Pravda.ru

Federação Russa

BRIC: Rumo a um mundo multilateral, mais democrático e justo

16.04.2010
 
BRIC: Rumo a um mundo multilateral, mais democrático e justo

Os líderes do Brasil, Rússia, Índia e RP China, as quatro maiores economias emergentes, estiveram reunidos esta Quinta-feira para a Segunda Cúpula BRIC em Brasilia. Os assuntos discutidos foram maioritariamente económicos, com as áreas de energia e infra-estruturas de maior relevo.

Para Dmitry Medvedev, o objectivo principal foi juntar ideias para continuar a recuperação após o colapso do sistema económico e bancário dos últimos anos e traçar uma linha para seguir em frente, garantindo que tal situação nunca mais se repita.

“Nosso objectivo principal hoje foi desenvolver a nossa cooperação em enfrentar os desafios do período pós crise económica, apoiando as instituições financeiras internacionais e criando um sistema internacional mais democrática e justa em termos gerais,” declarou na Cimeira na Quinta-feira.

Para o Presidente da Federação Russa, a Cimeira foi “muito interessante e produtiva”. Considera que o bloco BRIC está a tornar-se uma força global capaz de tomar decisões que afectam o globo. “O formato BRIC está plenamente desenvolvido, capacitando-nos não só a coordenar os nossos esforços mas também tomar decisões concretas”.

Entre os assuntos na mesa de discussões foi o papel dos G20, a questão de segurança energética, alterações climatéricas e a luta contra terrorismo, crime e tráfico de drogas. Elogiando “a abordagem conjunta” aos assuntos em foco, Dmitry Medvedev termina assim uma viagem que incluiu a primeira visita do Presidente russo a Argentina.

Medvedev e Kirchner estreitam relações

Na sua reunião com a Presidente de Argentina, Cristina Fernandez de Kirchner, antes da Cúpula BRIC, Dmitry Medvedev assinou documentos sobre parcerias bilaterais, que incluíam a área de energia, transportes e o espaço.

Os documentos visaram a participação da Federação Russa no projecto para construir um central nuclear na Argentina, o uso conjunto do sistema de navegação global russo GLONASS e o fornecimento de navios quebra-gelos e helicópteros para as expedições argentinas ao Antárctico.

Alem disso no foro mais global, as discussões centraram-se na integração social e política da América Latina, cooperação entre MERCOSUL, o Grupo de Rio, UNASUL e a Federação Russa, além de laços culturais. Terminaram a reunião com uma declaração conjunta sobre o papel da ONU na gestão de crises e o empenho de seguir os princípios de direito internacional.

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular