Pravda.ru

Notícias » Desporto


Ricardo Teixeira dá ultimato às cidades brasileiras

10.05.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, deu nesta quarta-feira um ultimato às cidades brasileiras postulantes a serem sedes da Copa do Mundo de 2014. Segundo ele, estará fora da disputa quem atrasar a entrega do projeto que tem por obrigação cumprir todos os pré-requisitos apresentados pela Fifa. “O dia limite é 31 de maio. Essa data é irrevogável, seja para os estados do Rio de Janeiro, de São Paulo, ou seja para quem for”, declarou o dirigente, durante o seminário sobre o Mundial, realizado num hotel da zona sul do Rio.

Ele explicou a razão de sua ameaça e avisou que não quer acomodação pelo fato de o País ser o único candidato a receber a Copa de 2014. “Se não recebermos as informações até o última dia deste mês, não teremos tempo de entregar o caderno de encargos para a Fifa no dia 31 de julho.”

A afirmação soou como alerta para os representantes das cidades-candidatas. Ricardo Teixeira disse o Brasil precisa cumprir todas as exigências do Comitê de Candidatura para não perder a organização do evento. “Temos que começar a colocar seriedade nas coisas. Nesse projeto, a CBF vai ser rigorosa, até por exigência da Fifa”, afirmou. “Essa situação assemelha-se a um vestibular. Não adianta o aluno se preparar o ano todo e chegar no dia da prova atrasado. Ficará chorando do lado de fora, como acontece várias vezes.”

Ele voltou a dizer que, atualmente, nenhum estádio brasileiro tem condições de realizar um jogo de Copa do Mundo, “a não ser que se façam grandes reformas estruturais ou se construam outros palcos.” O presidente da CBF continua pondo em dúvida a utilização do Maracanã e do Morumbi e acredita que o Mineirão, em Belo Horizonte, e o Mané Garrinha, em Brasília, são mais fáceis de serem reformulados. “Os dois dispõe de um terreno lateral onde pode ser erguido um imenso estacionamento.”

O diretor do Departamento de Competições da Fifa, Jim Brown, expôs a dificuldade de se realizar uma Copa do Mundo. Citou, por exemplo, dados do Mundial da Alemanha, ocorrido em 2002, no qual foram gastos 5 bilhões de euros (cerca de R$ 14 bilhões) somente com transporte e construção de estádios. “Transporte, hotelaria, aeroportos, hospitalidade e estádios são essenciais para a organização de um evento dessa grandeza.”

Alguns representantes das cidades-candidatas se assustaram com a dimensão dos números. “Realmente assusta”, admitiu o ex-jogador de vôlei Carlão, atual secretário de Esportes de Florianópolis .

 Fonte Agência Estado

 
2575
Loading. Please wait...

Fotos popular