Pravda.ru

Notícias » Mundo


Complô em Miami para atacar a Venezuela

01.02.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Enquanto a Casa Branca afirma que combate o terrorismo no seu próprio território, grupos extremistas de cubanos e venezuelanos tramam uma conspiração e até se treinam militarmente para atentar contra seus países.

Os cabecilhas da organização F-4, que admitiu suas atividades terroristas contra Cuba, e da chamada Junta Patriótica Venezuelana, liderada por um oficial golpista, firmaram «uma aliança cívico-militar no empenho por derrubar os presidentes Fidel Castro e Hugo Chávez», informou o jornal The Wall Street Journal.

Os Comandos F-4 são comandados por Rodolfo Frómeta, 56 anos, e a Junta Patriótica pelo capitão golpista Luis Eduardo García, 37 anos, que fazendo parte do falido golpe de abril, foi um dos primeiros militares dissidentes que atacou o Palácio Presidencial de Caracas para derrubar do poder o presidente eleito democraticamente nesse país sul-americano.

«As duas agrupações se comprometeram» — assinalou o jornal — «a juntar sua experiência militar combinada e trocar informação de espionagem» no intuito de atacarem as legítimas autoridades de Havana e Caracas.

O próprio García revelou que, num polígono situado no pantanal de Everglades, treina militarmente 50 membros dos Comandos F-4, 30 deles cubano-americanos, e o resto, venezuelanos dissidentes radicados em Miami.

Miami dá abrigo a um número crescente de extremistas antichavistas em meio ao éxodo de 10 mil venezuelanos, que se assentaram nessa urbe nos últimos três anos.

«Os ‘recém-chegados’ encontram na bem estabelecida comunidade cubano-americana, nomeadamente seus setores mais radicais, ‘aliados entusiasticos’ na sua luta contra Chávez», assinala a publicação.

Fonte:www.granma.cu

 
1809
Loading. Please wait...

Fotos popular