Pravda.ru

Notícias » Desporto


Opinião: Nacionalismo à brasileira

10.08.2006 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Mal se foi o último grito de gol, de gozo; foi-se também o nosso amor estampado, tatuado, declarado. O nosso amor não é à pátria, é à festa que a pátria pode nos proporcionar. O hino nacional, cantado em erros aqui e acolá, vem apenas ser o triste requiém de nossa própria falta de identidade, de independência moral, política, social e cultural. Quem sabe uma versão em inglês seria melhor interpretada pela imensa maioria dos nossos técnicos sem time?

Nós pisamos de chuteiras no coração do Brasil. Sangramos o amor pátrio na sanha de cada um de nós marcar seu gol no dia a dia. Na grande verdade, estamos mais preocupados com as nossas meias, com os nossos sapatos, que com a vestimenta do país dos eternos descamisados. Esta é a relação do brasileiro com o seu país. O seu comprometimento com as coisas da sua pátria. Tudo, se reflete no jogo do time dos seus selecionados.

Nós choramos de vergonha pelo Brasil e nossa indignação dura apenas até o próximo jogo, a próxima festa, o próximo churrasco. Formamos uma Nação de apáticos.

Há um descomprometimento cultural compartilhado entre os cidadãos brasileiros com o Brasil. Formamos uma grande nação de vencidos, de enganados, de não representados. O brasileiro não se reconhece em seus representantes, não se sente representado e respeitado por eles. Falta amor, falta entrega, falta uma relação carnal, cultural e espiritual, e isso vem de muito...

Nosso nacionalismo é bem assim: esteve estampado nas ruas, fora de nós. É um amor amarelado, desbotado, facilmente levado pelo vento da história. E, de repete, nos faz até ter vergonha das nossas cores e das nossas manifestações quase expontâneas.

Petrônio Souza Gonçalves

jornalista e escritor
Belooriente@cidademais.com.br

 
1875
Loading. Please wait...

Fotos popular