Pravda.ru

Notícias » Portugal


Portugal vence e convence

25.06.2004 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

As equipas alinharam

Portugal

Ricardo; Miguel, Jorge Andrade, Ricardo Carvalho, Nuno Valente; Costinha, Maniche, Figo, Deco, Ronaldo; Nuno Gomes

Treinador: Luiz Filipe Scolari (Brasil)

Inglaterra

James; Gary Neville, Terry, Campbell, A. Cole; Lampard, Gerrard, Beckham, Scholes; Rooney, Owen

Treinador: Sven-Goran Eriksson (Suécia)

Equipa de arbitragem: Urs Meier, Rudolf Kappeli, Frencesco Buragina (Suiça) e o quarto árbitro: Alain Hamer (Luxemburgo)

Estádio da Luz, Lisboa.

Nos 20 jogos entre estas equipas antes do jogo da quinta-feira dia 24 de Junho, Inglaterra venceu 9, Portugal 3 e houve 8 empates. No entanto, Portugal não perdia contra a Inglaterra em jogos competitivos desde 1966, quando a equipa britânica ganhou o seu único troféu, a Taça do Mundo.

Na fase de qualificação, Inglaterra não perdeu nenhum dos seus 8 jogos, ganhando 6 e empatando 2 num grupo composto pelos adversários Turquia, Eslováquia, Macedónia e Liechtenstein. Contudo, venceu só um dos cinco jogos de preparação (6-1 contra a Islândia), empatando dois (0-0 frente ao Japão e 1-1 frente a Portugal) e perdendo dois (2-3 contra Dinamarca e 0-1 contra Suécia). Nos jogos do Grupo B, Inglaterra perdeu com França 1-2 e venceu Suiça (3-0) e Croácia (4-2).

Por sua vez, Portugal entrou neste jogo moralizado com as vitórias contra Rússia (2-0) e Espanha (1-0) depois duma derrota no jogo inaugural frente a Grécia (1-2) e depois duma fase de preparação de 21 jogos, dos quais venceu 11, empatou 7 e perdeu 3.

Foi a equipa inglesa que começou da melhor forma, marcando o primeiro golo após três minutos. Michael Owen aproveitou o passe descuidado de Costinha a Ricardo, levantando a bola por cima do guarda-redes português, marcando seu 26º golo para a selecção nacional em 60 jogos.. Inglaterra 1- Portugal 0.

A reacção da equipa portuguesa veio três minutos depois, quando Luís Figo trabalhou a bola, passando para Cristiano Ronaldo na área mas o remate do médio da Manchester United foi bloqueado. Seguiram 5 minutos de grande pressão da equipa portuguesa, com remates por Maniche (2) e Nuno Gomes.

Até a meia hora, as duas equipas criaram perigo. Um remate de Wayne Rooney foi defendido por Ricardo aos 13’. Aos 16’, Figo driblou Beckham e Gary Neville mas chutou directamente a James. Um minuto mais tarde, Ronaldo passou a Miguel, que rematou fora e aos 19’, Owen quase marcou o seu segundo tento mas rematou por cima da baliza. Aos 20, Deco encontrou Cristiano Ronaldo numa boa posição mas seu remate passou por cima da barra e Campbell respondeu para Inglaterra com um bom remate de cabeça na sequência dum canto, mas a bola falhou o alvo por pouco.

Inglaterra sofreu um duro golpe quando o seu atacante pródigo de 18 anos, Wayne Rooney, partiu um osso no seu pé aos 24’, sendo substituído por Darius Vassell três minutos mais tarde. Inglaterra sentiu a falta de Rooney, que marcou 4 golos nesta competição.

Com Inglaterra tentando reorganizar o seu jogo, Portugal aproveitou com remates de Nuno Gomes (25’) Cristiano Ronaldo (29’) e Figo (29’ e 30’). Michael Owen esforçou Ricardo a fazer uma boa intervenção aos 30’, o guarda-redes de Sporting Clube de Portugal mergulhando para negar o atacante de Liverpool FC, que cinco minutos mais tarde, teve um remate bloqueado.

Portugal acabou a primeira parte aplicando pressão sobre a defesa inglesa. Teve mais posse da bola mas encontrou enormes dificuldades em penetrar na defesa, que estava a defender o resultado e jogando ao contra-ataque.

Na segunda parte, pouco ou nada mudou, com Inglaterra cada vez mais satisfeito com o único tento do jogo e Portugal cada vez mais agressivo na procura do golo da igualdade. Durante 25 minutos, Portugal atirou tudo contra a defesa inglesa.

Aos 47’, James defendeu o remate de Nuno Gomes, fazendo outra intervenção chave um minuto mais tarde, agarrando a bola depois do canto de Deco. Campbell negou um golo a Nuno Gomes aos 51’ e Ashley Cole bloqueou o remate de Ronaldo aos 53’. A pressão provocou a segunda substituição na equipa inglesa, Eriksson colocando o médio defensivo Phil Neville no lugar do médio ofensivo Scholes, seu colega de equipa em Manchester United.

No entanto, o homem extra na defesa inglesa não alterou o jogo, com Ronaldo, Deco, Nuno Gomes e Simão Sabrosa testando James durante os próximos dez minutos. A equipa inglesa respondeu com duas tentativas, por Terry aos 71’ e por Michael Owen aos 73’, mas Ricardo foi mestre da sua área.

Tentando empurrar sua equipa para a frente, Scolari arriscou tudo, substituindo o médio Luís Figo pelo avançado Hélder Postiga aos 75’ e o defesa Miguel pelo médio ofensivo Rui Costa aos 79’. Eriksson respondeu com a troca de Gerrard por Owen Hargreaves, aos 82’, substituindo um médio cansado por outro médio mais fresco. No entanto, nem teve tempo para aquecer porque Portugal marcou seu golo dentro de um minuto. Simão Sabrosa encontrou Hélder Postiga, que rematou de cabeça. 1-1. Owen enviou a bola contra um poste aos 90’ e Campbell teve um golo anulado no mesmo minuto, por Terry ter agarrado Ricardo mas a segunda parte terminou com Portugal a dominar o jogo e Inglaterra a fazer tudo para tirar a bola da sua área.

A primeira parte do prolongamento acabou sem golos (nesta competição se usa o conceito da Bola de Prata, em que se uma das equipas vence no final dos primeiros 15 minutos do prolongamento, termina assim o jogo).

Na segunda parte, foi Portugal que quebrou o impasse, com um remate indefensável de Rui Costa de 20 metros na esquerda da área inglesa. Portugal 2-Inglaterra 1, aos 20 minutos. Lampard igualou para Inglaterra cinco minutos mais tarde, na sequência dum canto de Beckham. 2-2.

Como é habitual, Inglaterra não resistiu nos penaltis . Beckham falhou o primeiro, enviando a bola por cima da barra e Darius Vassell enviou um remate fraco, permitindo a defesa de Ricardo, que terminou a série e o jogo por 6 penaltis contra 5, rematando a bola para o canto da baliza de James.

Portugal enfrenta Suécia ou Holanda nas meias-finais. Parabens a Portugal por ter jogado como equipa e parabens ao Scolari, senhor que respondeu aos seus críticos da melhor maneira.

Estatística

Portugal Inglaterra

61% Posse da bola 39% 5 Fora de jogo 2 14 (3) Faltas (amarelos) 25 (3) 13 Cantos 9 35 (8) Remates (à baliza) 16 (8)

Timothy BANCROFT-HINCHEY PRAVDA.Ru

 
6795
Loading. Please wait...

Fotos popular