Pravda.ru

Federação Russa

“Papai lutou para a Rússia ser o primeiro a enviar um homem à Lua”

04.10.2007
 
Pages: 12

Korolev passou muito tempo lá e ajudou a supervisionar a ampliação gradual da infra-estrutura do centro de Baikonur. Para sua filha, pouco tempo restava para o resto de sua vida. "Papai estava tão sobrecarregado com seu trabalho que ele tinha pouco tempo para qualquer outra coisa. E ele não falava quase nada sobre seu trabalho, por conta dos segredos envolvidos", afirma Koroleva.

Ainda assim, ela tem uma lembrança terna do pai. "Bonito, inteligente, forte, convencido da necessidade e da importância da atividade a que ele devotou a sua vida", diz. "Ser filha de Korolev é uma honra e uma responsabilidade. Tenho muito orgulho do meu pai."

A saga da entrevista

Conversar com Natalia Koroleva envolveu um esforço quase sobre-humano de reportagem. Embora ela seja uma médica e professora prestigiada da Academia Médica de Moscou, Koroleva não possui e-mail pessoal, e a academia também não tem uma lista de contatos de seus membros.

Para contatá-la, o G1 teve de conseguir, com suas fontes na Rússia, o telefone residencial da pesquisadora e, por meio de um intérprete russo, requisitar a entrevista.

As perguntas foram então enviadas a Alexander Sukhanov, um cientista espacial russo que divide seu tempo entre o IKI (Instituto de Pesquisas Espaciais), em Moscou, e o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José dos Campos (SP), e que gentilmente concordou em ajudar o G1 nessa empreitada.

Ele traduziu as questões do português para o russo e tentou enviá-las, por fax, para o número dado por Koroleva. Não deu certo. A solução foi então dispará-las, por e-mail, para um colega no IKI, que de Moscou transmitiu as perguntas por fax para Koroleva.

As respostas foram redigidas à mão e enviadas por fax para o IKI, em Moscou, onde chegaram ao colega de Sukhanov. Ele, por sua vez, as enviou para o cientista russo do Inpe, que as traduziu para o inglês e despachou, por e-mail, para a reportagem do G1, onde foram vertidas para o português.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular