Pravda.ru

Ciência

Alergia cresce mais de 50% até 2050

12.06.2016
 
Alergia cresce mais de 50% até 2050. 24512.jpeg

Alergia cresce mais de 50% até 2050

Metade dos brasileiros deve ter alergia em 2050. A incidência do distúrbio que cresce no frio e atinge os olhos de 6 em cada 10 alérgicos deve passar de 30% para 50% segundo a OMS. Saiba como se proteger.

 

No mundo todo as doenças alérgicas não param de crescer. No Brasil não é diferente. Há 10 anos as alergias atingiam 20% da população. Hoje, de acordo com  a Asbai(Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia) atingem 30% das pessoas com predominância da asma, rinite e sinusite que crescem no frio. A previsão da OMS (Organização Mundial da Saúde)  é de que até 2050 metade dos brasileiros tenha algum tipo de alergia.

Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier a confirmação dessa previsão indica um crescimento exponencial de problemas de visão. Isso porque, estudos mostram que 6 em cada 10 alérgicos manifestam a doença nos olhos. Esta reação em cadeia,  explica, é  decorrente da diminuição da lágrima que é agravada pelo frio. "A lágrima representa  a defesa da superfície ocular. Na sua falta o sistema imunológico entende que é necessário produzir mais anticorpos para proteger os olhos", afirma.  O resultado é a conjuntivite alérgica que tem como sintomas coceira intensa, vermelhidão,  inchaço das pálpebras e fotofobia.

Tratamento evita deformação da córnea

Nem é preciso dizer que a coceira faz os alérgicos levarem as mãos aos olhos. O problema, comenta,  é que quando coçam, desorganizam  as fibras de colágeno, tornando irregular a superfície da córnea, membrana externa e transparente do olho responsável pelo foco. Isso  induz ao astigmatismo, vício de refração  que dificulta a visão de perto e de longe por formar mais de um foco sobre a retina.

A dica do médico para não coçar os olhos numa crise alérgica é aplicar compressas feitas com gaze embebida em água gelada e consultar um oftalmologista imediatamente. O tratamento é feito com lágrima artificial associada a  colírio anti-histamínico ou a corticóide  nos casos mais severos. Muitos alérgicos, comenta, só buscam tratamento quando o astigmatismo já evoluiu para ceratocone, doença que afina a córnea e responde por 70% dos transplantes no Brasil. É o que acontece com metade dos alérgicos de acordo com um estudo realizado por Queiroz Neto com 315 portadores de ceratocone.

Como proteger os olhos

O estudo também mostra que um em cada 4 tem olho seco, independente da estação. Para evitar o ressecamento dos olhos as recomendações  do médico são:

Dieta rica em vitaminas A e E encontradas em frutas, verduras e legumes.

Evitar carne bovina, carboidratos e gordura.

Suplementação de Ômega 3 encontrado em semente de linhaça, sardinha, bacalhau e nozes

Proteger os olhos do vento, poeira, fumaça e produtos em spray.

Eliminar o uso de aquecedor de ambiente que retira a umidade do ar.

Evitar o uso de travesseiros de pena e produtos em pó.

Manter os ambientes livres de poeira e  com  vasilha de água para hidratar o ar.

Beba água com frequência para hidratar o corpo.

O oftalmologista ressalta que 68% dos participantes no estudo afirmaram que usam colírios sobre as lentes de contato, único meio de correção visual para 61% A recomendação é instilar o colírio sempre diretamente sobre os olhos. Usar colírio sobre as lentes antecipa o vencimento, porque cria depósitos que  as deformam, além da absorção do s colírios ser menor, conclui.

Eutrópia Turazzi

LDC Comunicação

 


Loading. Please wait...

Fotos popular