Pravda.ru

Federação Russa

Lavrov: O reconhecimento da Ossétia do Sul tem base firme na lei internacional

19.09.2008
 
Lavrov: O reconhecimento da Ossétia do Sul tem base firme na lei internacional

Chega a altura da comunidade internacional que zela pelo respeito da lei internacional, que critica o embargo desumano dos EUA contra a Cuba, que respeita o CS da ONU como foro para a gestão das crises, reconhecer os Estados da Ossétia do Sul e da Abcásia. Os que gostam de seguir os pisos de Washington, agarrados à sais norte-americana, evidentemente poderão reconhecer o Campo de Concentração de Guantanamo Bay na Cuba como Estado 52 do Eixo do Mal…mas…

 

No seu discurso na Comissão para Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Moscou, 18 de Setembro de 2008, o Ministro das Relações Exteriores da Federação Russa, Sergei Lavrov, declarou que a Rússia tem fortes fundamentos legais na questão da Ossétia do Sul e Abcásia.

 

 

“Nós, tal como o Presidente e o Governo disseram mais que uma vez, reagimos à agressão da Geórgia contra Ossétia do Sul, em plena conformidade com os princípios fundamentais do direito internacional, incluindo o direito à auto-defesa, nos termos do artigo 51 da Carta das Nações Das Nações…

 

“Nosso reconhecimento da Abcázia e Ossétia do Sul também tem uma firme base no direito internacional, incluindo as Disposições da Declaração de 1970 sobre os Princípios do Direito Internacional relativo a relações amigáveis entre os Estados, adoptada pela Assembleia Geral da ONU.

 

“A essência desta declaração é que o direito de um Estado a integridade territorial está condicionado pela sua capacidade de respeitar o direito à autodeterminação e ao desenvolvimento de todos os povos que vivem no seu território e a sua capacidade para representar todos estes povos, sem distinção de raça, cor ou nacionalidade.

 

“É sobejamente claro que o actual regime georgiano não está em conformidade com esses padrões elevados. Da Rússia, o reconhecimento dessas duas repúblicas era a única solução possível para garantir não apenas a sua segurança, mas também a própria sobrevivência dos nossos povos fraternos perante a política chauvinista manifestada desde os tempos do governo de Gamsakhurdia, que apelou pela deportação para a Rússia dos ossétios do sul, pela diminuição do território em que vivem os Abcases.

 

“…Mikhail Saakashvili é uma digna continuação das ideias de Gamsakhurdia. Ele tentou na prática para fazer o que seu mestre tinha sido incapaz de fazer. Através de sua agressão contra a Ossétia do Sul na noite de agosto 7/8, no bombardeamento de uma cidade à noite e a preparação de um semelhante blitzkrieg contra a Abkházia, o Presidente da Geórgia deitou fora a noção da integridade territorial do seu Estado…”

 

Sergei Lavrov

Ministro das Relações Exteriores da Federação Russa

Fonte: MRE da Federação Russa

 

Nota editorial

 

Chega a altura da comunidade internacional que zela pelo respeito da lei internacional, que critica o embargo desumano dos EUA contra a Cuba, que respeita o CS da ONU como foro para a gestão das crises, reconhecer os Estados da Ossétia do Sul e da Abcásia. Os que gostam de seguir os pisos de Washington, agarrados à sais norte-americana, evidentemente poderão reconhecer o Campo de Concentração de Guantanamo Bay na Cuba como Estado 52 do Eixo do Mal…mas…

 

 

Nota editorial por Timothy Bancroft-Hinchey

Director e Chefe de Redacção

Versão portuguesa

PRAVDA.Ru

 

 

 


Loading. Please wait...

Fotos popular