Pravda.ru

Federação Russa

Igreja ortodoxa responde a denúncias de crescente clericalismo da sociedade russa

26.07.2007
 
Igreja ortodoxa responde a denúncias de crescente clericalismo da sociedade russa

Este domingo (22) um grupo de nove cientistas russos entre eles os Prémios Nobel em Física Vitali Ginsburg e Zhores Alférov, enviou uma carta ao presidente Vladimir Putin em que pediram para acabar com crescente clericalismo da sociedade russa” .

 “ A constituição russa proclama caráter láico de nosso Estado e o princípio da separação da Igreja do sistema educativo público”, escrevem os cientistas. O grupo denunciou que a Igreja Ortodoxa russa tenta implantar o encino obrigatório nas escolas do sistema público , e censurou a Igreja por "fazer julgamentos" e "suplantar com a fé os conhecimentos científicos", bem como erradicar do terreno da educação "a visão materialista do mundo".

A Igreja ortodoxa russa manifestou hoje que a alerta aberta de cientistas ao Chefe do Estado poderia " proceder de alguns membros de Governo e que  é um produto soviético em toda a forma”.

A igreja ortodoxa russa reconhece o avanço da ciência, opõe-se à mentalidade totalitária e procura consolidar a sociedade, sublinhou  o porta-voz do Patriarcado de Moscovo, o sacerdote Vladímir Vigilianski, segundo Ria -Novosti. 

"A guerra dos ateus contra a Igreja esconde-se atrás do êxito da ciência, apesar de que há um grande número de cientistas crentes, para os quais a fé não entra em contradição com o conhecimento", afirmou ele, dando o exemplo do Patriarca de Moscovo, Aleksej II, que é membro da Academia Russa de Ciências, cujo presidente, Yuri Osipov, colabora também com a Igreja, havendo ainda um vasto número de outros acadêmicos e cientistas.

Os signatários da carta pública pediram ao governo que impedisse a inclusão da Teologia na lista oficial das disciplinas científicas, pedido que o porta-voz qualificou de "inaceitável", rejeitando também o argumento de que o ensino de Bases de Cultura Ortodoxa nas escolas equivale à reintrodução da Lei de Deus como disciplina obrigatória.

O Padre Vigilianski recordou aos signatários da carta que "a atividade anti-religiosa dos seus predecessores" derivou "num banho de sangue e na destruição de extratos inteiros da cultura".

A posição dos autores da carta torna-se evidente se lembrar que Alférov é o membro do Partodo Comunista da Rússia e tem a posição odiosa em relação à Igreja. Ginsburg pelo contrário é um democrata , ateista e desde há muito faz os comentários contra o clero. Contra ele a Igreja incentivou um processo na Procudaria.

 Por Lyulko Lyuba


Loading. Please wait...

Fotos popular