Pravda.ru

Federação Russa

BRIC poderá ser líder da economia mundial – perito russo

17.06.2009
 
BRIC poderá ser líder da economia mundial – perito russo

Os países do BRIC não se tornarão líderes da economia mundial sem superarem seus obstáculos culturais, disse Yevgeny Yasin, economista russo, ex-ministro da economia e atualmente chefe de pesquisa na escola superior de economia.

Na opinião do Sr. Yasin, somente depois que abordarem seus obstáculos culturais é que os países do BRIC terão os incentivos para promover inovações. Isso dar-lhes-á uma possibilidade de serem grandes investidores ativos no mercado mundial. “Até agora este é um prospeto remoto,” adicionou o perito.

O Sr. Yasin acredita que a China é o país mais influente entre os quatro “devido ao tamanho da sua população, e um mercado interno com mão-de-obra barata”. “A China indubitavelmente terá um grande potencial de crescimento por mais 15 a 20 anos,”. Sua previsão é baseada no fato de que a China está atravessando uma fase de industrialização atrasada, com imensos recursos humanos: Há 200 milhões de chineses em áreas rurais, quando a agricultura não precisar de tanta gente, essas pessoas irão às cidades a procurar de emprego em empresas industriais.

O obstáculo

O Sr. Yasin mostra um obstáculo cultural sério na India. “Há 800 milhões de residentes rurais na Índia ligados à religião conservadora que vai de alguma maneira explicar o fato de que 35% da população da Índia é iletrada e cerca de 50 milhões de crianças não vão à escola,” diz ele. A Rússia, de acordo com o perito, ocupa a posição intermediária e é já um país industrializado.

“A indústria não é tão competitiva mas emprega a maior parte da população russa. Nós não temos nenhuma reserva não utilizada de mão-de-obra. Esta é uma característica que nós compartilhamos com os países desenvolvidos,” adiciona. Simultaneamente a Rússia tem algumas características que a põe na mesma categoria dos países em vias de desenvolvimento. “Um é o retardamento cultural, e eu sei sobre o que estou falando.

Nós não temos nada para vangloriar-mos em termos de cultura, ” o Sr. Yasin explicou esse até agora o povo russo, e ele mesmo, podem somente orgulhar-se das realizações do passado: Pushkin, Tolstoy - este é nosso passado que nós devemos ter orgulho. Mas o que nós temos agora? O Sr. Yasin afirma que o principal obstáculo cultural na Rússia é que o indivíduo, sua vida e a dignidade não são considerados ainda como valores supremo. “Nosso obstáculo cultural é que o indivíduo não está a ser tratado como deve ser ", disse ele.

"No entanto, o obstáculo aqui é menor do que nos outros países. Somos um país pertencente à cultura europeia e que abraçam os mesmos valores que os europeus ", conclui ele.

Um clube sem interesses partilhados

O perito é cético quanto ao BRIC transformar-se uma influente organização internacional. Ele ressalta que o G8 não é uma organização internacional, mas o seu peso no mundo é tal que a sua opinião é escutada por todos os outros países.

" O BRIC não tem igual futuro. Acho que ele permanecerá um clube informal na substância e na forma ", diz o Sr. Yasin. Ele elabora a sua tese: Os quatro países em desenvolvimento são muito diferentes em termos do seu desenvolvimento, estrutura económica e cultura. "Nada os une e não pode unir, por exemplo, para controlar a economia mundial. Têm objectivos totalmente diferentes e praticamente não têm interesses comuns, ao contrário, por exemplo, da OCDE, "diz o especialista.

Nem o Rublo nem os Yuan

O perito acha que a tarefa de transformar as moedas nacionais dos países do BRIC em moedas de reserva mundiais não será realizado em breve. "O rublo pode se tornar uma moeda de reserva, mas apenas com uma condição: se houver um elevado nível de confiança nas instituições russas por parte dos outros países, e que só é possível se as instituições da Rússia forem confiáveis para o próprio povo", afirma.

Outro fator importante que pode alterar o status do rublo deve ser a diversificação da produção. A Rússia não deve depender do mercado, até agora, falar da viragem do rublo em uma moeda de reserva é prematuro.

Entretanto, o rublo russo pode reivindicar ser uma moeda de reserva regional ", se entrarmos em acordo com os nossos vizinhos (Kazaquistão, Bielo-Rússia, Kyrgistão) para efetuarem pagamentos em rublos", explica o especialista. No que diz respeito ao yuan e as suas chances de se tornarem uma moeda de reserva, o especialista salienta duas circunstâncias.

"O yuan não é uma moeda conversível, de modo a que a questão se fecha. Para tornar convertível significa que, uma vez que emergir no mercado, o yuan, cuja taxa é fixada pelo Estado, ", explica o Sr. Yasin. Se a China torna a sua moeda conversível não será capaz de sustentar a sua elevada taxa de desenvolvimento econômico.


Loading. Please wait...

Fotos popular