Pravda.ru

Federação Russa

Rússia: Mais Uma Vez Redentora da Paz e da Vida

11.08.2008
 
Pages: 12
Rússia: Mais Uma Vez Redentora da Paz e da Vida

A comunidade internacional coletivamente sustou a respiração esperando a reação da Rússia depois do ataque selvagem, brutal e criminoso da Geórgia contra a Ossétia do Sul. Depois de haver oferecido um cessar-fogo nas hostilidades, os georgianos esfaqueadores pelas costas imediatamente violaram o cessar-fogo, invadindo a Ossétia do Sul e causando maciças destruição e morte entre inocentes civis, entre pacificadores, e também destruindo um hospital.

Aproximadamente às 11:30 da noite, hora de Moscou, os georgianos abriram fogo de artilharia pesada do lado das vilas georgianas de Ergneti e Nikozi contra a cidade de Tskhinvali, anunciou, na quinta-feira, o Ministério da Defesa da Ossétia do Sul. Tropas georgianas tentaram invadir a cidade de maneira muito semelhante àquela pela qual as divisões Panzer de Hitler irromperam pela Europa. Também digno de nota é o fato de que os tanques e a infantaria georgianos estavam sendo auxiliados por assessores israelenses, indicador inequívoco de que esse conflito foi instigado por forças externas.

Enquanto isso, a mídia corporativa ocidental mantinha um blecaute de "grande silêncio" a respeito da agressão da Geórgia. Quando finalmente a noticiou, contou, como sói acontecer, a história retrogressivamente, com manchetes tais como "Jatos Russos Atacam a Geórgia" e "Eles Declararam Guerra Contra Nós" como se a Geórgia não tivesse feito nada de errado.

Grande parte da capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, foi destruída, bem como cinco vilas. A Ossétia do Sul informa que mais de 1.600 pessoas foram mortas nas últimas 24 horas. Há também muitas baixas entre pacificadores e diz-se que os hospitais estão superlotados de vítimas.

Relatando aquilo que já se tornou prática comum entre criminosos de guerra, o Ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, informou: "Um comboio humanitário russo ficou sob fogo. O pânico está aumentando no seio da população local, e o número de refugiados está aumentando. Há notícias de expurgo étnico em algumas vilas... A situação está pa pique de uma catástrofe humanitária."

A estrada Zarskaya, que circunda a capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, foi expurgada de tropas georgianas, na medida em que tanques russos adentraram a área. Assim, finalmente, os soldados da civilização e da paz, do Exército Russo, avançaram, fazendo recuar os invasores. Uma unidade Spetznaz de elite chegou à capital osseta do sul. Ela dará suporte aos pacificadores que, noticia-se, haviam ficado sob ataque de fogo de artilharia das tropas georgianas. Durante uma reunião com o Ministro da Defesa, Anatoly Serdyukov, Dmitry Medvedev disse que os pacificadores russos tentarão "forçar o lado georgiano a parar de combater."

A OTAN, os Estados Unidos e a União Européia todos requereram imediata cessação das hostilidades. A União Européia convocará uma sessão de emergência para discutir planos de cessar-fogo. O presidente da Geórgia disse à CNN: "A Rússia está conduzindo uma guerra contra nós em nosso próprio território." Numa exibição de bravata de caubói, a Geórgia anunciou também que seu contingente no Iraque será retirado, aparentemente para ficar disponível para novas incursões e invasões violentas como a da manhã de sexta-feira. Saakashvili, parecendo um palhaço pomposo, convocou os reservistas para o cumprimento do dever, dizendo: "Essa é uma clara intromissão no território de outro país. Temos tanques russos em nosso território, aviões a jato em nosso território em plena luz do dia." Essas declarações, naturalmente, deixam de fora aquela parte na qual ele mandou primeiro seus jatos para metralhar de vôos rasantes e bombardear áreas civis, e na qual a reação russa representa uma tentativa de evitar futuros ataques.

A Rússia e a comunidade internacional requereram que a Geórgia retire suas tropas da região. O presidente russo Dmitry Medvedev diz que Moscou tomará as medidas políticas e militares apropriadas para acabar com a violência na Ossétia do Sul e assegura resolutamente que os responsáveis pagarão por seus crimes.

Noticia-se que Tskhinvali sofre escassez de medicamentos e água, enquanto que a maior parte das redes de comunicação da cidade foi destruída. Os pacificadores russos estão ajudando os residentes remanescentes. O presidente Medvedev determinou assistência humanitária para a região sitiada. Um hospitável móvel rumará de Moscou para a Ossétia do Norte, uma república russa que faz fronteira com a Ossétia do Sul, às 22:00 horas (18:00 horas GMT). Uma aeronave iIl-76 entregará equipamento médico, bem como transportará médicos, psicólogos e resgatadores, totalizando 60 pessoas.

O Presidente Medvedev disse: "A presença militar russa na Ossétia do Sul está de acordo com a lei internacional e é voltada para assegurar a paz. Como tem acontecido ao longo da história, a Rússia continua a garantir a paz e a segurança no Cáucaso. A ação da Geórgia viola a injunção da Rússia para manutenção da paz e equivale a flagrante agressão. As forças de paz da Rússia e mulheres, crianças e idosos desarmados têm sido as vítimas."

A Rússia continuará a tomar medidas militares e políticas adequadas para imediata cessação da violência e para proteger os civis, inclusive mulheres, crianças e idosos, a maioria dos quaissão cidadãos da Federação Russa, enquanto implementa uma missão de paz em consonância com os acordos internacionais vigentes.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular