Pravda.ru

Notícias » Mundo


Presidente do Sudão perdoou a professora britânica

03.12.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, perdoou a professora britânica Gillian Gibbons, de 54 anos, que foi condenada após ter permitido que seus alunos chamassem um ursinho de pelúcia de Maomé - colocando um final a um caso que ultrajou britânicos e islâmicos no mundo inteiro.
"Ela está sob custódia da Embaixada da Grã-Bretanha e com o vice-embaixador britânico," informou Omar Daair, porta-voz da embaixada brtânica. Ele não informou em qual local a professora se encontra e nem quando deixará o Sudão,segundo Agência Estado.


Gibbons disse que não pretendia ofender ninguém e insistiu que tem muito respeito pelo Islã. "Eu tenho um grande respeito pela religião islâmica e jamais ofenderia alguém," disse Gibbons em um comunicado. "Agora, quero rever minha família e meus amigos. Sinto muito por não poder voltar mais ao Sudão."

O lorde Nazir Ahmed e a baronesa Sayeeda Warsi, representantes muçulmanos na Câmara dos Lordes do Reino Unido, se encontraram com al-Bashir nos últimos dias e pediram que Gibbons fosse perdoada. Na Grã-Bretanha, o primeiro-ministro Gordon Brown se disse contente com as notícias. "O senso comum prevaleceu", disse o premiê em um comunicado.

Gibbons foi sentenciada na semana passada a quinze dias de prisão e à deportação por ter insultado o Islã, ao permitir que seus alunos chamassem um ursinho de pelúcia de Maomé, profeta que é o mais reverenciado pela religião islâmica. No Sudão, vigora a Sharia, ou a lei islâmica. A condenação de Gibbons chocou os britânicos. Ela escapou a uma punição maior, que poderia ser de seis meses de prisão, 40 chicotadas e o pagamento de uma multa.

 
1712
Loading. Please wait...

Fotos popular