Pravda.ru

Notícias » Mundo


Mentiras, mais mentiras e até mais mentiras

07.10.2004 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

É oficial: não houve Armas de Destruição Maciça no Iraque, como se fosse necessário ler o relatório apresentado hoje pelo Grupo de Inquérito sobre o Iraque. Há dias, Donald Rumsfeld e Tony Blair, sabendo o teor do que viria a ser revelado, tentaram justificar-se duma forma pouco convincente.

Há dois dias, Donald Rumsfeld, Secretário de Defesa dos EUA, admitiu que Washington se enganou sobre os ADM no Iraque. Também admitiu que não havia provas ligando Saddam Hussein a Al Qaeda.

Onde, então, está a justificação para o acto de chacina de Bush no Iraque e quem vai ser responsabilizado por aquilo que aconteceu?

George W. Bush levou os Estados Unidos da América para participar numa guerra, uma guerra em que ele gastou duzentos mil milhões de USD, em que mais do que mil soldados norte-americanos perderam suas vidas, em que 35.000 civis foram assassinados ou mutilados pelas tropas norte-americanas, no acto mais chocante de terrorismo de estado testemunhado há décadas.

George Bush levou seu país para participar nesta guerra por duas razões: uma, que Iraque era uma “ameaça imediata” aos EUA e aos seus aliados, por causa das suas ADM. Outra, por causa da ligação provada entre o governo de Saddam Hussein e a rede de Al Qaeda, ligando a questão do iraque à guerra contra o terrorismo internacional, e justificando o ataque, pelo menos nos corações e mentes do povo norte-americano, baseado no horror do 9 de Setembro.

Em Setembro de 2002, Donald Rumsfeld declarou de viva voz: “Nós temos o que nós consideramos serem reportagens muito fiáveis de contactos a um alto nível durante mais do que uma década, e de possível programas de treino na utilização de agentes químicos e biológicos. E quando eu digo contactos, quero dizer entre o Iraque e Al Qaeda”.

Mais tarde, o Secretário de Defesa dos EUA disse que ele sabia onde estavam as ADM do Iraque: “Em Baghdad e Tikrit e ao norte, a sul, a leste e ao oeste daí”. Agora que é confrontado com a verdade nua e crua, Rumsfeld admite ao Conselho sobre as Relações Exteriores em Nova York que nunca viu nenhumas provas ligando Bagdade a Al Qaeda: “Que eu saiba, eu não vi provas duras e fortes que ligam os dois”. Então, tinha as provas ou não tinha?

E sobre ADM: “Acontece que não encontrámos ADM, e por que razão a inteligência estava errada, eu não estou numa posição a dizer”.

Vamos ajudar o Secretário de Defesa: A razão porque a inteligência estava errada é muito simples: porque Donald Rumsfeld, George Bush, Colin Powell, Tony Blair e seus regimes são nada mais, nada menos do que uma cambada de mentirosos descarados, uns assassinos, uns fora-de-lei, um bando de terroristas, de hipócritas, que insultaram a comunidade internacional, que romperam a Carta da ONU e que são culpados de crimes de guerra, de assassínio em grande escala e de danos corporais graves, com dolo, a dezenas de milhares de pessoas.

A verdade é que Saddam Hussein nunca empregou suas armas contra um único cidadão dos EUA. George Bush chacinou milhares de iraquianos numa guerra ilegal. A verdade é que Saddam Hussein afinal era aquele que dizia a verdade, enquanto Bush mentia entre os dentes, enquanto acusava o Presidente do Iraque de “enganar o mundo”. Quem enganou, afinal, o mundo?

Quem apresentava as provas no Conselho de Segurança da ONU, com fotografias, com maquetes, com etiquetas e setas, das ADM no Iraque? Quem mentiu à comunidade internacional, e propositadamente?

Quem dizia que sabiam muito bem onde estavam as ADM, mesmo quando as equipas da UNMOVIC estavam à produra delas e não encontravam nada? Quem dizia que as ADM estavam a ser levadas pelo deserto fora em veículos? Quem falava sempre da guerra contra o terrorismo internacional e quem mencionava com cada frase que dizia, o 11 de Setembro, quando falava do Iraque?

Quem tentou ligar a questão do Iraque ao terrorismo internacional? Quem abriu as fronteiras do Iraque ao terrorismo internacional?

Numa palavra, Bush.

Por isso é o Bush o terrorista internacional, é o Bush que tem, e utiliza, suas Armas de Destruição Maciça, o Bush que é responsavel pela utilização de bombas de fragmentação em zonas residenciais, é o Bush o responsavel pela escolha de infra-estruturas civis como alvos militares.

Agora vem a justificação de Rumsfeld e Blair (Bush não é Homem para admitir que errou e pedir desculpa). Dizem agora que erraram mas que estavam justificados. Ora, ou erraram, e ponto final, ou estavam justificados, e ponto final.

Como se pode dizer que é errado mas que tinha razão? Este bando de mentirosos patológicos já disseram tantas, que parece que eles próprios começam a acreditar na teia de confusão que semearam.

Dizer que o ataque contra o Iraque foi justificado porque Saddam Hussein já não está no poder não é um casus belli justificado nem justificavel. Existe algo chamado a lei internacional. O que Blair e Rumsfeld propõem é uma justificação das multidões que resolvem os problemas pelo linchamento. O que propõem é exatamente a mesma coisa como por exemplo, um grupo de homens cercarem outro transeúnte, a gritarem “É um bruxo!”, para a seguir, regá-lo com gasolina e pegar fogo nele, depois dizem que o bairro esta melhor porque o homem era mau.

Alguém, algures, tem de aceitar a responsabilidade por aquilo que aconteceu. Não é sustentavel que o nosso planeta no início do século 21, no início do terceiro milénio, ainda não seja governada pela lei internacional. Não podemos dizer sim a linchamentos, nem à imposição de ordem pela multidão.

O que aconteceu não pode ficar impune. Senão corremos o risco de ninguém obedecer nenhumas leis. Anarquia, caos. O legado de George Bush. É o que acontece quando o cowboy sai do Texas e tem a mania que pertence no palco internacional.

Timothy BANCROFT-HINCHEY PRAVDA.Ru

 
5987
Loading. Please wait...

Fotos popular