Pravda.ru

Federação Russa

Cúpula Rússia – UE pode discutir os mísseis russos “Iskander”

12.11.2008
 
Cúpula Rússia – UE pode discutir os mísseis russos “Iskander”

O assunto sobre os mísseis russos “Iskander” pode entrar na agenda da Cúpula Rússia – União Européia que se realizará dia 14 de novembro em França, informa Ria-Novosti, citando uma fonte diplomática européia.

“A agenda da Cúpula ainda não inclui o tema de mísseis , mas tudo pode ser revisado”, disse a fonte. Os EUA tem planos de instalar 10 mísseis interceptores no território da Polônia e construir um radar de alerta antimíssil na República Checa, motivando com a necessidade de responder a um possível ataque do Irã.

Entretanto ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, confirmou ontem (11) que se os EUA se desistirem do seu plano a Rússia abandonará os projetos de instalar mísseis em seu território de Kaliningrado, às portas da UE.

"Nós dissemos, pela voz do nosso presidente, que se a terceira zona de posicionamento antimísseis for criada, uma das nossas medidas para neutralizar a ameaça à segurança da Rússia será a instalação do sistema de mísseis Iskander em Kaliningrado", disse Lavrov.

Segundo ele, os mísseis serão instalados em Kaliningrado "somente se a terceira zona de posicionamento antimísseis tomar forma".

Segundo as informações do Governo polaco , o presidente eleito dos EUA Barack Obama, estaria disposto a realizar o projeto de instalação de escudo antimísseis. Mas um conselheiro de Obama afirmou que o presidente eleito não se comprometeu em o continuar. A posição da República Checa também poderia alterar-se.

Nesta segunda-feira, os prefeitos de 15 cidades checas se pronunciaram sua oposição aos planos de Washington de instalar um radar de alerta antimíssil na República.

Nos últimos anos Moscou paulatinamente elevou  o nível de   sua resistência  contra a instalação  do escudo antimísseis na Europa do Leste, desde  as declarações sobre a falta  de um diálogo normal  sobre o assunto , até as ameaças   diretas sobre  a necessidade  de contraposição  a esse sistema  com ajuda  de recursos militares.

 Para o governo russo  são  incompreensíveis  as razões  por quais os EUA   não querem  instalar o escudo  mais perto às fronteiras do Irã, por exemplo, na Turquia.   Os alvos  mais prováveis  dos mísseis que seriam instalados na Polônia  serão as divisões 28,54, e 60 das Forças Estratégicas da Rússia  localizadas ao sul dos Urais.  

 


Loading. Please wait...

Fotos popular