Pravda.ru

Notícias » Ciência


Sábados para a infância no TCSB: Os 40 duendes de Delphim Miranda

21.06.2016 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Sábados para a infância no TCSB: Os 40 duendes de Delphim Miranda. 24572.jpeg

Delphim Miranda traz os seus 40 duendes ao Teatro da Cerca de São Bernardo no próximo sábado para uma exposição interactiva, dirigida às crianças da cidade. Entretanto, A Escola da Noite encerra a digressão ibérica de "A Canoa", com uma sessão em Cáceres, no espaço da companhia Karlik Danza Teatro.


O artista plástico Delphim Miranda regressa esta semana ao Teatro da Cerca de São Bernardo, com uma iniciativa peculiar, no âmbito dos Sábados para a Infância. "Ali há quarenta duendes" é uma mostra interactiva de duendes articulados (marionetas) construídos pelo próprio, que promete encantar miúdos e graúdos. Os bonecos "invadirão" o bar do TCSB no sábado de manhã e contarão histórias, pela voz do próprio Delphim e, sobretudo, através das crianças, que serão convidadas a escolher os duendes que melhor lhes servirem para inventar e contar aos outros as suas próprias histórias. O limite é a imaginação dos miúdos! A sessão está marcada para 18 de Junho, pelas 11h00, e é recomendada para maiores de 6 anos. Os bilhetes, que podem ser reservados pelos contactos habituais, custam 3 Euros (individual) e 5 Euros (adulto+criança).

Delphim Miranda
Delphim Miranda nasceu em Lisboa em 1947. Frequentou o Curso de Pintura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e lecciona desde 1971 as disciplinas de Educação Visual e Educação Visual e Tecnológica no ensino oficial. É formador nas áreas de Expressão Plástica, certificado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional.
Depois de ter experimentado diversas formas de comunicação, tais como o Cartoon, a Banda Desenhada, o Cinema de Animação, a Pintura, a Ilustração, a Performance/intervenção, fixa-se no Teatro, trabalhando nas áreas da Cenografia, Figurinos, Adereços, como Actor e como Autor.
Descobrindo no Ensino as Marionetas como unidade de trabalho capaz de envolver os alunos em todas as áreas expressivas, especializa-se nesta Arte, tornando-se profissional. Monta então os seus primeiros espectáculos, em que contracena com as suas Marionetas, contando histórias de sua autoria.
Tem percorrido o país de lés a lés como contador de histórias com marionetas, participando também em festivais de Teatro, nacionais e internacionais. Integrou o Programa de Apoio à Leitura da Fundação Calouste Gulbenkian apresentando os seus espectáculos e ministrando formação a professores e animadores nas áreas expressivas. Durante a Expo 98 integrou o elenco do espectáculo diário "Peregrinação", conduzindo um dos Peregrináveis.
No TCSB, apresentou já os espectáculos "Caixas com histórias por dentro" (Fevereiro de 2015) e "Queres que te conte outra vez?" (Março de 2014), construiu e exibiu a exposição "Más caras e outras carantonhas" (Janeiro a Fevereiro de 2015) e dirigiu as oficinas "Pássaros, passarôcos e outros pardalôcos" (Fevereiro de 2015), "Más caras e outras carantonhas - os zarapelhos" (Fevereiro de 2015) e "Como quem costura um conto" (Março de 2014).

"A Canoa" em Cáceres
Ainda esta semana, e em vésperas de iniciar a preparação do seu próximo trabalho, A Escola da Noite encerra a digressão ibérica de "A Canoa", de Cándido Pazó. Nove meses depois da estreia, em Coimbra, e depois de ter passado por Miranda do Corvo, Santiago de Compostela, Évora, Mortágua, Braga, Saragoça e Figueira da Foz, o espectáculo é apresentado no domingo, 19 de Junho, em Casar de Cáceres (Espanha), no espaço La Nave del Duende, casa da companhia Karlik Danza Teatro.
A iniciativa integra o Circuito Ibérico de Artes Cénicas, do qual A Escola da Noite é co-fundadora, com mais cinco companhias portuguesas, e implica o intercâmbio com o grupo espanhol, que virá ao TCSB no próximo mês de Setembro, com um espectáculo de dança para a infância.
Escrita a partir de uma história meio absurda - o desconforto de um homem com o facto de o vizinho guardar uma canoa no seu lugar de garagem -, "A Canoa" chama a atenção para o problema da violência doméstica e para a forma como ele se relaciona com os quadros de valores em que nos movemos. Desde a sua estreia em Coimbra, o espectáculo conta com mais de 30 apresentações, tendo sido visto até ao momento por cerca de 2.500 pessoas. A montagem foi dirigida pelo próprio autor e conta no seu elenco com as interpretações de Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Ricardo Kalash e Sofia Lobo.

COIMBRA, TEATRO DA CERCA DE SÃO BERNARDO

Programação de 13 a 19 de Junho de 2016

 

 
5952
Loading. Please wait...

Fotos popular