Pravda.ru

Federação Russa

Lavrov: Rússia não poderia ter tomado uma decisão diferente

28.08.2008
 
Lavrov: Rússia não poderia ter tomado uma decisão diferente

Ministro das Relações Exteriores da Federação Russa declara que a situação é bastante clara – Rússia só teve uma decisão a tomar depois da chacina de civis pelas forças armadas georgianas, que são treinadas pelos Estados Unidos da América

Sergei Lavrov: “Penso que a situação é absolutamente clara. Rússia simplesmente não podia ter tomado - e não tinha o direito de tomar - uma decisão diferente, considerando a história das questões da Abcásia e da Ossétia do Sul, incluindo nos últimos anos o processo de liquidação, em ambos os casos, iniciadas após a tentativa de criar, como Presidente Zviad Gamsakhurdia disse, em 1989, uma "Geórgia para georgianos", que foi interrompida graças aos esforços da paz russos por que não permitiu genocídio a acontecer.

“Este processo de resolução foi continuamente encontrando obstáculos a partir do lado georgiano, que foi no desrespeito de todos os seus acordos, minando a criação de mecanismos de negociação com a sua participação, regularmente arranjando cenas e provocações em relação à Rússia na manutenção da paz, e manifestando a sua constante incapacidade para negociar.

“No entanto, a Rússia todos estes anos não sucumbiu às provocações, e combateu a fazer tudo o que esteve ao nosso alcance para continuar o processo de uma busca soluções de compromisso. Como presidente Dmitry Medvedev enfatizou no seu discurso de hoje, invariavelmente Rússia procedeu a partir da noção da integridade territorial da Geórgia, apesar do grande número de factores.

“Para começar: historicamente tanto os ossétios como os abcazes viveram na mesma entidade com os georgianos praticamente sempre exclusivamente no âmbito de outro, maior estado: ou o Império russo ou a União Soviética. Temos continuado a avançar a partir de integridade territorial da Geórgia, apesar do fato de que na secessão da Geórgia da União Soviética, houve uma violação da lei relativa ao processo de secessão de uma união república da URSS, através do qual repúblicas autónomas dentro de uma república/união tinham um direito de definir o seu estatuto jurídico como estado independente.

“Na escolha da independência, em conformidade com esta lei, Geórgia privou os povos da Abcásia e da Ossétia do Sul o direito de escolher o seu próprio estatuto, violando assim a legislação em conformidade com a Geórgia, que adquiriu a sua independência. A despeito de tudo isso, temos mantido com paciência e persistência, cumprindo nossas funções para manutenção da paz, e as nossas obrigações como mediadores ao mesmo tempo - Vou insistir – no processo a partir da integridade territorial da Geórgia, sem alterar esta posição, como Presidente Medvedev salientou hoje, mesmo depois da declaração unilateral de independência da Geórgia.

“Mas a agressão contra a Ossétia do Sul, na noite de agosto 7/8, e os fatos irrefutáveis da preparação de uma acção semelhante contra a Abcásia, puseram em questão a integridade territorial da Geórgia, e isso foi feito com as mãos do regime de Mikhail Saakashvili, que a partir do momento da sua tomada de posse em Tbilisi, se lembrou, e não pelo democrática, mas por meios "revolucionários", no âmbito da assim-chamada revolução cor-de-rosa, fazer tudo para minar os processos de paz.

“As ações agressivas contra a Ossétia do Sul, tentando tomar Tskhinval, paradas agora, tinham sido empreendidas igualmente em Agosto de 2004. Depois do qual, um acordo do cessar-fogo foi concluído com dificuldade enorme em Novembro 2004 entre o Primeiro-ministro georgiano Zurab Zhvania e o Presidente da Ossétia-Sul Eduard Kokoity. Um acordo foi assinado para normalizar relações com base numa gradual aproximação. Mas após a morte trágica e misteriosa de Zhvania em fevereiro 2005, Saakashvili rejeitou todos estes acordos e tomou medidas para agravar a situação….”

Transcrição das Observações na Conferência de Imprensa Mídia pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia, Sergey Lavrov, Sochi, 26 de agosto de 2008

MRE Federação Russa


Loading. Please wait...

Fotos popular