Pravda.ru

Federação Russa

Rússia empenhada na resolução das crises humanitárias na Ossétia do Sul

25.08.2008
 
Rússia empenhada na resolução das crises humanitárias na Ossétia do Sul

Em 9 de agosto de 2008 o governo russo enviou um comboio de ajuda humanitária da Rússia (cidade da Ossétia do Norte Vladikavkaz) a Tskhinvali, a capital da Ossétia do Sul, de acordo com o ministro de situações de emergência no Domingo.

“Amanhã iremos enviar 200 toneladas de alimentos, 16 toneladas de mantimentos médicos, seis produtores de electricidade e filtros de água”, disse Sergei Shoigu durante uma reunião na Ossétia do Norte. Ele também disse que um hospital móvel seria enviado para a Ossétia do Sul. Anteriormente o ministério de situações de emergência enviou 30 caminhões contendo 120 toneladas de alimentos para abastecimento de Tskhinvali e Ossétia do Norte.

Dois hospitais foram implantados na Ossétia do Norte, os médicos já fizeram mais de 44 operações cirúrgicas. O grupo de médicos, composto por 25 peritos, chegou a partir de Moscou, em Vladikavkaz, capital da Ossétia do Norte, para prestar assistência médica aos refugiados da Ossétia do Sul.

Em 10 de agosto de 2008, mais 120 toneladas de alimentos, incluindo carne e peixe enlatados, trigo mourisco, alimentos para bebés, foi enviado para os habitantes da Ossétia do Sul.

Em 11 de agosto de 2008 entrou o comboio russo de ajuda humanitária à Ossétia do Sul na capital Tskhinvali, devastada pelos georgianos em ataques aéreos “O primeiro carregamento com ajuda humanitária chegou ao seu destino,” disse uma fonte da Agência Federal de Reserva. O comboio de 80 veículos, acompanhado por várias transportadoras blindadas, trouxe suprimentos médicos, alimentação, geradores e outros elementos essenciais para a capital da República.

A Rússia já enviou 41 geradores e 226 toneladas métricas de alimentos, 39 toneladas de suprimentos médicos, 23 filtros de água para a Ossétia do Sul. Nos hospitais localizados em várias regiões da Rússia, foram criados 2700 novos lugares para a população necessitada.

Pavel Plat, um perito militar da Rússia do ministério das emergências, disse que hospitais móveis entregues pelo comboio já começaram a tratar os seus doentes. Os trabalhos serão também efectuados no hospital de Tskhinvali, que foi quase completamente destruída por bombas lançadas pela Geórgia. Mais de uma centena de feridos estão actualmente a ser tratados em enfermarias nas caves do hospital.

Tskhinvali, que tinha uma população pré-guerra de cerca de 30.000, receberá também tendas capazes de habitação para mais 500 pessoas, disse Plat.

Os directores de um certo número de universidades russas (Moscou, São Petersburgo, Voronezh) estão dispostos a aceitar estudantes da Ossétia do Sul, declarou o ministro russo da educação Andrei Fursenko. “Um certo número de regiões têm as suas propostas utilizando facilidades para abrigar e ensinar jovens ossétios-sul,” Fursenko declarou, descrevendo a situação na região da Georgia como uma catástrofe humanitária.

O ministro adicionou que as autoridades russas igualmente discutiriam um plano a longo prazo para suportar e restaurar estabelecimentos educacionais em Ossétia do Sul. Rússia igualmente transportou cerca de setenta mini--ônibus à Ossétia do Sul para evacuar pessoas da região.

A população de várias regiões da Rússia está colectando ajuda humanitária para os refugiados da Ossétia do Sul. A região de Moscovo emitirá ajuda humanitária de 35-40 milhão rublos, incluindo alimentos, medicinas e roupa. As regiões de Stavropol e de Orenburg emitirão aos materiais de construção e alimento. As regiões de Calmúquia e de Krasnoyarsk estão coletando a ajuda económica. A região de Krasnodar aceitou 300 refugiados da Ossétia do Sul que inclui 180 crianças. A região de Rostov deu 13 ônibus para transferência dos refugiados de Ossetia do Sul na região de Rostov.

Fonte: MRE da Federação Russa

Composto por

Timofei BYELO

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular