Pravda.ru

Federação Russa

Versões essenciais sobre o caso de Anna Politkovskaya

08.10.2006
 
Versões essenciais sobre o caso de Anna Politkovskaya

O assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaya foi cometido no dia em que o Presidente Putin celebrava o 54º aniversário e os autores do crime não podiam inventar maior "presente envenenado" para o dirigente russo.

Os crimes semelhantes têm a alta repercussão pública e abalam o prestígio de qualquer governo. Esta versão além da "marca chechena"  “será investigada pela Procuradoria-Geral  russa, declarou à Interfax uma fonte policial. Serão investigadas e outras versões.

 Politkovskaya  nos seus artigos havia  acusado os dirigentes do atual governo checheno de raptarem civis, torturarem, matarem,  os generais   pelos abusos de direitos humanos  na Chechênia, havia  investigado a atuação dos  grupos criminosos.

O ex-presidente soviético, Mikhail Gorbachev, accionista do Novaia Gazeta,em que trabalhava Politkovskaya, referiu-se à morte de Politkovskaia como "um golpe para toda a imprensa democrática" e "um grave crime contra o país, contra todos nós".

Os procuradores anunciaram uma investigação de homicídio e estava a ser feito um retrato do alegado atacante a partir de imagens da câmara de vigilância do edifício onde a repórter morava. Uma pistola e quatro balas foram encontradas junto ao corpo.

Nascida em Nova Iorque, filha de diplomatas da Ucrânia soviética, Politkovskaia estudou na Universidade de Moscovo e começou por trabalhar em media estatais. Depois do colapso da URSS, passou a escrever nos jornais independentes que tinham surgido sob a governação de Gorbachev.

No ano passado, Anna Politkovskaya venceu em Espanha o prémio Vasquez Montálban de Jornalismo Internacional.

Pravda.ru


Loading. Please wait...

Fotos popular