Pravda.ru

Federação Russa

Igreja Ortodoxa Russa condecora Fidel e Raul Castro com ordem honorífica

22.10.2008
 
Pages: 12
Igreja Ortodoxa Russa condecora Fidel e Raul Castro com ordem honorífica

Na noite do domingo (19), o presidente cubano Raul Castro Ruz, recebeu no Palácio da Revolução o Metropolita de Smolensk e Kaliningrado da Igreja Ortodoxa Russa, Kiril. Parece que se trate de uma volta da Rússia a Cuba depois de muitos anos de estagnação em relações , quando em 1992 Moscou decidiu, de maneira unilateral , depois de desintegração da União Soviética, retirar-se da Ilha de Liberdade.

O alto representante da Igreja Ortodoxa Russa, que também é chefe do Departamento das Relações Eclesiásticas Exteriores do Patriarcado de Moscou entregou ao segundo-secretário do Partido, a alta distinção concedida a Fidel, que é a primeira personalidade em recebê-la na América Latina e condecorou o presidente cubano com a Ordem “Príncipe Danilo”.

Raul agradeceu, em nome do comandante-em-chefe e em seu nome, a distinção feita pela Igreja Ortodoxa Russa ao conceder-lhes estas ordens, e pediu ao Metropolita Kiril que assim o transmitisse a Sua Santidade Alexis II, Patriarca d е Moscou e de toda a Rússia. "Sentimo-nos muitos contentes com esta visita e esperamos se repita", concluiu.

Depois Raul e Sua Eminência Kiril dialogaram sobre diversos temas de interesse bilateral, no âmbito da amizade, o respeito e o espírito de colaboração que caracterizam as relações mútuas.

Da cerimônia de condecoração participaram pela parte cubana, o ministro a.i. das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez; o chefe do Escritório de Assuntos Religiosos do Comitê Central do Partido, Caridad Diego e o historiador de Havana, Eusebio Leal; assim como os outros altos representantes da Igreja Ortodoxa Russa.

O presidente cubano Raul Castro Ruz , assistiu à consagração da Igreja Ortodoxa Russa de Havana, oficiada por Sua Eminência Kiril .

Durante a cerimônia, o líder religioso apontou a importância histórica deste acontecimento e assegurou sua transcendência como mostra do carinho e a amizade recíprocos entre os povos da Rússia e Cuba.

Sua Eminência lembrou também o apoio do líder histórico da Revolução Fidel Castro, que catalogou o projeto desde seus inícios como um monumento ao passado e ao futuro.

O próprio líder da revolução cubana , Fidel castro, afirma que a Igreja Ortodoxa Russa é uma força espiritual que interpretou um papel importante nos momentos críticos da história da Rússia. “ Quando a URSS desintegrou- se , o imperialismo não teve nessa Igreja um aliado”, destacou Fidel num artigo denominado “ A Igreja Ortodoxa Russa”, divulgado pelo site Cubadebate.cu.

Por causa disso escreve Fidel Castro , “quando no 2004 o Metropolita Kiril visitou o nosso país , foi lhe proposto construir na capital de Cuba uma Catedral da Igreja Ortodoxa Russa como um monumento à amizade cubano-russa”.

"Quando foi inaugurado no domingo a Catedral , senti um desejo para sustentar um intercambio com a estimada personalidade da Igreja Ortodoxa Russa que nos visitava”, diz o líder cubano. Destaca que “nossa capital se enriquece com um Templo digno da prestigiosa Igreja Ortodoxa Russa , que é uma prova de respeito da nossa revolução por um dos princípios fundamentais dos direitos humanos , em consonância com uma revolução socialista profunda e radical.

A Prensa Latina transmite o texto ínteiro:

LA IGLESIA ORTODOXA RUSA

Es una fuerza espiritual. En los momentos críticos de la historia de Rusia jugó un papel importante. Cuando se inició la Gran Guerra Patria, tras el traicionero ataque nazi, Stalin acudió a ella en apoyo de los obreros y campesinos que la Revolución de Octubre hizo dueños de las fábricas y la tierra.

Cuando la URSS se desintegró, el imperialismo no tuvo en esa iglesia un aliado. Por ello, cuando en el 2004 Su Eminencia Vladimir Mijailovich Gundiaev, Kiril Metropolita de Smolensk y Kaliningrado, visitó nuestro país, le propuse construir en la capital de Cuba una Catedral de la Iglesia Ortodoxa Rusa como un monumento a la amistad cubano rusa.

El Historiador de la Ciudad, Eusebio Leal, asumiría la responsabilidad del cumplimiento de la tarea. En ella se colocó tierra del lugar en que reposan los restos de los soldados soviéticos que murieron en nuestro país durante las decenas de años que prestaron aquí sus servicios. Por ello, cuando se inauguró el pasado domingo la Catedral, sentí deseos de sostener un intercambio con la estimada personalidad de la Iglesia Ortodoxa Rusa que nos visitaba.

Mañana jueves estará en Venezuela dialogando con el Presidente Chávez. Ambos se inspiran en los mismos principios éticos, emanados de las prédicas de Cristo según los Evangelios, una creencia religiosa que los dos comparten. Después visitará Ecuador para conversar con Correa, un dirigente político que se formó en la Teología de la Liberación.

Su Eminencia no es enemigo del socialismo ni condena al fuego eterno a los que partimos del marxismo leninismo para luchar por un mundo justo. Cuando habla en la Comisión de Derechos Humanos de la ONU u otras instituciones, es escuchado con gran respeto. En su inmenso país habla con frecuencia por televisión los sábados durante 15 minutos y es seguido con interés por decenas de millones de personas.

Nuestra capital se enriquece con un Templo digno de la prestigiosa Iglesia Ortodoxa Rusa, que es prueba irrecusable del respeto de nuestra revolución por uno de los principios fundamentales de los derechos humanos, en consonancia con una revolución socialista profunda y radical.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular