Pravda.ru

Federação Russa

Rússia e UE : Novo "Acordo de Cooperação e Parceria "

31.07.2006
 
Rússia e UE : Novo "Acordo de Cooperação e Parceria "

O atual “Acordo de Cooperação e Parceria” entre a Rússia e União Europeia vence este ano. A Rússia começou a preparar propostas para serem incluídas no novo “Acordo de Cooperação e Parceria” com a União Européia.

 Segundo Serghei Yastrjembski, enviado especial do presidente da República para Desenvolvimento das Relações com a União Européia , a Rússia vê o novo documento como um acordo integral, o qual deveria proclamar a criação de quatro espaços comuns nas áreas da segurança interna e externa, Justiça, ciências e ensino.

 Já existem uns planos concretos de implementação dessa idéia: os chamados “Mapas do Caminho”. Essa proposta da Rússia já foi aceita pela União Européia. Moscovo gostaria que o novo texto do acordo delineasse uma tática conjunta a adotar no combate ao terrorismo internacional e na luta contra o narcotráfico. E, claro está, a perspetiva de facilitar os procedimentos consulares aos cidadãos russos para futuramente poderem prescindir do requerimento do visto.

 Uns certos entendimentos classificados como projetos a longo prazo provam que a Rússia desejaria ver, na verdade, a União Européia como um seu parceiro estratégico.

 É, por exemplo, o projeto na área das pesquisas espaciais, especialmente o acordo assinado com a França para construção de um cosmódromo na Guiana Francesa para lançamentos de foguetes portadores russos. Um outro projeto estratégico é a construção de um gasoduto que passará pelo fundo do mar Báltico para levar de forma ininterrupta gás russo à Europa Ocidental.

Por seu lado, o presidente da Comissão Européia, como se chama o órgão executivo da União Européia, José Manuel Barroso, espera que o novo acordo proclame a parceria da Rússua quanto à segurança energética dos países oeste-europeus.

Também preconiza umas medidas que resultem na criação de fato de uma zona de livre comércio em todo o território da União Européia e Rússia. Todavia, nem todas as coisas estão andando na maciota na preparação de novo texto.

Por exemplo, a Polônia, a Letônia, a Lituânia e a Estônia já se manifestaram contra os planos anunciados pela Rússia para garantir a segurança energética da Europa Ocidental. Esses países formularam uma tese esquisita e politicamente impensada sobre “uma Munique energética”, isto é, sobre um conluio contra os seus interesses.

 Igualmente, os Estados Unidos mostram-se obviamente negativos contra os planos de estreitamento da cooperação entre a União Européia e a Rússia. No intuito de afastar as eventuais discordâncias e mal-entendidos na preparação de novo “Acordo de Cooperação e Parceria”, a Finlândia, que atualmente exerce a presidência rotativa na União Européia, convidou Vladimir Putin para uma reunião com os chefes de Estado e de Governo dos 25 países membros dessa comunidade.

 É muito importante que o novo documento integral a celebrar com Moscovo, o qual deverá entrar em vigor no 1 de janeiro de 2007, é firmemente apoiado pelos países mais importantes da União Européia: a Alemanha, a Grã-Bretanha e a França.


Loading. Please wait...

Fotos popular