Pravda.ru

Ciência

Investimentos em energia eólica amplia capacidade de geração na Bahia

11.03.2013
 
Investimentos em energia eólica amplia capacidade de geração na Bahia. 17979.jpeg

Anúncio da parceria entre as empresas Alstom e Renova Energia para construção de parques eólicos

Secom/Ba
Foto: Manu Dias/Ba
 
O setor eólico na Bahia vai receber, até 2014, R$ 6,5 bilhões de investimentos, que irão gerar cinco mil empregos na implantação e 500 na operação dos projetos. Nesta segunda-feira (4), o governador Jaques Wagner apresentou, no Restaurante Amado, na Avenida Contorno, em Salvador, a parceria firmada entre as empresas Renova Energia e Alstom, um investimento de um bilhão de euros, o equivalente a R$ 2,7 bilhões.


A Alstom vai fornecer 440 aerogeradores destinados aos parques eólicos de Caetité, Guanambi e Igaporã, na região sudoeste do estado, que, juntos, têm capacidade para produzir, no mínimo, 1,2 GW ou quase o total produzido no mercado brasileiro de energia eólica. Produzidos na unidade de Camaçari, os equipamentos começam a ser entregues a partir de 2015, ao longo de três a quatro anos. Em decorrência da encomenda, a empresa duplicará a fábrica instalada na Bahia.


Durante o evento também estavam presentes os presidentes Renova Energia, que lidera o mercado de energia eólica contratada do Brasil, Mathias Becker, e da multinacional francesa Alstom, líder global em infraestrutura ferroviária e geração de transmissão de energia, Patrick Kron, além do presidente da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), João Bosco.


"Vamos continuar dando sustentação para esses parques eólicos, tanto pelo que eles representam para produção de energia limpa quanto pela interiorização das riquezas e geração de empregos para Bahia", afirmou o governador, ao destacar a atração de investimentos para o setor de energia limpa para o estado, que já conta com fábricas de torres e geradores. A meta é atrair também fabricantes de hélices, completando a cadeia produtiva do segmento.


De acordo com o presidente da Alstom, Patrick Kron, a empresa quer contribuir com o desenvolvimento da indústria eólica. "Esse contrato nos coloca em um novo patamar". Ele destacou que a parceria é uma das maiores do mercado mundial de aerogeradores onshore. O presidente da empresa no Brasil, Marcos Costa, acrescentou que o contrato aumenta a competitividade do setor no país. "Estamos com tecnologia de ponta, com máquinas adaptadas às condições de vento da região, o que significa mais competitividade e redução da tarifa".


A estimativa da Renova Energia é que a escolha de aerogeradores adaptados otimize a geração de energia eólica, com ganhos de 3% em produtividade. "Além do parque de Caetité, existem três outras áreas que estamos procurando desenvolver com capacidade equivalente. O potencial de crescimento da energia eólica na Bahia é muito grande e por muito tempo".


Prospecção arqueológica
No total, a empresa possui mais de um gigawatt de capacidade instalada contratada em 14 parques eólicos. Inaugurado em julho de 2012, o maior complexo da América Latina só aguarda a interligação com linhas de transmissão da Chesf. "O prazo é entregar tudo até o final do ano. O único ponto pendente é a prospecção arqueológica, que já está em curso", esclarece o presidente da Chesf, João Bosco.


http://www.noticiasdabahia.com.br/ultimas_noticias.php?cod=20603
 


Loading. Please wait...

Fotos popular