Pravda.ru

Notícias » unknown


MAPA DE ESTRADA OU DA DESTRUIÇÃO?

18.10.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Seis meses se passaram e nada de paz, apenas muitos confrontos e hostilidades de Israel e Palestina.

O plano oferecido pelo quarteto e elaborado pelos EUA é questionável, quais seriam as intenções dos EUA para ser o mediador da paz entre seu aliado incondicional – Israel - e a Palestina? . Desviar o foco de atenção da guerra no Iraque; . Os EUA ficaram com uma péssima imagem no mundo árabe, por isso esse plano seria para acalmar os ânimos da Liga Árabe;

. Planos de paz sem resultado não é exceção para resolver a questão palestina e a criação de um Estado soberano. Por isso esse seria mais um para não sair do papel e ficar na história do conflito;

. O mapa de estrada culminaria com o fracasso absoluto da Autoridade Palestina de conter os ataques terroristas e fortaleceria a política de assentamentos judaicos de Ariel Sharon;

Algum fato de significativo aconteceu no desenrolar desse processo? Apenas três meses de "trégua" firmada entre o Hamas , Jihad Islâmico e Ariel Sharon. A trégua foi suspensa, depois que Ariel Sharon começou a caçar militantes dos grupos radicais e chegou a ferir um dos líderes do Hamas.

Desde do dia 14 de maio de 1948, dia da Fundação do Estado de Israel, a ONU entregou os palestinos sem apoio nenhum, para criar seu próprio Estado e lutar contra a expansão de territórios contida na política sionista israelense.

Claro que os palestinos seriam os prejudicados ao enfrentar o poderio militar israelense apoiado pelos EUA. Com isso, em qualquer ocupação ilegal, surgiria a resistência para combater o invasor.

Existiram no mundo várias resistências heróicas, mas a resistência palestina é conhecida como terroristas inimigos da paz(!?) enquanto Ariel Sharon e seu exército combatem até hoje, (como heróis) os terroristas: mulheres, crianças, velhos a população civil massacrada pelos homens da paz(?) na luta contra o terror. O 11 de setembro foi um álibi maravilhoso para continuar o massacre aos palestinos; A guerra contra o terror. Existe terrorismo pior do que ocupar a terra de um povo? Matar suas mulheres e crianças e seus velhos? Usurpar sua terra? Roubar sua água? Sitiar seu líder dentro da sua própria cidade? Contribuir com a formação de jovens militantes terroristas? Espalhar o ódio entre judeus e palestinos pela propaganda contra os árabes? Destruir suas casas? Matar médicos? Intimidar a imprensa estrangeira na cobertura do conflito? Tudo isso é equivalente a um homem bomba matando inocentes israelenses. Existe ainda a questão dos refugiados, cerca de um milhão de palestinos estão em países estrangeiros, sem direito de voltar à sua terra.

A criação de um Estado Palestino nunca foi de importância relevante para a ONU ou para qualquer outra organização, Israel fere todas as resoluções da ONU e dos direitos humanos há 55 anos. Não há possibilidade de punir Israel e mandar o nazista Ariel Sharon a responder por seus crimes no tribunal da Haia. Qual o motivo para isso? Simples, Israel é aliado dos EUA.

Portanto, há um mapa de estrada para a Palestina e os países árabes (Síria, Líbano, Irã,) existe o caminho da destruição de qualquer tolerância pacífica entre Israel e os árabes, entre o judaísmo e o Islã. Com a guerra no Iraque, sempre esteve claro que o mapa de estrada era apenas uma jogada dos EUA e de Israel, na guerra contra o terrorismo.

Ariel Sharon odeia os árabes, o ex ministro da defesa de Israel em 1982 deixou explícito essa posição nos campos de refugiados em Sabra e Chatila. Quanto ao seu companheiro, Bush, esse é débil mental e odeia todos que interfiram nos seus ambiciosos interesses. Além de não saber nada sobre política.

Se não criarem um Estado Palestino e sair do Iraque, o terrorismo o fará à sua maneira. Portanto, Ariel Sharon e George Bush vão despertar uma força à altura dos seus crimes e sua barbárie.

Michele MATOS PRAVDA Ru SÃO PAULO BRASIL

 
4238
Loading. Please wait...

Fotos popular