Pravda.ru

Notícias » Desporto


Futebol: Danúbio presenteia PRAVDA.Ru

04.05.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

O berço do mais famosos jogadores dos últimos 35 anos do futebol uruguaio que fizeram e ainda fazem sucesso fora da divisa do pequeno país sul-americano foi o clube Danubio de Montevidéu que é reconhecido pelo estilo de jogo elegante que até nem parece ter herdado essa raça que foi caracteristica do futebol uruguaio.

Os investimento do clube sustentam uma política de aprimoramento das categorías de base fazendo que a “fábrica” de destaques esteja aberta as 24 horas do día no decorrer do ano todo.

A cadeia de produção do clube fica extremamente lubrificada conseguindo assim ue cada um dos onze jogadores no relvado tenham um protótipo de craque esperando sua oportunidade no plantão.

Isso quer dizer que o clube pode vender sem risco de deixar o time fraco de olho no próximo torneio. Aliás, tengo chance de “exportar” a turma toda, a “diretoria” do clube não ia concretizar todos os negócios pois seus membros tem a cabeça no lugar certo tendo conciência que o “equilibro ecológico” poderia morrer aos poucos.

Danubio é um dos exemplos de administração ótima no futebol uruguaio que dum jeito bem devagar tenta estourar no plano internacional sem deter a maquinaria que já faz tempo concorre com os grandões uruguaios como e o caso do Peñarol e Nacional e com seu “irmão ” Defensor Sporting que também anda acima dos trilhos dando inicio ao pequeno clássico do futebol uruguaio com apenas 10 mil pessoas nas arquibancadas caso os dois estiverem no topo da tabela.

Danubio tem essa independência financeira que todos os clubes do mundo anseiam, conseguindo arrecadar a grana que acha justa na hora de assinar um negócio com outros clubes ou até com representantes dos jogadores. Tanto faz!

Nesta fase de melhoramento não receber esmolas é fundamental e isso só pode acontecer com pessoal honesto e com experiência na diretoria mesmo mudando as caras logo cada eleição mas mantendo o esquema sempre.

Nos últimos meses o clube arrumou os antigos vestiários do Estádio “Jardins do Hipódromo” com lotação máxima para 20 vagas deixando-os do primeiro mundo do jeito que o Danubio faz tudo faz tempo.

O próximo degrau no calendario de obras da instituição é a iluminação do Estádio tendo como alvo a participação nas Taças Sul-americana e Libertadores 2008 sendo que é o único clube uruguaio com chance até hoje ( ainda sem confirmar ) pois tem ganho o torneio Abertura na primeira metade do ano 2007.

O Estádio vai comemorar meio século de vida o 25 de agosto que vem lembrando-se ainda o maior numero de pagantes nessa estréia que foi de 19.071 com Dom Raúl Bentancor como ícone do clube de ontem no relvado e atual.

Além do privilégio de continuar no coração dos uruguaios todos, Dom Raúl foi treinador das Seleções Sub-20 nos Sul-americanos de 1977 ( Venezuela ) e 1979 ( Uruguai ) conseguindo logo a terceira e quarta vaga nos Mundiais da Tunísia e Japão.

Também deixou sua herança no internacional uruguaio, Alejandro Lembo ( no Betis da Espanha ) pois é seu vovozinho.

Aprofundando na lida do livro dos 75 aniversário foi que conseguimos descobrer que o goleiro no plantão daquela partida foi o Mario Bardanca, pai dum dos dois comentaristas de futebol da Rádio Carve de Montevidéu, o conhecido Mario Bardanca Filho, com corpão de goleiro que acabou “chutando” para o lado do jornalismo desportivo.

O primeiro golo nesse moderno estádio da década dos 50 foi do Luis Piume vestindo a camisa do Nacional uruguaio conseguindo a vitória de 1 x 0 perante o anfitrião mas não impedindo o sorriso dos torcedores “danubianos” que pela única vez na vida “iam gozar” duma derrota.

Numa rodada de jornalistas das últimas horas o comentaristas das Rádio Carve ( advogado Alfredo Enrique Etchandy ) e da Rádio Universal ( advogado Ariel Delbono ) contribuiram com a montagem desta matéria confirmando para nós que o artilheiro dessa partida foi o Luis Piume, agora médico que mora na França.

Quanto tem a ver com os destaques que vestiram a camisa do Danubio, o Alcides Edgardo Ghiggia, herói uruguaio da camisa sete no Maracanaço de 1950 que deu a última furada na rede brasileira no minuto 79 da partida vencendo o Barbosa, “aposentou-se” no clube.

Sempre com extrema humildade e respeito pelo Brasil todo o Ghiggia ( 80 anos ) confirmou que nunca teve o desejo de ferir o povo brasileiro aquele 16 de julho mas a história acabou se escrevendo assim.

Também remarcou que por incrível que pareça houveram três pessoas só que deixaram o Maracaná em silêncio, o Frank Sinatra, o Papa João Paulo II e eu.

Foi terrível perceber a dor dessas 200 mil pessoas sofrendo nas arquibancadas, acrescentou o craque.

Mais um dos conhecidos no Brasil que vestiu a camisa do Danubio foi o Héctor “Lito” Silva que com a fama ganha no Peñarol dos 60 acabou jogando no Palmeiras de 1970 até 1972 e no Portuguesa de 1972 até 1973 além das Taças do Mundo 1962 ( Chile ) e 1966 ( Inglaterra ).

No histórico do clube há dois Torneios uruguaios ganhos.

O primeiro no ano 1988 com o Ildo Enrique Maneiro no posicionamento de treinador que jogou as Semis do México 70 com a camisa 10 uruguaia perdendo perante o Pelé e sua turma de 3 x 1.

Ele foi responsable desse time de “moleques” que alcançaram as Semis da Taça Libertadores 1989 perdendo nessa fase perante o Campeão da América, o Atlético Nacional da Colombia.

O segundo torneio uruguaio foi por conta do treinador Gerardo Pelusso no 2004 que agora está na frente do Alianza Lima peruano.

O capitão deste Danubio atual é o zagueiro brasileiro Jadson Viera também Campeão 2004 e com possibilidades de vestir a camisa “celeste” se tiver sua chance pois sua mãe e uruguaia e fez sua carreira toda no futebol uruguaio.

Na procura de continuar marcando fatos e pessoas que tenha a ver com o Danubio e o Brasil, na da para esquecer do treinador de hoje, Gustavo Matosas que foi sãopaulino na década dos 90 logo ter ganho o caneco da Libertadores com o Peñarol 1987 perdendo logo a final do Mundo em Tóquio perante o Porto F.C. na única partida com neve na cuadra das finais que estragou estratégias deixando-a da mão do azar.

Gustavo e filho do Roberto Matosas, zagueiro careca e camisa dois uruguaia no México 70 que os brasileiro lembram com carinho.

Os presidentes do clube que “maquiaram” a cara de hoje foram muitos mas esquecer da família Del Campo com o Engenheiro Héctor “marcando” seu estilo de 1981 até 1988 e de 1991 até 1992 é pecado mesmo.

Mais logo continuaram seus filhos, Arturo agora como presidente e seu irmão Héctor Filho do lado dele sempre que precisar.

Jogadores que vestiram a camisa do Danubio que foram destaques nos gramados do mundo, inúmeros.

Alguns deles a partir de agora.

Álvaro “chinés” Recoba, Ruben Sosa, Ruben Da Silva, Lorenzo Carrabs, José Hermes Moreira, Ruben Pereira, Eliseo Rivero, Victor Duque, Edgar Borges, Gary Castillo.

Esta matéria foi feita com o apoio do Danubio F.C. que deu para nós o livro dos 75 aniversádio de presente cujo conteúdo foi fundamental na montagem.

O Pravda agradece o Sr. Aníbal Rey, Sr. Batista, Sr. Piña, Sr. Díaz e Sra. Marta Duque que sempre estiveram em contato conosco.

Aos leitores, uma sugestão, confira a matéria daqui a alguns dias no site do clube.

www.danubio.org.uy

Correspondente PRAVDA.RU

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguay

Sexta 4 de maio de 2007

 
7807
Loading. Please wait...

Fotos popular