Pravda.ru

Notícias » Sociedade


Filosofia humanística: Estudo por Armando Costa Rocha

20.01.2014 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Filosofia humanística: Estudo por Armando Costa Rocha. 19629.jpeg

A filosofia humanística também poderia ser chamada de cristianismo sem religião ou de cristianismo humano. Por quê? Porque nos leva ao DEUS-AMOR (não sexo), tendo como guia os nossos sentimentos humanos e nada mais.

INTRODUÇÃO

A filosofia humanística também poderia ser chamada de cristianismo sem religião ou de

cristianismo humano. Por quê? Porque nos leva ao DEUS-AMOR (não sexo), tendo como guia os nossos sentimentos humanos e nada mais. Tentam nos levar por caminho aparentemente humano, mas que nos deixa no meio de bandidos e assassinos, tendo como chefe o deus dos exércitos. Esse tema é analisado, especialmente, nos capítulos (19) e (20) nos quais tento mostrar a diferença existente entre a verdade, clara e precisa, e as tentativas das religiões em nos confundir. O lançamento da filosofia humanística, dado a união de pensamentos, serviu também para eu falar do cristianismo sem religião. E o que é o cristianismo sem religião? É uma filosofia sentimental e humana, onde Jesus Cristo é aceito como o filho de DEUS por ser para os seus seguidores o único homem a AMAR o próximo como a si mesmo. Infelizmente o cristianismo com religião usa Jesus agora em proveito próprio. O cristianismo sem religião também poderia ser chamado o novo caminho humano - que convido Todos os humanos a seguirem. Pedindo aos ateus de todas as religiões, que não

acreditam que Jesus Cristo é o filho de DEUS, que não usem o seu santo nome em vão!

1).

Sem nenhuma pretensão, creio que a filosofia humanística deve ser criada, e não ser só um ramo da filosofia. A razão é que o humanismo é uma matéria muito pouco comentada ou procurada pelos filósofos ou outro qualquer ramo das ciências, pois é uma matéria que só diz respeito à espiritualidade, e daí o pouco interesse por ela; pois como diz um dos meus amigos "intelectuais", não dá dividendo!

Realmente não conheci nenhum filosofo, incluindo os religiosos, que se interessasse por humanismo, como se religião e humanismo não devessem andar juntos. Adoro confessar a minha ignorância, e com isso mostrar que existe um Cosmos, ou alguém que me guia. Acabava de escrever, "como se religião e humanismo não devessem andar juntos", e, poucas noites depois recebo inspiração, e a base de TODAS as explanações que darei sobre a filosofia humanística. Continuemos, pois, pensando, meditando, analisando, sem levar em consideração a possibilidade do acatamento ou não, por vocês, das VERDADES ditas com simplicidade e franqueza, onde a lógica é o forte.

PRINCIPIO: de acordo com TODAS as informações, passadas pelos compêndios, o homem, religioso ou não, nasceu bárbaro, na máxima expressão da palavra; tanto os homens reais, das cavernas ou os homens da Bíblia, Caim e Abel. Analisemos agora, sem pretensões ou objetivos delineados por nós em defesa de nossas tendências religiosas ou históricas.

Antes de TUDO, chamo a atenção para o fato, de que, para mostrar o que sabemos e ao mesmo tempo procurar não ofender ninguém com nossas declarações, é melhor não continuar, pois nossas escritas serão vazias e insípidas, até para nós mesmos.

A minha tese - que por mais que não queira revelar por vários motivos, incluindo as pressões inerentes ao meu conhecimento de tudo através de livros e mestres, não poderia deixar de falar sobre ela - é que não somos filhos de DEUS! Pelo menos do DEUS que todas as religiões apregoam, como o representante maior de Amor e Justiça,

É tão simples chegar a essa conclusão, como somar "um mais um e chegar à conclusão, dois!". O estudo do humanismo, que para muitos, como no dicionário da língua portuguesa de Michaelis, é a definição da humanidade, não foi aceito por mim; pela lógica de que, a "humanidade" poderia ter outra significação, já que desde o principio demonstramos ser desumanos. No mesmo dicionário a palavra "humanidade" é descrita como "sentimento de clemência de um ser por outro, ou compaixão".

2).

Para muitos ou quase todos os filósofos fugir de analisar o principio tornou se uma regra, ao compreenderem que estariam fadados a apresentar o homem como um dos piores, ou o pior animal sobre a face da Terra. Vou tentar continuar a minha análise do principio, onde serei guiado pela intuição e ajudado por quem sempre me ajudou.

Temos então uma besta "humana"? Ou só uma besta? Os milênios foram passando, e eis que a besta, desconfiando de que não devia continuar a ser o que era (apesar de não saber o que era), inspirada por alguém ou alguma coisa, principiou a considerar-se filho de um ente superior. Estava assim, sem muito teatro ou declaração bombástica, começando a surgir, o que mais tarde levaria o nome de religião.

É exatamente assim a religião foi descrita no "Dicionário Michaelis" - serviço ou culto a DEUS ou a uma divindade qualquer. Os milênios passando e o homem, degrau por degrau, conseguindo camuflar os seus instintos bárbaros, e, evoluindo materialmente, passou a se abster de pensar com humanismo nos seus semelhantes. O "eu", "eu" e "eu" sempre foi o mais importante para o homem; que já tinha há milênios essa tendência egoísta de viver. Creio que a frase real que deveria ser dita nessa época, seria, "tudo para mim, e o resto que se dane!".

As religiões foram surgindo, para ajudarem aos homens a melhor camuflar as suas tendências egoístas. Os religiosos sempre tinham cuidado, para não falarem a realidade sobre a tendência dos homens; perdoando-os dos pequenos, médios e grandes pecados, achando-os naturais. Os grandes e poderosos, passaram a ter a certeza que tinham um cúmplice, ou sócio, nas organizações religiosas; que passaram por isso, graças a eles, a se tornarem também ricas e poderosas.

Estou dando um pobre exemplo do que se passou desde que o homem bárbaro chegou à Terra, e como se transformou em "civilizado", com a ajuda das religiões. A filosofia humanística tem como diferença das outras filosofias, tentar dar menos possibilidades aos descrentes da verdade de terem algum argumento de peso quando as minhas palavras seriam seriamente contestadas. Aos diversos filósofos religiosos, tenho um forte argumento contra. Por que vocês nunca falaram seriamente em humanismo? Por que para vocês, o ser ou não religioso é como o ser ou não ser humano, apesar de vocês saberem que a religião e o humanismo, não andam nunca de mãos dadas.

 Armando Costa Rocha

 

 
7834
Loading. Please wait...

Fotos popular