Pravda.ru

Notícias » Federação Russa


Líbia, a Verdade e a Comunidade Internacional

31.08.2011 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Líbia, a Verdade e a Comunidade Internacional. 15505.jpegHoje, 31 de agosto, estamos na véspera da Revolução Al-Fateh que trouxe Muammar al-Qathafi ao poder em um golpe de estado sem sangue que instalou o primeiro Jamahiriya do mundo, ou seja, o governo através de Congressos do Povo. A grande preocupação internacional com esta guerra é um comentário útil sobre onde estamos colectivamente.

Muammar al-Qathafi é, numa só palavra, um gênio. Seu sistema de governo Jamahiriya governo é talvez a mais pura forma de governação e sua pura simplicidade significa que pode ser implementado em qualquer sociedade, em qualquer lugar na Terra. Em essência, é o governo baseado em congressos do povo - governo do povo para o povo, num mundo em que os recursos pertencem a todos, igualmente. É a aldeia, implementada globalmente, entendendo que o ser humano funciona melhor quando se vive e coopera em pequenas comunidades.

Agora esse preceito vai ser recebido como veneno para a camarilha de elitistas corporativos que gravitam em torno dos centros de poder, usando a mídia e a OTAN para manipular a opinião pública e, quando possível, implantar seus regimes, sejam eles baseados em terroristas ou não, a única regra é que passem os recursos para fora aos poderes imperialistas.

E também vemos nesta crise exatamente onde está o nosso mundo. O direito internacional existe mas não é implementado. A OTAN tem quebrado todas as regras no livro na Líbia e tornou-se apta para acusação de crimes de guerra e quebra da lei internacional - algo que está actualmente em preparação. De um lado, temos as forças das trevas satânicas da OTAN e do outro lado, aqueles que se vêem como os guardiões do que é certo e bom e justo. É uma luta do bem contra o mal, é uma luta de Deus contra Satanás, trata-se de aplicação do direito internacional contra a lei da selva ou a noção de que quem tira pela força, pode ficar impune.

Para aqueles que justificam esse acto de agressão da OTAN chamando "Kadafi" um "ditador", algumas verdades. Muammar al-Qathafi ia receber um prêmio humanitário em Março pelo seu registo, ele foi o único a falar contra as práticas mais conservadoras no Islã, ele que se manifestou contra o assassinato de homossexuais ou o apedrejamento de mulheres. O sistema Jamahiriya é a antítese de uma ditadura. Qual ditador educa seu povo e paga-o para estudar no exterior?

A taxa de alfabetização da Líbia melhorou de dez por cento para noventa por cento sob "Gaddafi" e sob a sua orientação o país subiu do mais pobre do mundo para o mais rico em África. Aqueles que entendem alguma coisa sobre os acontecimentos geopolíticos sabem que este é um feito incrível, em si, dentro de quatro décadas.

O coronel Gaddafi também deixa seu legado, que é o Livro Verde, que explica a sua filosofia e seu sistema político - aquele livro que deveria ao menos estar na lista de leitura fundamental em todas as escolas e cujo legado será eternizado pela Internacionalização da Jamahiriya, algo que já está ocorrendo e que tem dezenas de milhares de seguidores em todo o mundo. Amanhã, haverá milhões.

O coronel Gaddafi também pode olhar para os seus inimigos de hoje e rir. Verdade, ele tem lutado, e continua a lutar, contra a mais poderosa organização militar do mundo há seis meses e qualquer progresso que seu inimigo tem feito, foi feito por violar todas as regras de engajamento, de modo que dificilmente se pode rotular isso "vencer". Mas ele também é o criador de sonhos atrás da União Africana, ele defende a Unidade Africana contra o imperialismo, ele defende uma África para os africanos, os problemas africanos resolvidos pelos africanos para os africanos, os recursos sendo para os africanos. Mais do que isso, seus projetos pan-africanos libertaram os povos deste continente do jugo de tirania imperialista, tendo o seu próprio financiamento para seus próprios programas sem ter que depender de fontes ocidentais que fornecem bens, ainda com caudas enormes de pagamento de juros exorbitantes em anexo.

O que seus inimigos querem, vimos muito claramente - uma "conferência" internacional foi agendada na semana passada em que as linhas foram mais uma vez desenhadas em mapas e em que as potências coloniais literalmente dividiram entre elas os despojos da Líbia, antes mesmo de o conflito acabar. Quanto aos "rebeldes", o quê são eles e o quê é que eles querem?

Fontes ocidentais se deleitaram na libertação de prisioneiros sem se preocupar em pesquisar o que eles tinham feito ou por quê eles estavam nas prisões. Estupradores em série, assassinos e criminosos comuns desfilem agora como "rebeldes", um movimento que incluiu um bando de oportunistas políticos cuidadosamente preparados pelos franceses, britânicos e italianos, uns poucos liberais, fundamentalistas islâmicos (como veremos em breve de forma mais clara), um monte de mercenários estrangeiros e, em essência, excursionistas jovens que entrem de manhã no conflito com metralhadora em riste antes de dirigir para casa para jantar à noite.

Saqueadores, estupradores, assassinos. Terroristas, sim - civis, não. Militarmente capacitados por uma campanha selvagem e assassina de bombardeios da OTAN, essas pessoas podem ou não, eventualmente, desmantelar o Jamahiriya na Líbia, mas eles não vão destruí-lo como um sistema. O Legado precioso é bem protegido e Muammar al-Qathafi sabe disso.

É por isso que Muammar al-Qathafi pode olhar para trás com satisfação sobre o que ele alcançou, pela mesma razão que os Srs. Cameron, Obama e Sarkozy vão passar o resto das suas patéticas e insípidas e ocas vidas olhando por cima do ombro ou se perguntando quem poderia ser cada vez há um toque na campainha; não deixaram nenhum legado, exceto uma tentativa falhada em governar seus próprios países, enquanto eles representam a violação mais flagrante da lei na história recente. E, pior, eles e suas amigos na OTAN têm o sangue de crianças líbias em suas mãos. Se eles tivessem um pingo de decência, iriam ouvir estes gritos soando nos seus ouvidos durante toda a noite todas as noites e por mais eles tentassem bloquear o som, mais alto se tornaria.

É por isso que tantas pessoas na comunidade internacional apoiam Muammar al-Qathafi. Aqueles de nós que foram para a Líbia e que têm conhecimento sobre o país entendem muito bem onde os corações e mentes dessas pessoas estão - com o que é certo e justo e bom. Gaddafi nunca foi um ditador, e não merece isso.

Aqueles cujas corações e mentes estão com a OTAN, bem, há sempre aqueles que vendem suas almas ao diabo. No entanto, existe algo superior a nós, e para quem nós vamos apresentar-nos inevitavelmente para o julgamento quando o dia chegar. Muammar al-Qathafi sabe para onde vai, e eu suspeito que Cameron, Obama e Sarkozy, no fundo, sabem onde eles vão também. Por isso ele pode descansar em paz, e eles não.

Para aqueles com dúvidas depois de um bombardeio de mentiras dos meios de comunicação ocidentais, pesquisar: Livro Verde, Jamahiriya e projetos de Gaddafi em África.

Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru

 
8297
Loading. Please wait...

Fotos popular