622.jpeg

Infarmed financia investigação da UC na área da Diabetes

Dois projetos de investigação da Universidade de Coimbra (UC), na área da Diabetes, foram distinguidos pelo Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde - com o "Fundo para a Investigação em Saúde".

O projeto "Identificação de novos biomarcadores precoces das complicações da diabetes: do metabolismo à imagiologia multimodal de sistemas" é liderado por Miguel Castelo-Branco, docente da Faculdade de Medicina (FMUC) e Diretor do Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde da UC (ICNAS), e obteve 130 mil euros de financiamento.

Esta investigação «visa essencialmente o uso de tecnologias sofisticadas (neurofisiologia, imagiologia metabólica, estrutural e funcional de vários órgãos) para diagnosticar as complicações da diabetes da forma mais precoce possível. É um projeto de descoberta de biomarcadores para medicina preventiva», explica o docente.

Infarmed financia investigação da UC na área da Diabetes. 25623.jpeg

Já o projeto "Microbioma de feridas diabéticas: diagnóstico precoce, prognóstico e terapia", do Centro de Neurociências e Biologia Celular da UC (CNC), conquistou 100 mil euros para encontrar uma solução para a ferida crónica do pé diabético, que afeta mundialmente cerca de 70 milhões de pessoas e que pode levar a amputações.

O projeto, coordenado por Sónia Gonçalves Pereira, do grupo "Micobacteriologia Molecular e Microbioma" liderado por Nuno Empadinhas, resulta da colaboração com o grupo "Obesidade, Diabetes e Complicações" dirigido por Eugénia Carvalho, cuja investigação prévia abriu caminho à abordagem inovadora agora proposta para as feridas diabéticas crónicas.

A investigação, que tem a participação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), pretende caraterizar os microrganismos (microbiota) da pele e de feridas diabéticas, e identificar combinações microbianas indicativas da evolução das mesmas (prognóstico) para diagnóstico precoce.

Sónia Gonçalves Pereira sublinha que «atualmente desconhecem-se as razões pelas quais algumas feridas diabéticas cicatrizam e outras se tornam crónicas, embora estudos recentes apontem para desequilíbrios na composição da microbiota da pele como fator determinante».

O Fundo para a Investigação em Saúde, de acordo com o Infarmed, financia atividades e projetos de investigação «dirigidos para a proteção, promoção e melhoria da saúde das pessoas, nomeadamente nas áreas de investigação clínica, investigação básica e translacional, com potencial interesse clínico ou em terapêutica e investigação em saúde pública e serviços de saúde».

Coimbra, 12 de dezembro de 2016

 

Cristina Pinto

Universidade de Coimbra

 


Loading. Please wait...

Fotos popular