Pravda.ru

Notícias » Sociedade


Moscou: Presidente Putin inaugura a maior mesquita da Europa

29.09.2015 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Moscou: Presidente Putin inaugura a maior mesquita da Europa. 23012.jpeg

Discurso de Vladimir Putin

Presidente Vladimir Putin: Caro presidente Erdogan, presidente Abbas, caros dignitários religiosos, convidados estrangeiros, amigos,

Permitam que os felicite, de todo o coração, nessa inauguração da mesquita-catedral reconstruída de Moscou. É grande acontecimento para todos os muçulmanos da Rússia.

Uma das mais antigas mesquitas de Moscou que já existia nesse local histórico e passou por reconstrução que faz dela, agora, a maior da Europa. A mesquita exibe magnífica arquitetura moderna e inovadora, digna da capital de nosso país unido, multiétnico e multiconfessional. Essa nova mesquita é digna da Rússia, onde - insisto em destacar - em virtude das leis de nosso país, o Islã é uma das religiões tradicionais russas, com milhões de nossos cidadãos incluídos entre os crentes.

Agradeço todos que contribuíram para os trabalhos que hoje nos dão esse prédio magnífico, e a todos os muçulmanos na Rússia e em todo o mundo, que contribuíram com doações para esse esforço de reconstrução. Agradecemos reconhecidos aos governos da Turquia e do Cazaquistão, pelas contribuições que deram à reconstrução da mesquita.

Tenho certeza de que a mesquita tornar-se-á importante centro espiritual para os muçulmanos em Moscou e em toda a Rússia, provendo educação e difundindo as ideias humanistas e os verdadeiros e autênticos valores do Islã. A mesquita difundirá conhecimento e espiritualidade e contribuirá para unir os esforços dos muçulmanos e de crentes de outras religiões, para nobres causas comuns. O Corão nos convoca a tentar nos superar uns os outros na prática do bem.

Desde o surgimento, a Rússia sempre foi país multiétnico e multiconfessional. Esse enriquecimento mútuo das culturas, tradições e religiões diferentes sempre constituiu a força distintiva e a especificidade de nosso país.

A comunidade muçulmana de Moscou, por exemplo, emergiu na época medieval, o que ainda se reflete até hoje também nas raízes tataras de tantos nomes de ruas da capital.

As tradições do Islã ilustrado desenvolveram-se ao longo de séculos na Rússia. O fato de que diferentes povos e religiões vivem lado a lado e em paz na Rússia é efeito, em grande medida, da ação da comunidade muçulmana, que faz contribuição notável à preservação da harmonia em nossa sociedade e sempre se dedicou a construir relações, dentro de cada religião e entre as religiões, fundadas na tolerância às crenças uns dos outros.

Hoje, o Islã tradicional é parte integrante da vida espiritual da Rússia. Os valores humanistas do Islã, como os valores de nossas outras religiões tradicionais, ensinam aos povos compaixão, justiça, afeto e a cuidar do próximo. Todos esses são valores aos quais damos enorme importância.

O número de mesquitas e de centros culturais islâmicos aumentou consideravelmente na Rússia, ao longo dos 20 últimos anos. Mesquitas maravilhosas foram erguidas no Tatarstão, no Bascortostão, na Chechênia e em outras regiões russas. Em 2003, nosso país recebeu lugar como Observador Permanente na Organização da Conferência Islâmica. Milhares de peregrinos viajam da Rússia para fazer o Hajj, e o número de madrasas e escolas associadas às mesquitas também aumentou consideravelmente.

É importante educar os jovens muçulmanos nos valores islâmicos tradicionais e impedir que avancem as tentativas para nos impor concepções de mundo que nos são estranhas e que nada têm a ver com o Islã autêntico. Permitam-me que declare aqui que as autoridades continuarão a ajudar no processo de relançar o sistema russo de escolas teológicas islâmicas e de educação religiosa.

Como os senhores sabem, defendi as autoridades do Tatarstão e os principais órgãos espirituais muçulmanos na questão da criação da Academia Islâmica Búlgara, relançando assim esse antigo centro muçulmano russo de religião e de aprendizado.

Sem dúvida, temos de continuar a desenvolver a rede de centros culturais e educativos muçulmanos. O objetivo deles é congregar muçulmanos, comunicar a eles o código espiritual, cultural e moral inerente ao Islã tradicional na Rússia, auxiliar na solução de problemas comuns e participar na educação dos jovens.

Destaco o papel importante que os muçulmanos e todos seus chefes espirituais desempenham para reforçar a harmonia interétnica e inter-religiosa. A rejeição clara de todas as formas de fundamentalismo e de radicalismo trouxe contribuição enorme à luta contra o nacionalismo e o extremismo religioso.

O trabalho nesse domínio e ainda mais importante hoje, quando se veem as cínicas tentativas de explorar sentimentos religiosos para finalidades políticas.

Vemos o que se passa no Oriente Médio (que já foi mencionado aqui), onde os terroristas de um suposto 'Estado islâmico' pervertem uma grande religião mundial, comprometendo o Islã, semeando o ódio, matando inocentes, inclusive religiosos, e destruindo em ataques bárbaros monumentos da cultura mundial. A ideologia deles é feita só de mentiras e de flagrantes distorções do Islã.

Aqueles terroristas também tentam recrutar adeptos aqui na Rússia. Os dirigentes muçulmanos na Rússia usam valentemente e sem medo a influência que têm para resistir contra aquela propaganda extremista. Mais uma vez, manifesto meu imenso respeito por essas pessoas que heroicamente levam adiante o próprio trabalho e que já perderam companheiros. Não duvido de que continuarão a educar os fiéis no espírito do humanismo, da compaixão e da justiça.

Caros amigos, essa nova mesquita é inaugurada no momento em que a comunidade muçulmana prepara-se para celebrar a grande festa de Aïd al-Adha. Permitam-me felicitar todos os muçulmanos da Rússia nessa festa de alegria, e desejar a todos boa sorte, felicidade e prosperidade.

Felicito todos, nessa inauguração da mesquita. - FIM DO DISCURSO.

 


[1] As imagens que ilustram essa matéria são pura propaganda de alta octanagem política e altíssima qualidade técnica - do tipo que Lênin/Mao ensinaram os comunistas a fazer, mas propaganda à qual, depois, os comunistas 'ocidentais' foram ensinados a esquecer (mas Rússia e China não esqueceram), e os capitalistas fascistizantes capturaram e lhe deram uso pragmático-espetaculoso, exclusivamente para fascistizar. 

As imagens que ilustram essa matéria foram atentamente construídas e selecionadas, para mostrar o presidente Putin como presidente de uma nação (também) muçulmana, mas presidente que conhece seu lugar - pequeno, quase invisível -, nessa relação. Para 'ver' e conseguir avaliar com mais precisão o significado dessas imagens, basta comparar essas imagens e as imagens do 'califa' do 'califato' do 'Estado Muçulmano', que circularam para ASSUSTAR o mundo, nas quais o 'califa' é mostrado como MAIOR que o púlpito e a mesquita. 

Como propaganda, essas imagens de Putin, falando aos muçulmanos, são SEN-SA-CIO-N-A-IS, sobretudo, se se considera que (1) aparecem antes de a Rússia lançar sua guerra contra oISIL/ISIS/Daesh/EI que é a perversão do Islã; e (2) estão sendo exibidas uma semana antes de Putin ser visto também no 'outro' palanque, o palanque dito 'ocidental', da ONU. 

É ver e aprender como se faz, como propaganda de democratização da causa da paz - que NÃO É a causa obamista/sionista para o Oriente Médio muçulmano [NTs].

 

23/9/2019, Moscou, Kremlin

Discurso transcrito e traduzido e vídeo legendado em francês


Muito obrigado a Sayed Hasan  
(http://sayed7asan.blogspot.fr/ ) pela tradução (fr.) e pela 'dica'.

 

 
9822
Loading. Please wait...

Fotos popular