Pravda.ru

Notícias » Desporto


MAS e organizações sociais retomam protestos na Bolívia

13.01.2020 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
MAS e organizações sociais retomam protestos na Bolívia. 32469.jpeg

MAS e organizações sociais retomam protestos na Bolívia

La Paz, 12 de janeiro (Prensa Latina) O Movimento ao Socialismo (MAS) parece recuperar a iniciativa, após confirmar a retomada dos protestos anti-golpe desde 20 de janeiro e aprovar o parlamento, onde tem maioria absoluta, uma lei contra a repressão predominante.

Um Pacto de Unidade nacional ampliado (em assembléia), que o MAS integra com organizações sociais, aprovou ontem o início das mobilizações pacíficas naquele dia contra a extensão que o autoproclamado governo Jeanine Áñez pretende.

O regime que surgiu do que o MAS considera um golpe de estado que obrigou o presidente Evo Morales a renunciar, solicitou ao Tribunal Constitucional a extensão de seu mandato e do parlamento, que termina constitucionalmente em 22 de janeiro.

A assembléia realizada em um clima de unidade e otimismo no centro de mineração de Uyuni, no departamento sul de Potosí, disse que nem a Assembléia Legislativa Plurinacional (parlamento) nem Áñez devem estender seus mandatos para além dessa data.

Ele determinou que as mobilizações pacíficas serão realizadas nos nove departamentos (províncias) da Bolívia e propôs que o parlamento, sob a esmagadora maioria do MAS, rejeitasse a renúncia do presidente Morales, que exige a aceitação do poder legislativo, de acordo com a constituição, para que validade

A reunião ratificou a unidade da classe média trabalhadora, povos indígenas, organizações sociais, transportadores que se encarregarão de formar coordenadores de defesa da democracia.

Os delegados, por outro lado, declararam o procurador-geral, Juan Lanchipa, desagradável em liderar a perseguição aos líderes populares e repudiaram as tentativas do regime de Áñez de fechar a mídia ligada aos povos indígenas.

No campo parlamentar, o MAS alcançou na sexta-feira passada a aprovação da Lei de Conformidade com os Direitos Humanos no Senado, com algumas correções que devem ser aprovadas pela Câmara dos Deputados para remessa a Áñez, que avançou que o vetará. , caso em que o legislador pode executá-lo, conforme exigido pela magna Carta.

A lei garante que o Estado compense os devedores de operações repressivas e cuide dos feridos e estabelece a responsabilidade legal dos autores diretos e mediados de violações de direitos humanos.

Os pequenos bancos oficiais deixaram a sessão e, juntamente com o governo, recorreram a argumentos legais, como um apelo ao Tribunal Constitucional, bem como outras manobras dilatórias.

A regra, segundo seus autores, busca proteger a população, líderes sociais e oficiais, de abusos, ataques, prisões e massacres como Senkata e Sacaba, nos quais forças militares e policiais mataram mais de 30 civis .

Esses assassinatos motivam uma interpelação aos Ministros do Governo (Interior), Arturo Murillo e Defesa, Luis López, que tiveram que ser realizados ontem sábado, mas foram adiados para a próxima sexta-feira.

As pessoas convocadas solicitaram, em uma aparente manobra dilatória, o adiamento, alegando que precisam de mais tempo para responder às 33 questões levantadas pelos legisladores, que exigem detalhes sobre os participantes uniformizados, a linha de comando e os autores diretos e intelectuais dos assassinatos. até hoje impune.

 

 

http://www.patrialatina.com.br/mas-e-organizacoes-sociais-retomam-protestos-na-bolivia/

 

 
4188

Fotos popular