Pravda.ru

Federação Russa

O Capítulo McCain-Putin, de ratos e homens

22.09.2013
 
O Capítulo McCain-Putin, de ratos e homens. 18898.jpeg

O discurso insolente e arrogante do Senador John McCain na Pravda.Ru em resposta à comunicação equilibrada e medida do Presidente Vladimir Putin para o povo dos Estados Unidos da América foi tão decepcionante como era previsível, sublinhando o perigo por baixo da superfície dos elitistas corporativos que executam as políticas de Washington.

Quando eu li o artigo "Apelo a cautela" do Presidente Vladimir Putin em The New York Times, eu vi um apelo diplomático razoável, educado e diligente de uma figura mundial experiente, com tanto gravitas quando kudos, fazendo uma abordagem para a construção de pontes em um momento delicado na história do mundo, balouçando em um precipício, o fruto da intrusiva política externa de Washington hoje baseada em apoiar terroristas no exterior, procuração para implementar a estratégia hegemónica dos EUA.

Ao John McCain foi dada a oportunidade e o espaço para responder em Pravda.Ru à carta do presidente Putin ao povo dos EUA. Em vez de escrever uma resposta madura, bem pensada e positiva, abordando a questão mais ampla e falando como um Estadista com letra grande no cenário mundial, John McCain providenciou-nos uma vista de aquilo que se encontra por baixo da crosta do Establishment político nos Estados Unidos. Foi-lhe dado a oportunidade de responder como um homem, ele escolheu o ponto de vista  microscópico de um ratinho.

Dada a oportunidade para sublinhar a sua credibilidade como um ex-candidato à liderança do seu Partido (GOP, Republicano) e como um candidato à Presidência do seu país - entre ele e a Casa Branca havia apenas um processo eleitoral - John McCain produziu uma página e um pouco de bílis, ódio, insolência, arrogância e ignorância em quantidades consideráveis​​, transformando o debate em um ataque pessoal contra Presidente Putin empregando uma abordagem vitriólica que, francamente, coloca a sua saúde mental e equilíbrio emocional em questão. Tanto assim, que eu esperei 48 horas para responder, sendo minha reação inicial não desrespeitar alguém que não deve estar bem, mas a pura insolência dos comentários de McCain não só merece, mas exige, uma resposta adequada.

Para começar, Presidente Putin foi eleito presidente de seu país, John McCain não. Em segundo lugar, a taxa de aprovação do presidente Putin entre os povos da Federação Russa paira entre sessenta e oitenta por cento - maior do que qualquer líder ocidental. Em terceiro lugar, se houvesse um amanhã eleição, Vladimir Putin venceria por uma margem enorme. Em quarto lugar, se John McCain favorece o segundo partido mais votado na Rússia, em seguida, ele apoia o Partido Comunista e os nacionalistas e liberais vêm muito depois na lista de partidos políticos mais votados.

Em seguida, se John McCain acha que não há liberdade de expressão na Rússia, então a publicação do seu artigo na Pravda.Ru, atacando o Presidente Putin, do começo ao fim, é prova de que tudo o que ele disse é um puro disparate.


Aqui, vemos nas manchetes dos mídia "corporativos" (MSM - Main-Stream Media) relatórios sobre o debate contendo um erro fundamental, ou seja, repetir constantemente o facto que Senador McCain tinha escolhido "o Pravda errado". Esta mentira, vindo de jornalistas e editores profissionais, é um espelho das mentiras que vendem como verdades e formam a opinião pública.

John McCain sabia muito bem em qual Pravda ele estava escrevendo porque sua equipe pediu, e recebeu, as estatísticas de circulação e todas as informações e documentação necessárias sobre o que é Pravda.Ru. E o que é Pravda.Ru ? Permitam-me citar as palavras do nosso Presidente, Vadim Gorshenin:

"Há dois sucessores do Pravda soviético hoje: Pravda.Ru (online) e Pravda (impressa) do Partido Comunista. Pravda.Ru foi criado por grandes nomes dos jornalistas do Pravda em 1999. Pravda do Partido Comunista foi registrado em 1991 como uma publicação recém-criada. Obviamente, as circulações não podem ser comparadas. Pravda.Ru tem mais de 200 mil visitantes todos os dias. A circulação do Pravda (impressa) do Partido Comunista é como um jornal de fábrica AvtoVAZ nos tempos soviéticos. Pravda.Ru é publicado em três idiomas. Sua versão em inglês vem em segundo lugar na Rússia após Russia Today. A versão em português é o primeiro no ranking da Rússia" .

O direito de Pravda.Ru a usar o nome PRAVDA e , inicialmente, para usar o mesmo logotipo como PRAVDA , foi concedida pelo Tribunal de Arbitragem na Rússia. Portanto, Pravda.Ru é um legítimo sucessor da Pravda soviética e tem toda a documentação a comprová-lo.

De volta ao artigo de John McCain no Pravda.Ru. A conclusão mais preocupante deste capítulo é o fato de que alguém com tão limitado intelecto, tão ignorante do quadro mais amplo, e arrogante na sua abordagem, pode chegar perto da Presidência dos EUA. Para responder a pontos de John McCain:

John McCain tem descaramento em falar sobre corrupção na Rússia, tanto mais porque quem é alguém na política dos EUA tem ligações com as corporações e lobbies que puxam as suas cordas. Quanto às alegações de que o Presidente Putin impera na Rússia para perpetuar seu poder, deixem-me lembrar ao Senador McCain que Presidente Putin, como qualquer outra pessoa na Rússia, está sujeito às normas consagrados na Constituição do país e qualquer perpetuação de seu mandato está sujeita a uma eleição democrática, livre e justa.

Vladimir Putin vence eleições, o Senador McCain perde-as.

Quanto à alegação pueril de que a mídia não é livre , deixem minha própria experiência brilhar como um exemplo: Eu trabalho na Pravda.Ru desde 1999, como correspondente, contribuinte para a versão em inglês e sou diretor da versão em português. Nunca qualquer dos meus artigos foi rejeitado nem recebi quaisquer limitações quanto ao que posso escrever. Além disso, eu coloco meus artigos directamente no jornal, sem qualquer mecanismo de controle ou censura.

Quanto à intolerância à orientação sexual na Rússia, como refere o Senador, se John McCain gosta de ver imagens de homens se beijando nos bancos dos parques ou fêmeas vestidas impropriamente pulando como laretas dentro de um local de culto, é sua prerrogativa e sua preferência. No país dele. A questão na Rússia não é de repressão, é sobre a preservação de valores. Não se trata de promover a homofobia, trata-se de coibir a "homofilia" em público e fechar práticas não- tradicionais para seu devido lugar atrás de portas fechadas, como qualquer mostra de afeição em público, na Rússia. Não estamos a falar do Brasil, nem de Angola, nem de Portugal, nem de Timor Leste, estamos a falar da Rússia e os costumes em prática entre os povos da Federação Russa.
 
A idade de consentimento na Rússia é de 16 anos de idade, independentemente da sua orientação sexual, transexuais e transgêneros têm permissão para mudar seu sexo legalmente, a homossexualidade não é considerada uma "doença mental" e não é um crime sob a lei russa, pessoas solteiras podem adotar crianças independentemente da sua orientação sexual, enquanto que os homossexuais podem servir nas forças armadas, sem qualquer tipo de restrição. A lei aprovada na DUMA (Parlamento) russa, escrito por russos para russos na Rússia, não para fala-baratos intrusivos do exterior, foi aprovada por 436 votos a favor a zero contra, uma abstenção... e foi uma lei que proíbe a propagação de atividades sexuais não-tradicionais com o intuito de proteger menores de cenas consideradas chocantes ou indecentes.

Finalmente, sobre a posição da Rússia na comunidade internacional, Presidente Putin levou a Rússia a uma posição de responsabilidade no cenário mundial, uma posição que respeita e não despreza a lei internacional como John McCain acusa, é uma posição que não encena eventos de "bandeira-falsa" para justificar guerras ilegais com base em mentiras simplesmente para satisfazer os interesses da elite corporativa em Washington e os seus Estados caniche na OTAN, é uma posição que coloca o Conselho de Segurança das Nações Unidas no centro da tomada de decisões e gestão de crises, e é uma posição que se baseia na política de debate, de diálogo e discussão, os fundamentos da democracia.

É flagrantemente aparente que o senador John McCain não compartilha desses valores e é totalmente ignorante das questões que ele tenta abordar na sua birra infantil na página russa e inglesa da Pravda.Ru. A analogia é a de um menino que teve a oportunidade de fazer um discurso em um palco frente a uma grande audiência e, em vez de dizer algo substantivo, diz infantilidades.

Comparando o Presidente Putin e o Senador McCain, por um lado temos um líder mundial responsável, ciente das questões em jogo, buscando a paz através do diálogo e por outro lado, temos quem parece um imbecil superficial, arrogante e irresponsável, cuja única graça salvadora teria sido "bêbado no comando de um teclado"... mas tenho a certeza que ele quis dizer cada palavra que ele disse.

A conclusão feliz, ao fim, é o fato de que a grande maioria dos comentários americanos sobre o artigo de McCain - mais de 90 por cento - são de cidadãos que estão hoje muito em linha com os corações e mentes da comunidade internacional. Hoje vemos as pessoas dos EUA como os nossos amigos, irmãos e irmãs. Esperei mais de cinquenta anos por este momento e estou muito feliz em abraçá-lo, e eles/elas.

McCain vê suas políticas de intrusão quedando em torno das suas orelhas enquanto sua casa de cartas patética, enfezada e fora do prazo se desmorona, enquanto ele transformou uma oportunidade de dizer algo grandioso numa palhaçada, fazendo um idiota de si mesmo em público, sendo rude, rancoroso, francamente desagradável e mostrando-se manifestamente ignorante. Putin estará cá ainda durante muitos anos. Quanto a McCain, dizem que o consumo de café e fazer palavras cruzadas ajudam muito.

O capítulo de McCain e Putin, de ratos e homens .

Timothy Bancroft - Hinchey
Pravda.Ru

 


Loading. Please wait...

Fotos popular