Pravda.ru

Notícias » Cultura


Poema de João Craveirinha

25.07.2005 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Irmão Europeu II

Não confundas

Meu irmão europeu,

A palavra europeu

Com a cor da pele.

Não confundas

Meu irmão europeu,

A palavra africano

Com a cor da pele.

Meu irmão europeu,

No século XXI, estamos

E europeu ser

Na cor da pele não está não.

Meu irmão europeu

No século XXI, estamos

E africano ser

Na cor da pele não está não.

Meu irmão europeu

Só se pode sentir

A pele da cor que vestires

E não a cor da pele

Que não sentires.

Ser ou não ser

Não é a questão,

Pois a pele da cor

Está do lado do coração

E a outra, está na aparência.

E, somente dói

Ausente de paixão

E nossa alma corrói,

Sem Amor nem compaixão.

Mas, meu irmão europeu,

Um dia compreenderás,

A minha indignação !

Quando como eu, vestires

As peles de todas as cores!

Poema de João Craveirinha©

 
1303
Loading. Please wait...

Fotos popular