Pravda.ru

Notícias » unknown


PRINCÍPIO DO LIMITE DO PODER

17.10.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

O poder descobriu que para mandar mais, e fazer o que bem entender, precisa controlar a maioria, mesmo que isto custe pesadas concessões, acordos estapafúrdios, alterações antes inimagináveis.

Configuram-se dois momentos diversos: a conquista do poder através do voto, e o exercício do poder através das santas conveniências.

Para conquistar o poder vale tudo, principalmente mentir, mentir e mentir. Para exercer o poder também vale tudo, principalmente comprar, comprar e comprar.

Os eleitos pelo poder não são os mesmos. Durante a fase de conseguir seu voto, são simplesmente perfeitos, puros, honestos, autênticos. O exercício do poder vem acompanhado de um feitiço extraordinariamente forte: a pessoa se transmuta.

O problema essencial está em os eleitores conquistarem a garantia de que elegeram a mesma pessoa, os mesmos princípios, os mesmos valores, os mesmos compromissos realizados na fase de campanha.

O contra feitiço obriga um repensar do exercício do poder.

A destruição das torres em 11 de setembro de 2001 prova como um fator emocional permite a condução da maioria, mesmo que isto represente a eliminação dos direitos de liberdade, a eliminação de princípios internacionais, incluindo a prerrogativa de apontar culpados sem prova, bastando uma simples suspeita.

O poder está sendo exercido para beneficiar o povo norte-americano e a humanidade? Ou o poder está sendo exercido para beneficiar interesses econômicos e imperialistas?

O Afeganistão entrou pelo cano do petróleo? O Iraque está sendo destruído, pirateado, saqueado em nome da liberdade do povo iraquiano? São perguntas.

As respostas contrastam violentamente com o exercício do poder.

No mundo de hoje existe a possibilidade de surgir um novo Hitler? Que invade territórios alheios matando pessoas sem qualquer julgamento ou possibilidade de defesa? Que destrói impiedosamente lares, famílias, cidades, tradições?

Este Princípio do Limite do Poder está sendo exposto como um alicerce da Nova Constituição do Planeta Terra.

Você concorda? Não? Proponha suas objeções. Sim? Passe a idéia para frente.

Orquiza, José Roberto 52 anos, consultor de marketing, autor dos livros Jogo da Vitória, Editora Juruá; Dez Lições de Sucesso, Editora Posigraf; Fato ou Boato, Você Decide, Ieditora. Formação: Filosofia e Ciências Econômicas. Especialização: Análise Empresarial. Contato: workisa@onda.com.br

 
2555
Loading. Please wait...

Fotos popular