Pravda.ru

Notícias » Federação Russa


O Pai Natal é russo?

25.12.2009 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 


O Pai Natal ocidental não começou sua vida como uma figura de Inverno trazendo presentes para as crianças, mas como um espírito de fertilidade bêbado que veio para dar boa sorte à colheita do próximo ano. A pessoa que é hoje universalmente aclamada como o benevolente e barbudo Papai Noel é na verdade uma encarnação do Avô Geada Russo ... para quem davam brindes como resgate para que ele não transformasse os filhos em gelo. Pravda também teve um papel a desempenhar nessa história ...


Há tantos mitos sobre o Natal e tantas referências multi-culturais que a figura foi encoberta numa névoa multinacional. Tanto tem contribuído a tradição popular, como manifestações culturais e muito mais, o poder da máquina de marketing anglo-saxónico centrada em primeiro lugar no Reino Unido e em seguida, no E.U.A., que a figura Pai Natal, ou Santa Claus, tornou-se associada com as campanhas da Coca-Cola…ou terá saido das novelas de Charles Dickens? A verdade, porém, é que este "Pai Natal" é na verdade um espírito de fertilidade, que pertence mais à Páscoa, enquanto o verdadeiro "Papai Noel" vem do Oriente. Na verdade, da Rússia. Ele não é outro senão Ded Moroz, ou Vovô Geada.


Voltemos no tempo..para quando o acesso universal à escrita começou… foi aí que as primeiras imagens desta figura começaram a se espalhar. Dezembro, nos tempos dos romanos, quando o festival da Europa do Norte do equinócio de Inverno foi comemorado junto com a Saturnália romana (a semana antes do dia 21 ), um festival debochado, hedonista, forjado com embriaguez e brigas e a Juvenalia (25 de Dezembro), uma festa que honrava a juventude de Roma. Os cristãos tentaram encontrar uma maneira de "cristianizar" o festival juntando as três tradições pagãs e em 221 DC, o historiador Sexto Africanus expôs a teoria de que nove meses após o equinócio da Primavera de 25 de março, Cristo nasceu.


Quem, então, é o benevolente gordinho Pai Natal com barbinha branca? Na época romana, a estação do inverno foi muito mais quente do que hoje e teria correspondido à época de plantio. É por isso que os primeiros Pais Natal eram verdes e cobertos de azevinho e visco (símbolos de fertilidade) ... por isso ele não era uma figura de Inverno, mas sim um espírito de fertilidade mais virado para a Páscoa.


O Pai Natal que todos nós conhecemos e amamos começou sua vida como um feroz espírito de Inverno na tradição antiga eslava, como Pozvizd (Deus do vento), Zimnik (Deus do inverno) e Korochun (Deus de geadas), sancionada, eventualmente, na encarnação do Ded Moroz (Vovô Geada). Longe de carregar seu saco carregado com prendas, ele usou-o para transportar as crianças que raptou antes de as transformar em gelo ... e as famílias das crianças deram-lhe presentes para resgatá-las.


Com o tempo, ele amadureceu e, no final do século XIX, tornou-se relacionado com a neve, e a menina da neve, sua neta (Snegurochka) começou a acompanhá-lo, devido à influência da peça de teatro de Aleksandr Ostrovsky, com o mesmo nome e libreto de Rimsky-Korsakov, baseado na peça Snegurochka.


Nesta altura já tinha assimilado muitos dos traços de São Nicolau, nascido por volta de 280 DC em Patara, perto de Mira, na Ásia Menor, um homem religioso que se tornou famoso por seus atos de piedade e benevolência, viajando para distribuir sua riqueza herdada, salvando as meninas de prostituição, oferecendo-lhes um dote para que se pudessem casar e, muitas vezes largando dinheiro anonimamente pela chaminé. São Nicolau foi recordado particularmente na Holanda como Sint Nikolaas e os primeiros imigrantes levaram ele para a América, onde seu nome se transformou em Santa Claus (Papai Noel).


No entanto, Ded Moroz, teria também uma associação com a chaminé, porque na congelada tundra da Sibéria, as pessoas muitas vezes costumavam escavar casas temporárias debaixo da neve e a entrada e saída teria sido através da chaminé. Como então Ded Moroz se transformou no Pai Natal, ou Papai Noel, vermelho e branco?


Enquanto ele mudava de nome na Rússia Imperial de Ded Moroz para Moroz para Morozko para Ded Treskun, a literatura e música o adotou e transformou-o em uma alma benevolente, barbuda e avuncular, gordinho e alegre, comemorado mais no Ano Novo do que no Natal (o Natal Ortodoxo é 6 de janeiro). Stalin emitiu um decreto declarando que as pessoas que representam Ded Moroz deveriam se vestir de azul ... e foi a carta de Pavel Postyshev publicado no Pravda em 28 de dezembro de 1935 que exigia a reintegração da Árvore do Ano Novo como o ponto focal de festas ... e Ded Moroz estava depois sempre sentado ao lado da árvore.


A própria árvore era adorada como um Deus pelos europeus e norte politeístas e os primeiros missionários cristãos usaram a forma triangular do abeto para ensinar a noção do Pai, do Filho e do Espírito Santo.


A fusão de culturas e valores e tradições deve muito ao talento de marketing da Grã-Bretanha e mais tarde os E.U.A., quando manifestações culturais foram projetadas no palco mundo. O cartão de Natal foi lançada na Inglaterra já em 1830 por John Calcott Horsley, que produziu pequenos cartões com mensagens e imagens de festa e, ao mesmo tempo no E.U.A., RH Pease estava fazendo cartões semelhantes em Nova York. Em 1809, Washington Irving tinha tornado São Nicolau no santo padroeiro da cidade em A História de Nova York (fundada pelos holandeses).


Charles Dickens "A Christmas Carol" (1843) descreve o Espírito do Natal como uma figura alegre barbudo vestido com uma túnica forrada verde (espírito de fertilidade), talvez seguindo o poema do americano Clement Clarke "A Visit from Saint Nicholas" (1822) em que São Nicolau é referido como tendo "a barba no queixo ... branca como a neve". A comercialização desta versão do Pai Natal, o Espírito de Fertilidade Pagão e coberto de folhas verdes transformou-se no Espírito de Inverno russo, continuou reforçada com a montagem Thomas Nash em 1866 no Illustrated Harper's Weekly (E.U.A.), colocando o Papai Noel como um fabricante de brinquedos, com base no poema de Clement Clarke. Coca-Cola lançou uma campanha publicitária em 1930 inspirada nesses desenhos.


Desejamo-lhes um Feliz Natal com Papai Noel ... Noel, que vem do francês Les bonnes nouvelles (a boa notícia, o Evangelho).

Timothy BANCROFT-HINCHEY
Lisa Karpova
PRAVDA.Ru

 
6590
Loading. Please wait...

Fotos popular