Pravda.ru

Federação Russa

Os rebeldes de Benghazi e Al-Qaeda

29.03.2011
 

A Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, declarou que os Estados Unidos da América considera que é legal de fornecer armas para as forças rebeldes dentro da Líbia, uma nação soberana, em contradição direta dos termos da Carta da ONU e o direito internacional. Apresentamos provas de que os rebeldes de Benghazi têm ligações a Al Qaeda.

Hillary Clinton é mais um membro da administração Obama a demonstrar sua total incompetência para permanecer no seu posto. Sob a Carta da ONU, qualquer ato de guerra ou de agressão dentro de um Estado soberano deve passar por uma resolução em separado no Conselho de Segurança e de qualquer forma a Carta da ONU proíbe a ingerência nos assuntos internos, armando grupos rebeldes dentro de um Estado soberano.

A Cimeira de Londres foi, numa palavra, um desastre, colocando OTAN contra Washington e dividindo a camarilha de nações pressupostos a lançar uma orgia de ingerência imperialista onde não são chamados.

Não há absolutamente nada na resolução de 1970 ou Resolução 1973, que permitem o abastecimento de armas para a Líbia ou qualquer grupo dentro da Líbia e não há nada na resolução do segunda, que contradiz a primeira. A expressão "quaisquer medidas" foi tomada fora de contexto por Clinton e seus amigos belicistas nos lobbies de armas e de energia - é expressamente declarado no documento da ONU que "todas as medidas" se refere a uma zona de exclusão aérea. Além disso, o único parágrafo substituindo o texto da Resolução 1970, em 1973, é o n º 11, que refere-se a inspeccionar os navios e aeronaves para reforçar

o não-fornecimento de armamento.

Dito isto, é agora claro que Muammar Al-Qathafi estava certo desde o início: os rebeldes de Benghazi têm ligações à Al-Qaeda. Presidente Idris Déby do Chade confirmou que a Al-Qaeda tenha roubado uma grande quantidade de armas dos depósitos de armas em meio ao caos causado pela "rebeldes" e agora, o comandante dos rebeldes, Abdel-Hakim al-Hasidi, declarou que entre os as tropas de combate contra as autoridades de Al-Qathafi, são combatentes da Al-Qaeda que combateram as forças dos EUA no Afeganistão.

Al-Hasidi, que foi capturado no Paquistão organizando a luta contra as forças dos EUA, declarou em entrevista ao jornal italiano Il Sole 24 Ore de que ele havia recrutado efectivos para combater as forças dos EUA no Iraque, onde a maioria dos bombistas suicidas vinham de Benghazi.

Os que deveriam renunciar são Hillary Clinton, os presidentes Obama e Sarkozy e o primeiro-ministro Cameron. Não só eles entraram de forma precipitada em um conflito que mal entenderam desde o início, eles não apenas tentaram dar a sua interpretação ao direito internacional, mais uma vez, e desrespeitaram a Carta da ONU, mas agora pretendem conspirar com Al-Qaeda.

E gastar centenas de milhões de dólares em fazê-lo.

Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru

 


Loading. Please wait...

Fotos popular