Pravda.ru

Notícias » Desporto


CEARTE e DGPC assinam protocolo de formação para os próximos três anos

23.03.2018 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
CEARTE e DGPC assinam protocolo de formação para os próximos três anos. 28447.jpeg

CEARTE e DGPC assinam protocolo de formação para os próximos três anos

O protocolo tem como principal objetivo formar os colaboradores da DGPC, de forma a darem resposta adequada aos elevados fluxos de turismo que o país tem registado nos últimos anos e às solicitações cada vez mais exigentes dos clientes dos museus, monumentos e palácios nacionais.

Foi ontem assinado (segunda-feira, 19 de março), o protocolo de colaboração entre o CEARTE e a Direção Geral do Património Cultural (DGPC), que prevê um conjunto de ações de formação a serem ministradas pelo CEARTE aos trabalhadores dos museus, monumentos e palácios tutelados pela DGPC, nos próximos 3 anos.

A cerimónia contou com a presença do Delegado Regional do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), António Alberto Costa, do Subdiretor Geral da DGPC, Filipe Silva, da Diretora do Museu Nacional de Machado de Castro, Ana Alcoforado, da Diretora do Mosteiro de Alcobaça, Ana Pagará, do Diretor do Mosteiro da Batalha, Joaquim Ruivo, da Diretora do Museu Nacional Grão Vasco, Paula Cardoso, do Diretor do Museu Monográfico de Coimbra, José Ruivo, de representantes do Ministério da Cultura, bem como, do Presidente do Conselho de Administração do CEARTE, Paulo Teles Marques, e do Diretor daquela instituição, Luís Rocha.

O protocolo tem como principal objetivo formar os colaboradores da DGPC, de forma a darem resposta adequada aos elevados fluxos de turismo que o país tem registado nos últimos anos e às solicitações cada vez mais exigentes dos clientes dos museus, monumentos e palácios nacionais.

A formação será dirigida aos colaboradores dos espaços da DGPC (entre os quais, 844 efetivos, 5 dirigentes superiores, 31 dirigentes intermédios, 311 técnicos superiores, 430 assistentes técnicos e 67 assistentes operacionais), designadamente, Palácio Nacional da Ajuda, Palácio Nacional de Mafra, Mosteiro de Alcobaça, Convento de Cristo, Mosteiro da Batalha, Museu Nacional Machado de Castro, Museu Monográfico de Conímbriga, Museu Nacional Grão Vasco, e Laboratório José Figueiredo.

No Plano de Formação para o triénio 2017-2020, aprovado pela DGPC, estão assim previstas 179 ações de formação, num total de 23.626 horas de carga horária, distribuídas pelas seguintes áreas: Assuntos Europeus e Cooperação, Assuntos Jurídicos, Auditorias e Fiscalização de Controlo, Biblioteconomia, Arquivo e Documentação (BAD), Comunicação, Liderança e Desenvolvimento Pessoal, Contabilidade e Finanças, Contratação Pública, Gestão de Pessoas, Governação e Gestão Pública, Línguas estrangeiras, Tecnologias de Informação, Formação de Dirigentes, Encadernação, Jardinagem, Design, e outras.

Nesta fase inicial, estão já previstas, a partir de abril/maio, 7 ações de formação em línguas, nomeadamente, em língua francesa, a ter lugar no Mosteiro da Batalha e no Museu de Etnologia, dado que, atualmente, o público francês regista o maior número de visitantes nos espaços tutelados pela DGPC.

De salientar que a cooperação técnico-científica entre as duas entidades prevê não só ações de formação, como outras atividades, entre, workshops, ateliers, e estágios profissionais.

O Presidente do Conselho de Administração do CEARTE, Paulo Teles Marques, frisou que "esta colaboração já tem acontecido ao longo dos anos" representando este momento o oficializar e reforçar do "compromisso de ambas as organizações na melhoria e reforço das competências técnicas dos trabalhadores ligados ao património na sua globalidade".

Paulo Teles Marques referiu que esta parceria configura uma "responsabilidade e, simultaneamente, um orgulho para o CEARTE", e frisou que a sua equipa se encontra "muito motivada e consciente de que esta é uma oportunidade estratégica para o CEARTE", tendo sido recentemente atribuída a esta instituição a responsabilidade legal de atuação no domínio do património.

Para Filipe Silva, Subdiretor da DGPC, "a execução deste protocolo permite capacitar o potencial humano e valorizar as suas competências", e constitui "uma abertura da DGPC à sociedade civil e aos seus agentes".

Filipe Silva esclareceu ainda que a formação dos trabalhadores da DGPC não se esgota no protocolo com o CEARTE, sendo que em algumas áreas não ministradas por esta entidade, a DGPC irá recorrer de forma complementar ao Plano de Formação do Instituto Nacional de Administração.

Por último, António Alberto Costa, Delegado Regional do IEFP, sublinhou tratar-se de "um bom negócio para todas as partes envolvidas" e considerou esta aproximação "um sinal de sabedoria", destacando o facto de uma instituição de Coimbra, e da região Centro, se posicionar no plano nacional como entidade de referência na área do património.

Coimbra, 20 de março de 2018

 

 
6105
Loading. Please wait...

Fotos popular