Pravda.ru

Federação Russa

Medvedev e Putin falaram com Presidente de Gazprom

14.01.2009
 
Medvedev e Putin falaram com Presidente de Gazprom

A grande importância dada pelos líderes da Federação Russa à questão da distribuição de gás traduz-se na visita hoje do Primeiro-Ministro Vladimir Putin ao Gazprom e na conversa do Presidente, Dmitry Medvedev, com o mesmo, acerca das medidas a serem tomadas para resolver a crise o mais rápido possível.

Vladimir Putin visitou a sede de Gazprom hoje, onde falou com o Presidente, Aleksei Miller que informou que no dia 13 houvera um pedido pata 76,6 milhões de metros cúbicos de gás, que iria satisfazer os requerimentos de Moldova, Bulgária, Roménia, Turquia, Macedónia e Grécia a 100% e também, um pedido para 22,2 milhões de metros cúbicos para a Eslováquia. No entanto, acesso ao sistema ucraniano de bombagem foi negado.

“A Ucrânia bloqueou o trânsito de gás à Europa. A torneira não abriu na Ucrânia. A situação não mudou desde que o comando foi dado a resumir o trânsito de gás russo através do território da Ucrânia,” disse Aleksei Miller.

Vladimir Putin opinou que “O sistema de transmissão de gás da Ucrânia pode estar numa condição técnica que o impossibilita de bombear gás. Porém isso precisa de ser dito claramente e com franqueza. Precisamos de entender com que sistema de transmissão estamos a lidar e se o sistema é de forma geral capaz de bombear gás actualmente”.

Presidente Medvedev falou com Aleksei Miller

Presidente Dmitry Medvedev também falou hoje com o Presidente de Gazprom, que informou que Naftogaz Ukraina tinha enviado um acordo para a retransmissão de gás russo, com a condição que Gazprom entregue a Neftogaz 360m. m3 em Janeiro, 600m em Fevereiro e outros 600m em Março. Grátis, sem pagar.

“Pedem-nos que façamos uma prenda de 700 milhões de dólares à Ucrânia,” explicou Aleksei Miller, que acrescentou que Gazprom perdeu 1,1 biliões de USD em rendimentos desde 1 de Janeiro. “Planeamos levar o caso ao Tribunal para pedir compensação pelas nossas perdas”.

Presidente Medvedev declarou que “O tempo para prendas terminou. A compensação terá de ser procurada dos responsáveis por estas perdas”. Disse ainda que “Outro assunto que é especialmente grave actualmente é que as acções irresponsáveis e ilegais da Ucrânia, para ser franco, deixaram vários consumidores europeus numa situação muito difícil. Os chefes destes governos chegaram hoje a Moscovo”.

Os países mais afectados foram Eslováquia, Sérvia, Bulgária, Bósnia, Moldova, Macedónia, Hungria e Croácia.

Presidente Medvedev concluiu que “Não haverá prendas para ninguém mas precisamos que as entregas sejam retomadas em condições que podemos aceitar”.

Cortesia MRE Federação Russa

Konstantin KARPOV

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular