Pravda.ru

Notícias » Federação Russa


COP Copenhaga 15: Medvedev Mostra o Caminho

25.12.2009 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Longe de tentar bloquear o progresso na Conferência de Clima em Copenhaga, como alguns meios de comunicação internacionais tão previsivelmente reivindicaram, a Rússia está, de facto, liderando o caminho que apela a um acordo sobre a política sustentável entre os seus parceiros na comunidade internacional, insistindo que o compromisso com as metas estabelecidas é a única maneira de garantir de que a Cimeira não desaponte.


Na segunda-feira, o Presidente Dmitry Medvedev convidou a E.U.A., Brasil, China e Índia para fazer "compromissos simultâneos e compromissos que todos nós respeitamos" para coordenar seus esforços para combater as alterações climáticas. Só através de um esforço concertado é que qualquer progresso será feito, ele acrescentou, uma vez que "tentar fazer isso sozinhos será infrutífero e inútil".

Rússia dá o exemplo em casa
Apelando aos seus parceiros a assumir compromissos firmes, a Rússia lidera o caminho em casa, reduzindo substancialmente as emissões de GEE. O Conselheiro presidencial Aleksandr Bedritsky declarou numa conferência de imprensa em Copenhaga, recentemente, que "Já estamos fazendo muitas coisas. Rússia lidera na redução do impacto humano sobre o clima. O declínio nas emissões russas é maior do que nos outros países.”


O Conselheiro foi mais longe: "A Rússia tem sido o líder na redução de emissões de GEE nos últimos vinte anos ... Na verdade, nossas indústrias têm mudado para as tecnologias modernas".


Por esta razão, e razoavelmente, a Rússia insiste sobre as cotas não utilizadas no âmbito do Protocolo de Quioto, permanecendo como parte de um novo acordo, a Rússia se compromete a reduzir suas emissões em 25% dos níveis de 1990 até 2020, um número comparável ao dos Estados-Membros da U.E. Rússia apoia a redução das emissões GEE dos países desenvolvidos para entre 10 e 40% em 2020 e 50% antes de 2050.


"A Rússia fez parte nas negociações de clima e trabalhou na elaboração do Protocolo de Kyoto desde o início", afirma, Dmitry Medvedev, acrescentando que "a Rússia estabelece uma série de condições. Por exemplo, o processo deve ser global e envolver todos os países."


Para o Presidente da Rússia, pode ser feito mais, ou seja, "nosso objetivo é aumentar a eficiência energética da economia russa em 40%, até 2020", enquanto "a quota de energia nuclear será aumentada em 30%".


A Federação da Rússia declarou também que está preparada para ajudar os países em desenvolvimento a reduzir suas emissões de GEE.

Kyoto deve ficar em vigor, os compromissos devem ser honrados
No entanto, existem dois vectores principais que devem ser respeitados: Primeiro, a noção de que acordos e compromissos já assinados sejam respeitados por todos e não alterados para se adaptar aos caprichos de alguns. A Rússia tem feito mais do que a maioria dos países a honrar os seus compromissos - as suas emissões em 2006 foram um total de 34% abaixo dos níveis de 1990 e não é justo que outros países que não ratificaram Kyoto nem respeitavam as condições agora apelem por um novo acordo, relegando Kyoto para o lixo, juntamente com os enormes esforços dos países como a Rússia.

Em segundo lugar, somente através de um firme compromisso entre todos os principais actores da comunidade internacional - e isto deve incluir todos os membros do G8, mais o bloco BRIC - pode Copenhaga ser relevante.


Pode ser ainda demasiado cedo para produzir um documento juridicamente vinculativo, mas um compromisso político seria um bom começo. Estas são as políticas que a Federação Russa prossegue. Longe de bloqueio, a Rússia está liderando o caminho em matéria de alterações climáticas.

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru
 
3987
Loading. Please wait...

Fotos popular