Pravda.ru

Notícias » unknown


A SINA CONTINUA: ATAQUES PALESTINOS E RETALIAÇÕES ISRAELENSES

15.06.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Os grupos radicais palestinos se opõem ao mapa da estrada, por não atender as reivindicações palestinas. O Hamas, Jihad Islâmico e a brigada de mártires Al Aqsa realizaram um ataque em conjunto no domingo a um posto militar israelense deixando 4 militares mortos e outros 4 feridos. Os grupos radicais assumiram a autoria do atentado e declararam que o plano de paz favorece os interesses israelenses, enquanto Ariel Sharon continuar a ocupar territórios e a matar civis, os radicais prosseguirão com mais ataques terroristas. Os ataques terroristas contra alvos israelenses são vistos como a única arma que os radicais palestinos possuem para lutar pela independência Palestina. Porém junto com os atentados de palestinos contra israelenses vem a retaliação de Israel, em ataques militares ferozes á inocentes e a derrubada de casas dos "supostos suicidas", que são feitos com blindados, fora os ataques aéreos em áreas civis. O que acontece no Oriente Médio pode ser encarado como uma tática militar para ambos os lados (Israel e Palestina). Pode se dizer que as táticas consistem em ataques e contra ataques, tanto de palestinos quanto de israelenses. O mais difícil do plano de paz é que Israel só aceita se retirar dos territórios ocupados gradativamente, e ainda só se os palestinos combaterem os radicais e cessar ataques contra Israel. O que acontece nessa situação é que os radicais lutam por conta própria tirando a soberania da AP, que está enfraquecida por não ter o apoio da maioria da população palestina, muitos criticam a fraca atuação de Abbas como primeiro ministro, quanto no desenrolar do plano de paz. Essa atuação fraca de Abbas, dá plenos poderes a Ariel Sharon para continuar com as ações criminosas na Palestina. O premiê palestino foi ridicularizado por Ariel Sharon, que segundo ele " Abbas é um franguinho sem asas". Esses fatores somados à dura posição de Ariel Sharon de contra-atacar os terroristas nos chamados " ataques círugicos", só alimenta a sede de vingança dos mártires dispostos a morrer pela causa Palestina. Na verdade, Israel lança ofensivas militares para atingir líderes dos grupos extremistas, que são acusados por Ariel Sharon de fazer lavagem cerebral nos supostos suicidas. Essa atitude de Ariel Sharon é questionável, os palestinos não precisam de extremistas para se explodir; vejamos o por quê: Nação Palestina?. A Palestina não existe de fato, o que existe são territórios ocupados por Israel, que controla toda a região com postos militares e soldados israelenses patrulhando o território, impedindo a livre trânsito dos árabes na sua terra. Blindados israelenses destroem casas de famílias palestinas, passando por cima dos Direitos Humanos dos homens, que segundo a constituição todo homem têm direito a uma moradia própria. Israel faz ataques preventivos contra áreas palestinas, sob o pretexto de atingir terroristas, matando inocentes, muitas desses crianças e mulheres. Com a segunda Intifada, Israel ataca com mais frequência, deixando mais mortos e feridos, aumentando o ódio e o desespero. É comum depois dos ataques israelenses os palestinos saírem nas ruas para protestar e chorar a dor da injustiça. Numa dessas cenas um pai segurava uma mamadeira e o sapatinho do seu bebê morto, detalhe: os pertences do bebê estavam queimados. Muitos homens palestinos perderam seus empregos em Israel, em setembro de 2001, com o segundo levante, pois foram proibidos de circular em território israelense, para evitar novos ataques contra civis. Com isso, o desemprego na Palestina e consequentemente a pobreza aumentou, segundo a ONU, 3 milhões de Palestinos estão abaixo da linha da pobreza. Muitos estrangeiros vão á Palestina, com o intuito de ajudar e mostrar o que acontece de fato nos territórios ocupados, são barrados no Aeroporto de Israel em Tel Aviv, e uma grande parte é deportada de volta para seus países de origem. A alegação de Israel; são baderneiros. A verdade, Ariel Sharon não quer que o mundo veja as atrocidades e o massacre das suas tropas na Palestina, fora as muitas agressões e constantes humilhações que os Palestinos sofrem por parte dos soldados israelenses. Nessa análise, podemos concluir quem é de fato terrorista. Ariel Sharon só alimenta o terrorismo na região, ele é o culpado de o Hamas lançar seus ataques desesperados pela libertação Palestina. Desde a fundação de Israel, há 55 anos, o ódio, a intolerância, a violência aos direitos humanos, o massacre, e a usurpação de terras árabes é o que se vê no Oriente Médio. Quantas guerras foram travadas em nome do sionismo, sob o pretexto para conter atividades terroristas e com isso expulsar os palestinos, para a possível imigração de judeus na região. Se depender de Ariel Sharon e sua Ultra Direita terrorista, nunca haverá a possibilidade de árabes e israelenses conviverem pacificamente. E bom lembrar que o presidente americano fez pressões a Israel para aprovar a criação de um Estado Palestino, e aceitar o mapa da estrada, isso não é de se surpreender já que no ano de 2004, George Bush vai concorrer a reeleição, precisa ter uma atitude de bom samaritano para explicar os relatórios fraudulentos com que conseguiu aprovar a guerra contra o Iraque. Essa pressão americana, é só até Bush se reeleger. Conseguindo isso vai continuar a apoiar Israel, como foi desde o começo da História. Michele MATOS PRAVDA Ru BRASIL

 
5501
Loading. Please wait...

Fotos popular